Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas

 Data: 10/08/2022 02:32:11
 Total de Contribuições:24

CONSULTA PÚBLICA Nº 39


 Item:  item 5.6
Contribuição N°: 1
ID da Contribuição: 38636
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:06:38
Contribuição: 5.6. Proteção de circuitos. 5.6.1. Nenhum circuito do SR deve receber alimentação direta, sem proteção, de fonte de baixa impedância, exceto, se o circuito (placa de alarmes, supervisão, etc) a ser alimentado possuir proteção interna.
Justificativa: Desta forma os circuitos ficam mais limpos e a segurança é mantida.
 Item:  item 5.7

5.7. Integração dos circuitos de supervisão e sinalização.

 

5.7.1. Todas as informações de supervisão e sinalização relativas ao SR devem estar concentradas na unidade de supervisão, de modo a permitir o gerenciamento remoto de suas funcionalidades.

Contribuição N°: 2
ID da Contribuição: 38637
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:06:38
Contribuição: 5.7. Integração dos circuitos de supervisão e sinalização. 5.7.1. Todas as informações de supervisão e sinalização relativas ao SR devem estar concentradas na unidade de supervisão, de modo a permitir o gerenciamento remoto de suas funcionalidades através de porta de comunicação (exemplo: RS232, RS485, USB ou outras).
Justificativa: Atualmente as soluções necessitam de tais portas de comunicação para realizar o gerencialmento remoto.
 Item:  item 5.8

5.8. Sinalizações locais.

 

5.8.1. O SR deve permitir, no mínimo, a identificação no painel frontal dos seguintes eventos:

 

 - Retificador com defeito (anormal);

 - Fusível interrompido;

 - Bateria em carga;

 - Bateria em descarga;

 - Tensão alta de consumidor;

 - Desconexão CC;

 - Alimentação CA anormal.

 

5.8.2. No caso de utilização de display deve ser previsto pelo menos uma indicação luminosa para sinalizar a presença de alarme.

 

5.8.3. A informação correspondente à bateria em carga e alimentação CA anormal deve ser indicada por sinalização de cor amarela. Os demais eventos devem ser identificados por sinalização de cor vermelha.
Contribuição N°: 3
ID da Contribuição: 38638
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:06:38
Contribuição: 5.8. Sinalizações locais. 5.8.1. O SR deve permitir, no mínimo, a identificação no IHM (Interface Homem/Máquina) dos seguintes alarmes: - Retificador com defeito (falha ou alguma anormalidade); - Fusível/Disjuntor interrompido; - Bateria em carga (+28,8V ou -57,6V); - Bateria em descarga (+24,6V ou -49,2V); - Tensão alta de consumidor (+29,2V ou -58,5V); - Desconexão CC (+21V ou -42V); - Alimentação CA anormal em todos os retificadores. 5.8.2. No caso de utilização de display deve ser previsto pelo menos uma indicação luminosa para sinalizar a presença de alarme. 5.8.3. A informação correspondente à bateria em carga e alimentação CA anormal deve ser indicada por sinalização de cor amarela. Os demais eventos devem ser identificados por sinalização de cor vermelha.
Justificativa: Definir onde deve ser identificado os alarmes e também os valores padrões para os sistemas.
 Item:  item 5.9

5.9. Sinalização remota.

 

5.9.1. O SR deve disponibilizar, no mínimo, as seguintes sinalizações remotas:

 

 - Perda da supervisão através de contato seco de relé;

 - Retificador com defeito (ou anormal);

 - Desconexão CC (quando aplicável);

 - Fusível interrompido/disjuntor aberto;

 - Alimentação CA anormal;

 - Bateria em descarga;

 - Tensão alta para o consumidor;

 - Bateria em carga (quando aplicável).

 

5.9.2. As sinalizações remotas devem ser feitas através de sinais de terra (0V) ou disponibilizadas através de contatos secos de relés.

