Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas

 Data: 11/08/2022 04:41:30
 Total de Contribuições:16

CONSULTA PÚBLICA Nº 609


 Item:  CONSULTA PÚBLICA N.º 609, DE 5 DE ABRIL DE 2005
Contribuição N°: 1
ID da Contribuição: 23463
Autor da Contribuição: Menna
Data da Contribuição: 29/04/2005 09:34:08
Contribuição: A ANATEL, pela posição de liderança na área da Compatibilidade Eletromagnética (EMC) que assumiu no Brasil, irá certamente direcionar a maioria da regulamentação EMC no Brasil também para os (poucos) produtos que não sejam específicos de Telecomunicações. As especificações técnicas destas regulamentações estarão naturalmente pautadas nas especificações internacionais, nomeadamente aquelas inerentes à Diretiba Européia de EMC. Entretanto venho sugerir que a legislação brasileira neste âmbito não fique sujeita à burocracia de uma certificação pesada - neste aspecto as Diretivas Européias poderiam servir de lastro para uma legislação nacional. Entendo que a regulamentação da ANATEL para produtos de telecomunicações foi extremamente válida e oportuna, entretanto penso que num âmbito geral, não devemos procurar tanto o favorecimento da posição do Estado, o que, invarialmente, acaba por se traduzir num processo burocrático extremamente oneroso.
Justificativa: Por favor veja um artigo sobre o tema em: http://www.quemc.com.br/artigos/diretiva_emc.pdf
Contribuição N°: 2
ID da Contribuição: 23590
Autor da Contribuição: teracom
Data da Contribuição: 24/05/2005 14:38:44
Contribuição: À ANATEL A DATACOM é uma empresa que desenvolve e fabrica equipamentos para telecomunicações. Atua em todo o Brasil e diversos outros países, como principais clientes podem ser citados a Embratel, Telemar, Brasil Telecom, Telefônica, entre outras. Consideramos termos uma boa experiência no mercado de Telecomunicações nacional e internacional, como usuários e fornecedores, então vimos por meio desta, contribuir para a Consulta Pública divulgada pela ANATEL de número 609 (Proposta de Alteração do Regulamento para a Certificação de Equipamentos de Telecomunicações quanto aos Aspectos de Compatibilidade Eletromagnética), referente a certificação de produtos. Entendemos que o objetivo da ANATEL seja garantir a homogeneização dos produtos de Telecomunicações, visando a correta interoperabilidade e qualidade de produtos e serviços. A ANATEL sempre demonstrou uma preocupação muito grande em compatibilizar os regulamentos brasileiros, com as normas internacionais, procurando uma homogeneização global. Com isso, louvamos a iniciativa de aprimorar e adequar as normas de forma a atender todos os requisitos estabelecidos e necessários. Contudo, entendemos que houve uma pequena simplificação de alguns itens, que vem por diferir com normas internacionalmente creditadas e aceitas. Entendemos que o motivo seja simplificar a norma, mas nivelando todas as situações para a mais crítica, vem a prejudicar a adequação dos produtos, pois acaba não condizendo com as situações normal de trabalho. Levando isso em consideração, tentaremos esclarecer esses pontos, assim como deixar nossa proposta de alteração. Visando deixar os regulamentos da ANATEL o mais próximo possível das certificações internacionais como CE Mark (Europa), FCC (Estados Unidos), CCC (China), entre outras. A resolução 237 da ANATEL baseia-se nas normas internacionais para estabelecer limites para compatibilidade eletromagnética de equipamentos de telecomunicações. As normas internacionais de imunidade, série IEC 61000-4-X, estabelecem padrões para os ensaios e definem alguns níveis de perturbação a serem aplicados de acordo com parâmetros relativos ao ambiente de instalação e operação do equipamento. A resolução 237 estabelece quais desses limites propostos nessas normas devem ser seguidos para adequação ao mercado brasileiro. Para o mercado europeu, e para todos os mercados que aceitam a marcação CE como forma de homologação, uma norma internacional é utilizada: a ETSI 300 386 v1.3.2. Esta norma, assim como a resolução 237, estabelece quais os limites devem ser utilizados para julgar conformidade ao se aplicar os ensaios