Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas

 Data: 17/08/2022 02:05:41
 Total de Contribuições:13

CONSULTA PÚBLICA Nº 746


 Item:  3.
Contribuição N°: 1
ID da Contribuição: 30591
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:34:13
Contribuição: alterar, no item XVIII, o ano de emissão de 1995 para 2005
Justificativa: Já foi publicada nova versão da Norma IEC 61196-1 (2005)
Contribuição N°: 2
ID da Contribuição: 30611
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 14:44:33
Contribuição: atualizar as normas dos itens: XXVI - SCTE IPS TP 008-1994 Test Method for DC Loop Resistance pela ANSI/SCTE 44 2005 XXVIII - SCTE IPS TP 012 1993 Test Method for Dielectric Withstand of Cable pela ANSI/SCTE 102 2006
Justificativa: atualização das normas da SCTE
 Item:  6.1
6.1 Requisitos e métodos de ensaio para o condutor central
6.1.1 O diâmetro do condutor central deve ser conforme estabelecido na tabela 1 e medido conforme o seguinte procedimento:
a) Utilizar instrumento com resolução metrologicamente adequada;
b) Devem ser tomadas duas medidas perpendiculares de uma mesma seção transversal e anotada a média aritmética dos valores obtidos.
                                                      Tabela 1 - Diâmetro do condutor central

Série

Diâmetro do condutor central (mm)

Tolerância
(%)

59

0,81

1

6

1,02

1

7

1,30

1

11

1,63

1

15

2,77

1,1

6.1.2 O alongamento à ruptura do condutor central deve ser de, no mínimo, 1%, devendo ser verificado através do método estabelecido na NBR 6810.

Contribuição N°: 3
ID da Contribuição: 30592
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:34:14
Contribuição: acrescentar em 6.1.2: O ensaio deve ser realizado em 3 corpos-de-prova de 250 mm de comprimento, com velocidade de afastamento das garras de 50 mm/min.
Justificativa: Nem a Resolução e nem o Método de ensaio (NBR 6810) nos dizem qual a quantidade de corpos-de-prova a serem ensaiados, qual o comprimento de cada corpo-de-prova e qual a velocidade de afastamento das garras.
 Item:  6.2
6.2 Requisitos e métodos de ensaio para o dielétrico
6.2.1 A força de aderência mínima requerida para a retirada dos resíduos entre o dielétrico expandido e o condutor central deve ser conforme tabela 2, e deve ser verificada através do método estabelecido na ANSI/SCTE-59-2002.
                                                        Tabela 2 Força de aderência mínima

Série

Força mínima (N)

59

22

6

22

7

36

11

67

15

267

Contribuição N°: 4
ID da Contribuição: 30593
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:34:14
Contribuição: acrescentar uma coluna à Tabela, com a Força requerida máxima, conforme abaixo: Tabela 2 - Força de Aderência Série Força mínima (N) Força máxima (N) 59 22 89 6 22 111 7 36 142 11 67 178 15 267 590 alterar texto do item 6.2.1, para: A força de aderência mínima requerida para a retirada dos resíduos entre o dielétrico expandido e o condutor central deve ser conforme tabela 2, e deve ser verificada em três corpos-de-prova, através do método estabelecido na ANSI/SCTE-59-2002.
Justificativa: - é importante especificar a força máxima para a retirada dos resíduos entre o dielétrico e o condutor central, pois uma força excessiva dificulta a instalação e pode causar danos ao cabo durante o seu manuseio. - o método de teste não define a quantidade de corpos-de-prova a serem ensaiados.
 Item:  6.4
6.4 Requisitos e métodos de ensaio para o condutor externo
6.4.1 O condutor externo (blindagem) deve ser conforme um dos tipos descritos a seguir:
6.4.1.1. Blindagem padrão composta por uma fita laminada de blindagem, com material adesivo somente em sua face interna, aplicada longitudinalmente sobre o dielétrico com sobreposição mínima de 18% e por uma trança de fios de alumínio, aplicada em torno da fita de tal forma que a cobertura da trança resulte em um valor mínimo de 53 %, calculado conforme o item 6.4.5 desta norma.
6.4.1.2. Blindagem tripla ou trishield trata-se da blindagem padrão , sobre a qual é aplicada longitudinalmente, com sobreposição mínima de 18%, mais uma fita laminada de blindagem não aderida a trança.
6.4.1.3. Blindagem quádrupla ou quadshield trata-se da blindagem tripla , sobre a qual é aplicada uma segunda trança constituída do mesmo material da primeira trança, aplicada em torno da fita laminada de blindagem de tal forma que a cobertura da trança resulte em um valor mínimo de 32%, calculada conforme item 6.4.5 desta norma.
6.4.2 O diâmetro dos fios das tranças deve ser de 0,160 mm 0,01 mm, e deve ser verificado através do seguinte procedimento:


a) Utilizar instrumento com resolução metrologicamente adequada;
b) Devem ser tomadas duas medidas perpendiculares de uma mesma seção transversal e anotada a média aritmética dos valores obtidos.
6.4.3 A resistência à tração dos fios das tranças deve ser de no mínimo 30 MPa e o alongamento à ruptura deve ser de no mínimo 3%, e devem ser verificados conforme o método estabelecido na ASTM B 557.
6.4.4 A superfície dos fios das tranças deve ser contínua, brilhante e livre de lascas, fissuras e rachaduras, e deve ser visualmente verificada com ampliação de sete vezes.
6.4.5 O percentual de cobertura das tranças deve ser calculado pelas equações a seguir:

Percentual de cobertura = (2 f - f ).100

                                    tga = (p . dm) / P

                                    cos a = (1 / (tg a + 1))1/2

                                    f = (e . n . df) / (2p . dm . cos a)

                                    dm = [diâmetro sob a trança + (2 vezes o diâmetro do fio elementar)]

onde :

              f  é o fator de cobertura linear;

              df  é o diâmetro do fio elementar do feixe, em milímetros;

              dm é o diâmetro médio da trança, em milímetros;

              e é o número de feixes;

              n é o número de fios por feixe;

              P é o passo da trança, em milímetros;

             a é o ângulo formado entre o eixo do cabo e a  trança.

Contribuição N°: 5
ID da Contribuição: 30594
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:34:15
Contribuição: alterar item 6.4.3 para: 6.4.3 A resistência à tração dos fios das tranças deve ser de no mínimo 300 MPa e o alongamento à ruptura deve ser de no mínimo 3%, e devem ser verificados conforme o método estabelecido na ASTM B 557.
Justificativa: - existe uma incoerência entre o valor especificado e os resultados encontrados na prática, da ordem de 10 vezes. O valor especificado fica muito aquém dos valores realmente obtidos na prática. Torna-se necessária, portanto, uma adequação do valor.
Contribuição N°: 6
ID da Contribuição: 30612
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 14:49:14
Contribuição: no item 6.4.1.1 alterar o texto para :............face interna, aplicada longitudinalmente, com uma sobreposição mínima de 18%, sobre o dielétrico e por uma.....
Justificativa: que fique claro que a sobreposição é sobre o dielétrico!
 Item:  6.6

6.6 Requisitos e métodos de ensaio para mensageiro integrado (opcional)
6.6.1 Quando o cabo possuir mensageiro integrado, este deverá ser de aço galvanizado, Class 1, Hard Temper e atender aos requisitos da ASTM A 641:
Carga de Ruptura Mínima;
Camada de Zinco;
Aderência da Camada de Zinco;
Diâmetro do Mensageiro.
6.6.2 Para a medição do diâmetro deverá ser utilizado instrumento com resolução metrologicamente adequada e serem tomadas duas medidas perpendiculares de uma mesma seção transversal, sendo anotada a média aritmética dos valores obtidos.

Contribuição N°: 7
ID da Contribuição: 30613
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 14:54:40
Contribuição: subtituir texto do item 6.6.1 por: Quando o cabo coaxial rígido possuir mensageiro integrado, este deverá ser constituído por um fio ou cordoalha de aço galvanizado. inserir o item 6.6.2: 6.6.2: A verificação dos requisitos deve ser feita no fio singelo ou fio elementar da cordoalha e atender aos requisitos da ASTM A641/98, Class 1, Hard Temper, descritos a seguir:
Justificativa: alguns fabricantes optam por utilizar cordoalha ao invés de um único fio.
 Item:  6.9

6.9 Requisito e método de ensaio para eficiência de blindagem
6.9.1 A eficácia da blindagem para os cabos coaxiais flexíveis não deve ser de inferior ao valor indicado na tabela 9, na faixa de freqüência de 5 MHz a 1000 MHz, e deve ser verificada através do método estabelecido na ANSI/SCTE-48-3 2004.
                                                                            Tabela 9 Eficácia da blindagem (dB)

Tipo de Blindagem

dB*

Blindagem padrão

59

Blindagem tripla

65

Blindagem quádrupla

95

Nota: *Os valores dos requisitos encontram-se em processo de validação.

6.9.2 O equipamento de ensaio não está restrito ao citado no método de ensaio especificado em 6.9.1, podendo ser utilizado um equipamento com precisão equivalente.