 

5.9.3. Para o caso de SR que utilize controle/supervisão com acesso remoto, admite-se alternativamente que os sinais citados no item 5.8.1 sejam agrupados em função do grau de severidade (urgente, não urgente e advertência).
Contribuição N°: 4
ID da Contribuição: 38639
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:06:38
Contribuição: 5.9. Sinalização remota. 5.9.1. O SR deve disponibilizar, no mínimo, as seguintes sinalizações remotas: - Urgente; - Não Urgente; - Advertência. 5.9.2. As sinalizações remotas devem ser feitas através de sinais de terra (0V presente representa a condição sem alarme) ou disponibilizadas através de contatos secos de relés.
Justificativa: O agrupamento permite identificar o grau de severidade do atendimento remoto ao sistema e o sinal de 0V presente representando a condição sem alarme é uma lógica segura que permite identificar fios rompidos, etc.
Contribuição N°: 5
ID da Contribuição: 38654
Autor da Contribuição: marco akio
Data da Contribuição: 22/09/2008 12:46:48
Contribuição: Desde que não seja uma condição obrigatória somente a sinalização de perda de supervisão ser em contato seco, ela não precisa estar contida no texto, pois, no item 5.9.2) informa que os alarmes podem ser em contato seco OU envio de sinal terra.
Justificativa: Seria apenas uma correção no texto.
 Item:  item 5.10

5.10. Telesupervisão.

 

5.10.1. O SR deve estar preparado para operação e supervisão remota. As seguintes informações devem estar disponíveis para processamento pelo sistema de gerenciamento e telesupervisão:

 

 - Todas as sinalizações previstas no item 5.9.1;

 - Estado das UR (serviço ou defeito);

 - Valor da corrente de saída do SR para os consumidores;

 - Valor da corrente de saída do SR para as baterias;

 - Valor da tensão de saída do SR.
Contribuição N°: 6
ID da Contribuição: 38640
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:06:38
Contribuição: 5.10. Telesupervisão. 5.10.1. O SR deve estar preparado para operação e supervisão remota. As seguintes informações devem estar disponíveis para processamento pelo sistema de gerenciamento e telesupervisão: - Todas as sinalizações previstas no item 5.8.1; - Estado das UR (serviço ou defeito); - Valor da corrente de saída do SR para os consumidores; - Valor da corrente de saída do SR para as baterias; - Valor da tensão de saída do SR.
Justificativa: Corrigindo a referência para o item 5.8.1
 Item:  item 5.11

5.11. Comandos manuais.

 

5.11.1 O SR deve conter na sua parte frontal, dispositivos/chaves para a realização dos seguintes comandos manuais:

 

a) Chave de baterias ou dispositivo apropriado que permita a comutação de todas as UR para uma das seguintes alternativas de funcionamento:

 

 - Flutuação das baterias;

 - Carga das baterias.

 - Dispositivo de reposição que permita desfazer, simultaneamente, todos os eventos memorizados no SR. A atuação desse dispositivo deve independer da velocidade de operação, não permitindo que o equipamento se mantenha ligado em condição de defeito por acionamento contínuo.
Contribuição N°: 7
ID da Contribuição: 38156
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 13:45:49
Contribuição: O terceiro item - Dispositivo de reposição que permita..... deve ser considerado como letra b) .
Justificativa: Dispositivo de reposição não pertence a chave de baterias.
Contribuição N°: 8
ID da Contribuição: 38641
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:31:05
Contribuição: Retirar este item dos requisitos
Justificativa: Atualmente os produtos permitem realizar tais funções via unidade de supervião e estes dispositivos não agregam valores aos produtos.
 Item:  item 5.12

5.12. Medições.

 

 

5.12.1. O SR deve permitir localmente leitura direta das seguintes grandezas:

 

 - Corrente de consumidor;

 - Corrente da bateria;

 - Tensão de saída do SR.

 

5.12.2. Os instrumentos de medidas devem, obrigatoriamente, ser do tipo digital, com mínimo de 3 dígitos e classe de exatidão de 0,5% +1 dígito, medidos na potência nominal, podendo ser incluídos em display único.