das normas da série IEC 61000-4-X, porém estabelece padrões específicos para cada tipo de interface e equipamento. Hoje a resolução 237 da ANATEL já difere bastante da norma internacional, sendo mais rigorosa em alguns aspectos. Além disso, apresenta poucas possibilidades de classificação dos equipamentos quanto à forma de instalação e utilização. A análise das tabelas abaixo mostra que a resolução 237 já apresentava diferenças em relação à norma internacional e que a proposta pública 609, em vez de aproximar, está afastando ainda mais as exigências do mercado brasileiro em relação ao mercado internacional. Propomos que todos os níveis dos ensaios de imunidade sejam de acordo com os padrões internacionais conforme a norma ETSI 300 386 v1.3.2. Uma comparação entre a resolução 237, a proposta 609 e a norma internacional ETSI 300 386 v1.3.2 pode ser vista nas tabelas abaixo. Ensaio de Imunidade a transitórios elétricos rápidos, IEC 61000-4-4: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 1 , tabela 7): Nível (kV) Terminais ensaiados Estação Outros Locais 0,5 0,5 Telecomunicações 1 1 Energia Elétrica o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 1 , tabela 5): Nível (kV) Portas ensaiadas 0,5 Telecomunicações 1 Energia Elétrica o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Portas Ensaiadas Estação Outros Locais 0,5 0,5 Telecomunicações, porta interna 0,5 0,5 Telecomunicações, porta externa 1 1 Alimentação AC 0,5 1 Alimentação DC Ensaio de Imunidade à perturbação de radiofreqüência conduzida, IEC 61000-4-6: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 2 , tabela 8): Faixa de freqüência Nível (V) sem modulação Estação Outros Locais 0,15 a 1,8 3 10 1,8 a 80 3 3 o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 2 , tabela 6): Faixa de freqüência Nível de ajusta da perturbação (V) sem modulação 0,15 a 1,8 10 1,8 a 80 3 o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Faixa de freqüência Nível (V) sem modulação 0,15 a 80 3 O nível definido pela resolução 237 para equipamentos da rede de acesso ou na instalação do usuário , equivale ao nível 3 da norma IEC 61000-4-6, nível esse que, segundo a própria norma, deve ser aplicado para equipamentos que visam ser instalados em ambientes com extrema radiação eletromagnética, geralmente encontrados em área industrial A proposta pública 609 define o nível 3 para qualquer equipamento, até os equipamentos par centrais de telecomunicações. A norma internacional define o nível 2 de imunidade, que corresponde á ambientes comerciais. Portanto pleiteamos que os limites da norma internacional sejam adotados pela ANATEL. Ensaio de Imunidade à descargas eletrostáticas, IEC 61000-4-2: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 4 , tabela 10): Nível (kV) Forma de aplicação da descarga Estação Outros Locais 4 6 Descarga por contato 4 8 Descarga pelo ar o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 4 , tabela 8): Nível (kV) Forma de aplicação da descarga 6 Descarga por contato 8 Descarga pelo ar o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Forma de aplicação da descarga Estação Outros Locais 4 6 Descarga por contato 4 8 Descarga pelo ar Ensaio de Imunidade à surto, IEC 61000-4-5: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 5 , tabela 11): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Estação Outros Locais Interno Externo Interno Externo 0,5 1 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 0,5 1 Linha p/ linha Energia Elétrica 1 2 Linha p/ terra Energia Elétrica o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 5 , tabela 9): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Interno Externo 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 1 Linha p/ linha Energia Elétrica 2 Linha p/ terra Energia Elétrica o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Estação Outros Locais Interno Externo Interno Externo 0,5 1 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 0,5 1 Linha p/ linha Energia Elétrica AC 1 2 Linha p/ terra Energia Elétrica AC N.A. - Energia Elétrica DC
Justificativa: Justificativa ao longo do texto de contribuição.