Contribuição N°: 8
ID da Contribuição: 30595
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:34:15
Contribuição: - retirada do item
Justificativa: - se os valores dos requisitos ainda encontram-se em processo de validação, não é coerente exigi-los na Resolução
Contribuição N°: 9
ID da Contribuição: 30614
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 14:56:09
Contribuição: eliminar o item 6.9
Justificativa: porque não foram definidos os valores dos requisitos.
 Item:  6.15
6.15 Requisito e método de ensaio para velocidade de propagação relativa
6.15.1 A velocidade de propagação relativa deve ser de, no mínimo, 82% da velocidade da luz no vácuo, e deve ser determinada conforme o item 11.9 da IEC 61196-1.
Contribuição N°: 10
ID da Contribuição: 30615
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 15:02:03
Contribuição: alterar o texto do item 6.15.1 para A velocidade de propagação relativa para os cabos coaxiais rígidos deve ser de, no mínimo, 82% da velocidade da luz no vácuo, quando obtido através da equação apresentada na IEC 61196-1, seção 11.9.
Justificativa: uniformizar o texto deste ensaio ao da Consulta Pública 740.
 Item:  6.20
6.20 Requisito e método de ensaio para escoamento do composto
6.20.1 O cabo coaxial flexível que possui composto vedante deve ser submetido ao ensaio de escoamento do composto, conforme o método estabelecido na NBR 9149 e não deve apresentar sinais de escoamento ou gotejamento.
Contribuição N°: 11
ID da Contribuição: 30616
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 15:04:59
Contribuição: no texto do item 6.20 inserir a palavra vedante ao fim da frase.
Justificativa: uniformizar o texto com as demais consultas públicas.
 Item:  6.21
6.21 Requisito e método de ensaio para impacto
6.21.1 O ensaio de impacto deve ser realizado em câmara fria à temperatura de 15 C, conforme o método estabelecido na ANSI/SCTE 10 2001. Após o impacto o corpo de prova deve ser retirado da câmara fria e examinado, com visão normal ou corrigida, à temperatura ambiente. A capa externa e o dielétrico do cabo coaxial não deverão apresentar danos como trincas, rachaduras ou rasgamentos. O impacto pode ser realizado fora da câmara, imediatamente após o período de condicionamento da amostra, do peso e da superfície de impacto.
Contribuição N°: 12
ID da Contribuição: 30596
Autor da Contribuição: spbarros
Data da Contribuição: 31/10/2006 11:44:11
Contribuição: acrescentar ao texto o item: 6.21.2 Deverão ser preparados 10 corpos-de-prova, e ensaiados conforme o item 6.21.1. Serão tolerados danos em até dois corpos-de-prova ensaiados .
Justificativa: - O método de teste não especifica a quantidade de corpos-de-prova a serem submetidos ao ensaio, e nem o critério de aprovação. Os parâmetros considerados têm por base o especificado na UL 1581, seção 593.7
 Item:  7
7. Amostragem do Cabo Coaxial
7.1 Deve ser apresentada para ensaios completos pelo menos uma amostra de cada família de cabos a serem certificados, sendo que os ensaios efetuados em uma amostra de cabo de maior diâmetro externo de uma família, serão válidos para os demais cabos de menor diâmetro externo dentro da mesma família.
7.2 Caso uma família de cabos inclua cabos com características opcionais ou especiais, deverão ser fornecidas amostras adicionais, suficientes para a realização dos ensaios específicos correspondentes.
7.3 Caso uma família de cabos possua cabos para aplicação em áreas internas e externas, com revestimentos distintos, deverá ser apresentada uma amostra para cada aplicação e seus respectivos materiais do revestimento externo devem ser submetidos aos seguintes ensaios:


Requisitos e método de ensaio para capa externa (item 6.5);
Requisito e método de ensaio para vazamento na capa externa (item 6.14);
Requisito e método de ensaio para resistência à corrosão,quando aplicável (item 6.17);
Requisito e método de ensaio para escoamento do composto, quando aplicável (item 6.20);
Requisito e método de ensaio para impacto (item 6.21).
7.4 A amostra de cabo apresentada para ensaios deve ter lance de, no mínimo, 100 m e ter suas extremidades preparadas com conectores.
Contribuição N°: 13
ID da Contribuição: 30617
Autor da Contribuição: djna
Data da Contribuição: 01/11/2006 15:21:24
Contribuição: alterar o texto do item 7.3 de .........externas, com revestimentos distintos, deverá....... para com capas externas de materiais distintos, deverá ser........ inserir o item 7.4 Caso uma família de cabos possua cabos de cores distintas e materiais semelhantes, para aplicação em área interna, deverá ser apresentada uma amostra de cada cor. Numa amostra serão realizados os ensaios completos e nas demais amostras o ensaio de retardância à chama (item 6.5.3) inserir o item 7.5 Os ensaios do Mensageiro Integrado devem ser realizados em todos os diâmetros utilizados na família. Caso um determinado diâmetro seja utilizado em uma ou mais famílias de cabos não é necessário repetir os ensaios do mensageiro para cada família.
Justificativa: item 7.3 - para que fique definido que são capas de materiais distintos utilizados em aplicação distintas. item 7.4 - aditivos para cores distintas podem interferir no resultados de retardância à chama. item 7.5 - definir que sejam ensaiados todos os mensageiros utilizados na família e não somente o da amostra de cabo enviada. E permitir que estes mensageiros sejam utilizados em outras famílias sem a necessidade de repetir os ensaios.