 

5.12.3. SR com capacidade de saída igual ou inferior a 2880W podem conter apenas bornes para monitoração das correntes e tensão de saída.
Contribuição N°: 9
ID da Contribuição: 38164
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 14:15:16
Contribuição: A classe de exatidão solicitada deve ser subdividida por tipo de medição: - tensão CC: 0,5% + 1 digito - tensão CA: 1% + 1 digito - Corrente CC: 2% + 1 digito
Justificativa: Um bom transdutor de corrente CC (efeito Hall), possui tolerância de 1% em fundo de escala. Se considerarmos um processamento analógico do sinal e posteriormente um tratamento digital (conversor A/D), a tolerância solicitada se torna impraticável. Medições CA também tem sua precisão afetada em função da isolação galvânica do sinal a ser medido. Penso que os valores que acima propus são rigorosos e dentro da realidade.
 Item:  item 6.4

6.4. Emissão eletromagnética - EMI.

 

6.4.1. O SR não deve emitir perturbações que excedam os limites para equipamentos classe A, medidos conforme especificado nos itens V até VIII, das Referências.

 

6.4.2. Os limites para tensão de perturbação conduzida devem ser verificados nos terminais de entrada CA, saída CC e pontos de acesso direto a redes de telecomunicação.
Contribuição N°: 10
ID da Contribuição: 38165
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 14:43:57
Contribuição: Trocar itens V até VIII por itens VII e VIII .
Justificativa: Referências para EMI são as normas CISPR 22 (referência VII) e CISPR 11 (referência VIII).
 Item:  item 6.5

6.5. Distorção harmônica total - THD.

 

6.5.1. O SR não deve provocar distorção na corrente de entrada superior a 15%, na condição de potência nominal de saída, considerando uma distorção máxima na tensão da rede de 2% e impedância de rede máxima de 1% (corrente de curto-circuito igual a 100 vezes a corrente nominal de entrada do SR).

Contribuição N°: 11
ID da Contribuição: 38642
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:31:05
Contribuição: Retirar este item dos requisitos
Justificativa: Porque se a unidade retificadora (UR) já atende o THD de corrente, então, torna-se este teste desnecessário no SR.
 Item:  item 6.7

6.7. Imunidade a surtos.

 

6.7.1. O SR deve ser imune a surtos elétricos de 4kV em modo comum, e de 2kV em modo diferencial,aplicados nos terminais de entrada da alimentação CA, de acordo com o especificado no item IV, das Referências.

 

6.7.2. É permitido que durante a aplicação da perturbação ocorram anormalidades no funcionamento do equipamento, sem perda de nenhuma funcionalidade.

 

6.7.3. Após a aplicação da perturbação o equipamento deve atender a todas as suas especificações técnicas, sem sinalização memorizada de qualquer anormalidade.
Contribuição N°: 12
ID da Contribuição: 38166
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 14:52:58
Contribuição: Trocar item IV por item V .
Justificativa: Referência para surto é a IEC61000-4-5 (item V).
 Item:  item 6.8

6.8. Tensão de saída.

 

6.8.1. As faixas de ajuste garantidas da tensão de saída e a tensão de ajuste de referência, para o SR, devem atender os valores da tabela 3:

 

Tipo de bateria

Tensão nominal

Faixa de ajustes (V)

Ajuste de referência (V)

Flutuação

Carga

Flutuação

Carga

Mín.

Máx.

Mín.

Máx.

Ventilada

24V

23,0

28,0

26,0

29,2

26,4

28,8

VRLA

27,0

Não aplicável

Ventilada

48V

45,0

56,0

48,0

58,4

52,8

57,6

VRLA

54,0

Não aplicável

 

Tabela 3 - Faixa de ajustes e valores de referência.

 

6.8.2. Os valores de ajuste em campo devem ser determinados em função do tipo da bateria (ácida ventilada ou regulada por válvula) e das tensões de flutuação e carga recomendadas pelo fabricante da bateria.
Contribuição N°: 13
ID da Contribuição: 38643
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:31:05
Contribuição: Alterar a faixa de ajuste de carga máxima para 29,0V (24V) e 58,0V (48V).
Justificativa: As baterias não necessiatam de valores maiores que os sugeridos.
 Item:  item 6.15

6.15. Resistência de isolamento.

 

6.15.1. O SR deve atender aos valores definidos, medidos por meio de megohmetro, com tensão igual ou superior a 500Vcc. Observar para que os valores medidos sejam iguais ou maior a 20MW:

 

 - Entre entradas CA interligadas entre si e saídas (+) e (-) interligadas entre si;

 - Entre entradas CA interligadas entre si e à massa (carcaça do gabinete);

 - Entre saídas (+) e (-) interligadas entre si e à massa (carcaça do gabinete).