Contribuição N°: 3
ID da Contribuição: 23619
Autor da Contribuição: rlsusin
Data da Contribuição: 25/05/2005 15:13:11
Contribuição: A DATACOM é uma empresa que desenvolve e fabrica equipamentos para telecomunicações. Atua em todo o Brasil e em diversos países, como principais clientes podem ser citados a Embratel, Telemar, Brasil Telecom, Telefônica, entre outras. Consideramos termos uma boa experiência no mercado de Telecomunicações nacional e internacional, como usuários e fornecedores, então vimos por meio desta, contribuir para a Consulta Pública divulgada pela ANATEL de número 609 (Proposta de Alteração do Regulamento para a Certificação de Equipamentos de Telecomunicações quanto aos Aspectos de Compatibilidade Eletromagnética), referente a certificação de produtos. Entendemos que o objetivo da ANATEL seja garantir a homogeneização dos produtos de Telecomunicações, visando a correta interoperabilidade e qualidade de produtos e serviços. A ANATEL sempre demonstrou uma preocupação muito grande em compatibilizar os regulamentos brasileiros, com as normas internacionais, procurando uma homogeneização global. Com isso, louvamos a iniciativa de aprimorar e adequar as normas de forma a atender todos os requisitos estabelecidos e necessários. Contudo, entendemos que houve uma pequena simplificação de alguns itens, que vem por diferir com normas internacionalmente creditadas e aceitas. Entendemos que o motivo seja simplificar a norma, mas nivelando todas as situações para a mais crítica, vem a prejudicar a adequação dos produtos, pois acaba não condizendo com as situações normal de trabalho. Levando isso em consideração, tentaremos esclarecer esses pontos, assim como deixar nossa proposta de alteração. Visando deixar os regulamentos da ANATEL o mais próximo possível das certificações internacionais como CE Mark (Europa), FCC (Estados Unidos), CCC (China), entre outras. A resolução 237 da ANATEL baseia-se nas normas internacionais para estabelecer limites para compatibilidade eletromagnética de equipamentos de telecomunicações. As normas internacionais de imunidade, série IEC 61000-4-X, estabelecem padrões para os ensaios e definem alguns níveis de perturbação a serem aplicados de acordo com parâmetros relativos ao ambiente de instalação e operação do equipamento. A resolução 237 estabelece quais desses limites propostos nessas normas devem ser seguidos para adequação ao mercado brasileiro. Para o mercado europeu, e para todos os mercados que aceitam a marcação CE como forma de homologação, uma norma internacional é utilizada: a ETSI 300 386 v1.3.2. Esta norma, assim como a resolução 237, estabelece quais os limites devem ser utilizados para julgar conformidade ao se aplicar os ensaios das normas da série IEC 61000-4-X, porém estabelece padrões específicos para cada tipo de interface e equipamento. Hoje a resolução 237 da ANATEL já difere bastante da norma internacional, sendo mais rigorosa em alguns aspectos. Além disso, apresenta poucas possibilidades de classificação dos equipamentos quanto à forma de instalação e utilização. A análise das tabelas abaixo mostra que a resolução 237 já apresentava diferenças em relação à norma internacional e que a proposta pública 609, em vez de aproximar, está afastando ainda mais as exigências do mercado brasileiro em relação ao mercado internacional. Propomos que todos os níveis dos ensaios de imunidade sejam de acordo com os padrões internacionais conforme a norma ETSI 300 386 v1.3.2. Uma comparação entre a resolução 237, a proposta 609 e a norma internacional ETSI 300 386 v1.3.2 pode ser vista nas tabelas abaixo. Ensaio de Imunidade a transitórios elétricos rápidos, IEC 61000-4-4: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 1 , tabela 7): Nível (kV) Terminais ensaiados Estação Outros Locais 0,5 0,5 Telecomunicações 1 1 Energia Elétrica o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 1 , tabela 5): Nível (kV) Portas ensaiadas 0,5 Telecomunicações 1 Energia Elétrica o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Portas Ensaiadas Estação Outros Locais 0,5 0,5 Telecomunicações, porta interna 0,5 0,5 Telecomunicações, porta externa 1 1 Alimentação AC 0,5 1 Alimentação DC Ensaio de Imunidade à perturbação de radiofreqüência conduzida, IEC 61000-4-6: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 2 , tabela 8): Faixa de