 

6.15.2. Admite-se retirar os varistores de modo comum e os capacitores supressores de EMI durante a realização deste teste.

Contribuição N°: 14
ID da Contribuição: 38644
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:31:05
Contribuição: 6.15. Resistência de isolamento. 6.15.1. O SR deve atender aos valores definidos, medidos por meio de megohmetro, com tensão igual ou superior a 500Vcc. Observar para que os valores medidos sejam iguais ou maior a 2MOhms: - Entre entradas CA interligadas entre si e saídas (+) e (-) interligadas entre si; - Entre entradas CA interligadas entre si e à massa (carcaça do gabinete); - Entre saídas (+) e (-) interligadas entre si e à massa (carcaça do gabinete). 6.15.2. Admite-se retirar os varistores de modo comum e os capacitores supressores de EMI durante a realização deste teste.
Justificativa: Este novo valor sugerido esta sendo utilizado mundialmente e garante segurança necessária para os equipamentos e para as pessoas.
 Item:  item 6.16

6.16. Sensor de bateria em descarga.

 

6.16.1. O sensor deve detectar quando a tensão das baterias atingir o valor correspondente a 2,05V/elemento de bateria ácida.

 

6.16.2. A histerese entre os níveis inferior ( operação )  e superior ( desoperação ) de detecção do sensor  deve ser aproximadamente 1,0V para SR com tensão nominal de 48V e 0,5V para SR com tensão nominal de 24V.

 

6.16.3. O sensor deve comandar o acionamento da sinalização local e remota de bateria em descarga.

 

6.16.4. Para ajuste do sensor de bateria em descarga devem ser atendidas as seguintes faixas:

 

a) 46,0V a 49,5V para SR com tensão nominal de 48V;

b) 23,0V a 24,8V para SR com tensão nominal de 24V.

 

6.16.5. O ponto de ajuste do sensor deve ser feito conforme os seguintes valores:

 

a) 49,2V para 24 elementos de bateria ácida;

b) 24,6V para 12 elementos de bateria ácida.
Contribuição N°: 15
ID da Contribuição: 38167
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 15:06:55
Contribuição: Substituir o texto deve ser aproximadamente 1,0V para SR com tensão nominal de 48V e 0,5V para SR com tensão nominal de 24V. por deve ser 1,0V 0,2V para SR com tensão nominal de 48V e 0,5V 0,1V para SR com tensão nominal de 24V.
Justificativa: A palavra aproximadamente não deve ser usada em uma especificação. As tolerâncias que sugiro já são usadas nesta norma para tolerâncias de sensores de tensão CC em sistemas de 48V e 24V.
 Item:  item 6.17

6.17. Sensor de alimentação CA anormal.

 

 

6.17.1. O sensor deve ter meios de detectar os seguintes eventos:

 

 - Falha de uma ou mais fases da alimentação geral de corrente alternada do SR;

 - Sobre tensão de entrada CA do SR, com atuação a partir de +15% da tensão nominal;

 - Sub tensão de entrada CA do SR, com atuação a partir de um valor entre -15% a -20% da tensão nominal.

 

6.17.2. Caso o SR admita uma faixa de tensão de alimentação mais larga que a definida no item 6.2, mantendo os demais requisitos desta norma, admite-se que os pontos de atuações deste sensor excedam os limites especificados definidos no item mencionado, podendo ser individualizados nas UR.

 

6.17.3. Deve ter ação imediata para início de atuação ( operação ) e retardada em 60 10 segundos para término de atuação ( desoperação ), aplicável à detecção de qualquer tipo de anormalidade na alimentação CA (sobre ou subtensão, falha total ou parcial das fases).

 

6.17.4. A atuação desse sensor deve implicar:

 

 - Bloqueio dos retificadores, exceto na ocorrência de falha de fase em SR composto de UR monofásicas;

 - Sinalização local e remota de alimentação CA anormal.