freqüência Nível (V) Estação Outros Locais 0,15 a 1,8 3 10 1,8 a 80 3 3 o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 2 , tabela 6): Faixa de freqüência Nível (V) 0,15 a 1,8 10 1,8 a 80 3 o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Faixa de freqüência Nível (V) 0,15 a 80 3 O nível definido pela resolução 237 para equipamentos da rede de acesso ou na instalação do usuário , equivale ao nível 3 da norma IEC 61000-4-6, nível esse que, segundo a própria norma, deve ser aplicado para equipamentos que visam ser instalados em ambientes com extrema radiação eletromagnética, geralmente encontrados em área industrial A proposta pública 609 define o nível 3 para qualquer equipamento, até os equipamentos par centrais de telecomunicações. A norma internacional define o nível 2 de imunidade, que corresponde á ambientes comerciais. Portanto pleiteamos que os limites da norma internacional sejam adotados pela ANATEL. Ensaio de Imunidade à descargas eletrostáticas, IEC 61000-4-2: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 4 , tabela 10): Nível (kV) Forma de Estação Outros Locais aplicação da descarga 4 6 Descarga por contato 4 8 Descarga pelo ar o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 4 , tabela 8): Nível (kV) Forma de aplicação da descarga 6 Descarga por contato 8 Descarga pelo ar o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Forma de Estação Outros Locais aplicação da descarga 4 6 Descarga por contato 4 8 Descarga pelo ar Ensaio de Imunidade à surto, IEC 61000-4-5: o Requisito atual (resolução 237 Art. 9 5 , tabela 11): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Estação Outros Locais Interno Externo Interno Externo 0,5 1 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 0,5 1 Linha p/ linha Energia Elétrica 1 2 Linha p/ terra Energia Elétrica o Requisito proposto pela ANATEL (consulta pública 609 Art. 9 5 , tabela 9): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Interno Externo 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 1 Linha p/ linha Energia Elétrica 2 Linha p/ terra Energia Elétrica o Requisito proposto pela Datacom (de acordo com ETSI 300 386 v1.3.2 capítulo 7): Nível (kV) Forma de aplicação Terminais ensaiados Estação Outros Locais Interno Externo Interno Externo 0,5 1 0,5 1 Linha p/ terra Telecomunicação 0,5 1 Linha p/ linha Energia Elétrica AC 1 2 Linha p/ terra Energia Elétrica AC N.A - Energia Elétrica DC
Justificativa: Junto com contribuição
Contribuição N°: 4
ID da Contribuição: 23685
Autor da Contribuição: itautec1
Data da Contribuição: 30/05/2005 17:27:52
Contribuição: Solicitamos considerar um adiamento no prazo para receber as contribuições.
Justificativa: O assunto é bastante complexo e abrangente e merece ao nosso ver um prazo maior para apreciação dos tópicos.
 Item:  ANEXO À CONSULTA PÚBLICA No 609, DE 5 DE ABRIL DE 2005

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO  DE  EQUIPAMENTOS  DE TELECOMUNICAÇÕES  QUANTO  AOS  ASPECTOS  DE  COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA

Contribuição N°: 5
ID da Contribuição: 22424
Autor da Contribuição: sagredo1
Data da Contribuição: 11/04/2005 10:49:10
Contribuição: Como novo particpante, gostaria de ver as contribuções ja feitas, a fim de não repetir o que outros possam ja ter enviado. Obrigado, Rodrigo Sagredo
Justificativa: Asssim gostaria de saber como posso ve-las, pois não estou consiguendo no accesso, o que pode ser por nãqo conhecer os caminhos necessarios. Obrigado, Rodrigo Sagredo
 Item:  Art. 3º II
- Os Requisitos de Imunidade a Perturbações Eletromagnéticas aplicam-se aos equipamentos classificados como Produtos para Telecomunicações da Categoria I e Categoria II, conforme definido na regulamentação específica mencionada no inciso I do art. 2 , desde que destinados ao uso do público em geral (ver Anexo II).
Contribuição N°: 6
ID da Contribuição: 23688
Autor da Contribuição: j.martinho
Data da Contribuição: 30/05/2005 20:25:32
Contribuição: Os Requisitos de Imunidade a Perturbações Eletromagnéticas aplicam-se aos equipamentos classificados como Produtos para Telecomunicações da Categoria I e Categoria II, conforme definido na regulamentação específica mencionada no inciso I do art. 2 , desde que destinados ao uso do público em geral (ver Anexo II), com exceção daqueles classificados como Equipamentos de Radiação Restrita.