 

6.17.5. Admite-se, alternativamente, a operação da SR dentro de faixas ampliadas desde que as condições de segurança sejam obedecidas, ou seja, é possível que as UR continuem em operação com tensão abaixo do limite especificado nesta Norma, desde que mantidas todas as outras características e proteções garantidas pela SR.
Contribuição N°: 16
ID da Contribuição: 38168
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 15:10:49
Contribuição: Trocar o texto 6.17.5. Admite-se, alternativamente, a operação da SR dentro de faixas ampliadas desde que as condições de segurança sejam obedecidas, ou seja, é possível que as UR continuem em operação com tensão abaixo do limite especificado nesta Norma, desde que mantidas todas as outras características e proteções garantidas pela SR. por 6.17.5. Admite-se, alternativamente, a operação do SR dentro de faixas ampliadas desde que as condições de segurança sejam obedecidas, ou seja, é possível que as UR continuem em operação com tensão abaixo do limite especificado nesta Norma, desde que mantidas todas as outras características e proteções garantidas pelo SR.
Justificativa: Erro de artigo, SR é tratado no masculino.
 Item:  item 6.19

6.19. Sensor de carga automática das baterias.

 

6.19.1. O sensor deve detectar quando a corrente que flui para as baterias exceder ou se tornar inferior a determinado valor, designado por corrente crítica (Ic) e expresso em mA/Ah da capacidade nominal total das baterias instaladas.

 

6.19.2. O sensor deve comandar, automaticamente, o processamento de carga das baterias e o envio das sinalizações correspondentes (local e remota) sempre que for ultrapassado o valor da corrente crítica (Ic).

6.19.3. Deve ser previsto retardo compreendido entre 5 a 30 minutos, que evite o comando desnecessário deste sensor após curto período de descarga das baterias, quando as mesmas podem se recuperar somente em flutuação.

 

6.19.4. O comando de desligamento do sistema de carga das baterias ( desoperação do sensor ) deve ser emitido sempre que o valor da corrente que flui para as baterias se tornar inferior ao valor da corrente crítica (Ic). Adicionalmente, deve ser previsto um circuito de temporização prefixado num valor entre 30 a 50 horas, que permita este comando caso a corrente não atinja o valor da corrente crítica (Ic).

 

6.19.5. A histerese entre os pontos de atuação do sensor ( operação e desoperação ) deve ter um valor compreendido na faixa de 3% a 7% do valor da corrente crítica (Ic).

 

6.19.6. Para ajuste do sensor de carga automática das baterias deve ser atendida a seguinte faixa garantida de corrente crítica (Ic):

 

a) 2mA/Ah até 22mA/Ah da capacidade nominal total das baterias instaladas, admitindo-se uma tolerância de até +10% em relação ao limite superior de ajuste garantido;

b) Não há restrições quanto ao limite inferior de ajuste garantido de corrente crítica (Ic).

 

6.19.7. Exclusivamente, para efeito de dimensionamento do sensor, considerar a tabela 6.

 

Capacidade do SR

Faixa garantida para ajuste de IC

Mínima

Máxima

20A

80mA

4,4A

30A

120mA

6,6A

40A

160mA

8,8A

50A

200mA

11A

60A

240mA

13,2A

100A

400mA

22A

200A

800mA

44A

400A

1,6A

88A

600A

2,4A

132A

800A

3,2A

176A

1200A

4,8A

264A

2400A

9,6A

528A

 