Justificativa: Os telefônes sem cordão são considerados Equipamentos De Radiação Restrita. No Brasil estes telefones operam nas faixas de frequencia de 902 a 928MHz, 2,4 a 2,4835GHz e 5,725 a 5,850GHz que são bandas de frequências conhecidas internacionalmente por ISM (Industrial Scientific and Medical). Essas bandas foram criadas pela FCC (Federal Communication Comission) e são adotadas em lugares como: Estados Unidos, Canadá, México, América Central, América do Sul e vários outros países inclusive o Brasil. O orgão criador dessas normas (FCC), não exige para fins de certificação os testes de Imunidade a Perturbações Eletromagnéticas para equipamentos de radiação restrita. Dado o grande número de usuários para estes tipos de equipamentos, a industria de componentes eletrônicos para estes produtos atingiu altos volumes de venda, o que consequentemente reduziu os custos destes componentes possibilitando assim a comercialização de equipamentos de radiação restrita a custos baixos. Observamos na análise da referida consulta pública, que vários itens da mesma, tem sua origem nas normas Européias que não utilizam as bandas ISM, e sim outras bandas de frequêcia e com tecnologia digital (1.8 GHz para os telefones com tecnologia DECT, por exemplo). Estes equipamentos com tecnologia digital são mais imunes às perturbações eletromagnéticas sugeridas nestas normas. Entretanto os sistemas analógicos permitidos nas bandas ISM, são muito mais suceptíveis à estas perturbações. Nós da Intelbras, testamos nos laboratórios do CPQD (Campinas - SP) entre os dias 24 e 25 de Maio de 2005, 4 telefones analógicos sem cordão das marcas SIEMENS, MOTOROLA, GE e INTELBRAS e constatamos que nenhuma delas atende aos requisitos de Imunidade a Perturbações Eletromagnéticas solicitados pela referida consulta pública. Por acreditarmos nas razões acima descritas, nós da Intelbras sugerimos a modificação do Art.3 II da referida consulta pública conforme o texto descrito no campo contribuição ou uma prorrogação de 90 dias no prazo desta consulta pública para que se possa discutir com mais profundidade as solicitações da mesma.
 Item:  Art. 8º §8o c)
c) Na ausência de outra especificação, a faixa de exclusão de transmissão  a ser considerada durante os ensaios de emissão de perturbações eletromagnéticas, é definida como sendo a faixa delimitada por freqüências que se distanciam da freqüência fundamental de emissão em 250% da largura da faixa de freqüência de separação entre canais, ou da largura de faixa  necessária da emissão do transmissor em questão.
Contribuição N°: 7
ID da Contribuição: 23686
Autor da Contribuição: vellano
Data da Contribuição: 30/05/2005 18:29:27
Contribuição: onde se lê: largura de faixa necessária da emissão do transmissor em questão, alterar para largura de faixa prescrita em regulamentação específica para a emissão do transmissor em questão.
Justificativa: Faz-se necessária a mudança para não prejudicar aqueles fabricantes que venham a utilizar circuitos de melhor concepção e que utilizem larguras de faixa mais estreitos que o especificado e privilegiar aqueles fabricantes que utilizem larguras de faixa maiores devido a qualidade de seu circuito de sintonia.
 Item:  Art. 10 XI
XI   Na ausência de outras prescrições em regulamentação específica do produto, deve-se considerar a  faixa de exclusão  de recepção como sendo a faixa de freqüência necessária para a operação do equipamento,  estendida, em cada um  dos extremos de freqüência, em 5% do valor da freqüência central da faixa.
Contribuição N°: 8
ID da Contribuição: 23687
Autor da Contribuição: vellano
Data da Contribuição: 30/05/2005 18:29:27
Contribuição: Onde se lê: estendida, em cada um dos extremos de freqüência, em 5% do valor da freqüência central da faixa, ou estendida por uma faixa suficiente para que a perturbação aplicada não recaia em frequencias imagens.
Justificativa: Concluiu-se que a faixa de exclusão de recepção é bastante variante dependendo do produto e a faixa 5% pode não ser suficiente para que a perturbação não recai sobre a canalização.
 Item:  Art. 14 §3°
3 Para verificação dos requisitos de resistibilidade, o equipamento a ser certificado deve estar energizado em sua tensão nominal.
Contribuição N°: 9
ID da Contribuição: 23473
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:48:59
Contribuição: Para verificação dos requisitos de resistibilidade, o equipamento a ser certificado deve estar energizado em sua tensão nominal e ser ensaiado em todo e qualquer modo de operação de duração significativa (exemplos: no caso de telefone, monofone fora do gancho e no gancho, para equipamento de fac-símile ou modem enlace fechado e aberto).
Justificativa: Uniformidade com a norma Internacional ITU-k.44 e também maior esclarecimento do procedimento, afim de uniformizar os métodos utilizados pelos diferentes laboratórios;
 Item:  Art. 14 §5° a)

a) Para a perturbação especificada no art.13, parágrafo 1 , devem ser realizadas 10 (dez) aplicações em modo comum (ver Figura I.1) e 10 (dez) em modo diferencial (ver Figura I.2), sendo 5 (cinco) aplicações na polaridade positiva e 5 (cinco) na polaridade negativa.

Contribuição N°: 10
ID da Contribuição: 23474
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:48:59
Contribuição: Para a perturbação especificada no art.13, parágrafo 1 , devem ser realizadas 10 (dez) aplicações em modo comum (ver Figura I.1) e 10 (dez) em modo diferencial (ver Figura I.2), sendo 5 (cinco) aplicações na polaridade positiva e 5 (cinco) na polaridade negativa. Para cada polaridade deverão ser aplicados 3 impulsos com o enlace aberto (monofone no gancho) e 2 impulsos com o enlace fechado (monofone fora do gancho).
Justificativa: Maior esclarecimento do procedimento, afim de uniformizar os métodos utilizados pelos diferentes laboratórios;
 Item:  Art. 14 §5° b)
b) Para a perturbação especificada no art.13, parágrafo 2 , devem ser realizadas 10 (dez) aplicações em modo comum (ver Figura I.1), sendo 5 (cinco) aplicações na polaridade positiva e 5 (cinco) na polaridade negativa.
Contribuição N°: 11
ID da Contribuição: 23475
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:48:59
Contribuição: Caso exista mais de um modo de operação, em cada polaridade deverão ser aplicados 3 impulsos com o enlace aberto e 2 impulsos com o enlace fechado.
Justificativa: Maior esclarecimento do procedimento, afim de uniformizar os métodos utilizados pelos diferentes laboratórios;
 Item:  Art. 14 §5° c)
c) Para a perturbação especificada no art.13, parágrafo 3 , devem ser realizadas 5 (cinco) aplicações  em modo comum (ver Figura I.1) e 5 (cinco) em modo diferencial (ver Figura I.2).
Contribuição N°: 12
ID da Contribuição: 23476
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:48:59
Contribuição: Para cada modo deverão ser aplicados 3 pulsos com o enlace aberto (monofone no gancho) e 2 pulsos com o enlace fechado (monofone fora do gancho).
Justificativa: Maior esclarecimento do procedimento, afim de uniformizar os métodos utilizados pelos diferentes laboratórios;
 Item:  Art. 14 §6°
6 A critério do laboratório, poderão ser aplicadas perturbações adicionais, com intensidades (tensão de circuito aberto) inferiores à especificada, de forma a verificar a resistibilidade do equipamento a ser certificado para estas perturbações.
Contribuição N°: 13
ID da Contribuição: 23477
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:48:59
Contribuição: Deletar esse Artigo
Justificativa: A falta de obrigatoriedade pode causar resultados defirentes.
 Item:  Art.15 §1° d)
d) Estando apenas a rede de acoplamento conectada ao gerador, a relação entre os valores de pico da tensão de circuito aberto e da corrente de curto-circuito medidas nos terminais que serão conectados ao ESC deve corresponder à impedância do gerador, conforme indicado na Figura I.5.
Contribuição N°: 14
ID da Contribuição: 23478
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:56:35
Contribuição: Estando apenas a rede de acoplamento conectada ao gerador, a relação entre os valores de pico da tensão de circuito aberto e da corrente de curto-circuito medidas nos terminais que serão conectados ao ESC deve corresponder à impedância do gerador (27,5 ohms 10% com todas as linhas para o terra), conforme indicado na Figura I.5.
Justificativa: Maior esclarecimento do valor da impedância a qual não é muito clara na figura referenciada;
 Item:  Art.15 §2° a)
a) A porta sob ensaio não necessita ser energizada.
Contribuição N°: 15
ID da Contribuição: 23479
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:56:35
Contribuição: a) A porta sob ensaio não necessita ser energizada, no entanto ela deve ser conectada a uma terminação, que simule as condições de operação.
Justificativa: Maior esclarecimento da necessidade de terminação nesta porta;
 Item:  Art.15 §2° c)
c) Estando apenas a rede de acoplamento conectada ao gerador, a relação entre os valores de pico da tensão de circuito aberto e da corrente de curto-circuito medidas nos terminais que serão conectados ao ESC deve corresponder à impedância do gerador, conforme indicado na Figura I.6.
Contribuição N°: 16
ID da Contribuição: 23480
Autor da Contribuição: jamilson
Data da Contribuição: 04/05/2005 09:56:35
Contribuição: c) Estando apenas a rede de acoplamento conectada ao gerador, a relação entre os valores de pico da tensão de circuito aberto e da corrente de curto-circuito medidas nos terminais que serão conectados ao ESC deve corresponder à impedância do gerador, (53 ohms 10%, com todas as linhas para o terra) conforme indicado na Figura I.6.
Justificativa: Maior esclarecimento do valor da impedância a qual não é muito clara na figura referenciada;