Tabela 6 - Dimensionamento do sensor de carga automática.
Contribuição N°: 17
ID da Contribuição: 38169
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 15:16:31
Contribuição: No item 6.19.4, trocar o texto ...entre 30 a 50 horas, que permita este comando caso a corrente não atinja o valor da corrente crítica (Ic). por ...entre 30 a 50 horas, que permita cancelar este comando caso a corrente não atinja o valor da corrente crítica (Ic). .
Justificativa: Frase sem sentido, faltou a palavra cancelar .
Contribuição N°: 18
ID da Contribuição: 38645
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:31:05
Contribuição: Acrescentar no item 6.19.1: OBS: Podem ser empregados outros métodos equivalentes de detecção e comando desde que comprovem sua eficiência.
Justificativa: Existem outros métodos que são utilizados mundialmente e que garantem ótimos resultados. Exemplo: Início de carga automática: Quando a corrente de recarga da bateria exceder um valor pré-definido por 3 minutos (por exemplo depois de uma falha de rede), a função de carga automática é iniciada pela ACU. Um sinal de carga é enviado pela unidade de supervisão para os retificadores para que estes aumentem sua tensão de saída até o nível estabelecido de carga para as baterias. Fim da carga automática: Quando a corrente de carga cai abaixo de um valor pré-definido (normalmente ajustado em 1% de C10), é iniciada uma contagem de tempo, após a qual será finalizado o processo de carga de baterias. A tensão dos retificadores retornará então para o nível de flutuação. Por segurança, existe um tempo máximo que a função de carga de baterias pode permanecer ativa (normalmente ajustado em 12 horas), mesmo que a corrente de carga nunca caia abaixo do valor pré-definido.
Contribuição N°: 19
ID da Contribuição: 38656
Autor da Contribuição: marco akio
Data da Contribuição: 22/09/2008 14:22:26
Contribuição: Alteração para o texto: 6.19.4) O comando de desligamento do sistema de carga das baterias ( desoperação do sensor ) deve ser emitido sempre que o valor da corrente que flui para as baterias se tornar inferior ao valor da corrente crítica (Ic). OPCIONALMENTE, PODERÁ ser previsto um circuito de temporização prefixado num valor entre 0 a 60 MINUTOS, que permita CANCELAR este comando DE CARGA caso a corrente não atinja o valor da corrente crítica (Ic), TAMBÉM DEVERÁ SER PREVISTO UMA SINALIZAÇÃO VISUAL QUE o COMANDO DE CARGA ESTÁ INIBIDO POR TEMPO DE IC ULTRAPASSADO.
Justificativa: Se o objetivo desta temporização é prover uma proteção reduntante ao sensor de carga para as baterias, que em caso da corrente Ic não decrescer abaixo do valor especificado permitar inibir o comando de carga, um alarme ou sinalização deve ser provido para que seja reajustado o valor da corrente critica ou trocado as baterias.
 Item:  item 6.21

6.21. Sensor para desconexão CC.

 

6.21.1. O sensor deve comandar a desconexão das baterias, pela abertura de contator ou equivalente, após a detecção de tensão na saída do SR igual ao valor de tensão final de descarga das baterias.

 

6.21.2. O sensor deve comandar o acionamento das sinalizações local e remota relativas à desconexão.

 

6.21.3. Para ajuste do sensor de desconexão devem ser atendidas as faixas garantidas a seguir:

 

a) 38,0V a 44,0V para SR com tensão nominal de 48V;

b) 18,0V a 22,0V para SR com tensão nominal de 24V.

 

6.21.4. O sensor deve comandar a reconexão das baterias após o restabelecimento da tensão de saída do SR especificadas no item 6.21.3.

 

6.21.5. Alternativamente, a desconexão pode ser feita seletivamente no ramal de consumidor, de forma escalonada, porém mantendo o desligamento final de todos os estágios dentro das faixas.

 

6.21.6. Deve ser previsto dispositivo manual que permita o by-pass do contator ou equivalente, em caso de manutenção neste componente ou no sensor.
Contribuição N°: 20
ID da Contribuição: 38170
Autor da Contribuição: PHB
Data da Contribuição: 10/09/2008 15:20:25
Contribuição: No item 6.21.4, eliminar o texto especificadas no item 6.21.3 .
Justificativa: Não faz sentido, a frase trata da reconexão e não da desconexão.
Contribuição N°: 21
ID da Contribuição: 38646
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:46:53
Contribuição: 6.21. Sensor para desconexão CC. 6.21.1. O sensor deve comandar a desconexão das baterias, pela abertura de contator ou equivalente, após a detecção de tensão na saída do SR igual ao valor de tensão final de descarga das baterias. 6.21.2. O sensor deve comandar o acionamento das sinalizações local e remota relativas à desconexão. 6.21.3. Para ajuste do sensor de desconexão devem ser atendidas as faixas garantidas a seguir: a) 42,0V a 44,0V para SR com tensão nominal de 48V; b) 21,0V a 22,0V para SR com tensão nominal de 24V. 6.21.4. O sensor deve comandar a reconexão das baterias após o restabelecimento da tensão de saída do SR especificadas no item 6.21.3. 6.21.5. Alternativamente, a desconexão pode ser feita seletivamente no ramal de consumidor, de forma escalonada, porém mantendo o desligamento final de todos os estágios dentro das faixas. 6.21.6. Deve ser previsto dispositivo manual que permita o by-pass do contator ou equivalente, em caso de manutenção neste componente ou no sensor.
Justificativa: Os ajustes da tensão mínima de desconexão sugeridos são os valores mínimos que os fabricantes de baterias solicitam para garantir as performaces das mesmas.
Contribuição N°: 22
ID da Contribuição: 38655
Autor da Contribuição: marco akio
Data da Contribuição: 22/09/2008 13:38:30
Contribuição: Este sensor bem como o contator de desconexão CC devia ser opcional.
Justificativa: Existem empresas que adotam sistemáticas diferentes quanto ao contator, a exemplo, temos dois tipos de consumidores, aqueles que preferem sacrificar as baterias com uma descarga profunda priorizando o fornecimento de energia para manter a comunicação do cliente por mais tempo, e outros que buscam preservam as baterias. O contator é um custo adicional que as empresas que não o usam acabam fazendo uma ponte ( jumper ) nele.
 Item:  item 6.22

6.22. Sensor de tensão alta de consumidor.

 

6.22.1. Deve detectar tensão de saída para consumidor acima do limite superior especificado.

 

6.22.2. Deve comandar o acionamento das sinalizações local (memorizada) e remota (sem memorização).

 

6.22.3. O sensor deve comandar o bloqueio (com memorização) de todas as unidades retificadoras.

 

6.22.4. Para ajuste do sensor de tensão alta para consumidor devem ser atendidas as seguintes faixas:

 

a) 52,0V a 60,0V para SR com tensão nominal de 48V;

b) 26,0V a 30,0V para SR com tensão nominal de 24V.

Contribuição N°: 23
ID da Contribuição: 38647
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:46:53
Contribuição: 6.22. Sensor de tensão alta de consumidor. 6.22.1. Deve detectar tensão de saída para consumidor acima do limite superior especificado. 6.22.2. Deve comandar o acionamento das sinalizações local (sem memorização) e remota (sem memorização). 6.22.4. Para ajuste do sensor de tensão alta para consumidor devem ser atendidas as seguintes faixas: a) 52,0V a 60,0V para SR com tensão nominal de 48V; b) 26,0V a 30,0V para SR com tensão nominal de 24V.
Justificativa: Atualmente os produtos possuem histórico de alarmes (com registro de mais de 200 alarmes) e as unidades retificadoras possuem sobretensão intrinseca que bloqueiam as unidades com defeito. Portanto, a memorização deste alarme no SR é totalmente desnecessário. Retirar o item 6.22.3: Conforme justificativa acima
 Item:  item 8.1

8. Codificação.

 

8.1. De acordo com a alimentação CA de entrada (monofásica ou trifásica), a tensão de saída e a corrente nominal de saída, deve ser estabelecida a seguinte codificação para o SR:

 

SR (x) A / (y) V/ (p) W / z.k.m

 

Onde:

 

(x) indica a corrente nominal de saída do SR.

(y) indica a tensão nominal de saída do SR.

(p) indica a potência nominal de saída do SR.

 

z

SR

k

UR utilizada

m

Tensão de alimentação

1

Com circuito de desconexão

3

Ventilação natural

1

1f-127V

2

Sem circuito de desconexão

4

Ventilação forçada

2

1f-220V

 

 

 

 

3

3f-220V

 

 

 

 

4

3f-380V

 

 

 

 

5

1f-Faixa larga ( fullrange )

 

 

 

 

6

3f-Faixa larga ( fullrange )

 

Tabela 10   Codificação para SR.

 

 

 

 

 

Exemplos:

 

 - SR 40A/-48V/2160W/1.3.2 - SR de 40A, tensão nominal de saída de -48V com positivo aterrado, potência nominal de saída de 2160W, com circuito de desconexão, utilizando UR com ventilação natural e tensão nominal de alimentação monofásica de 220Vca.

 

 - SR 600A/+24V/16200W/1.4.3 - SR de 600A, tensão nominal de saída de +24V com negativo aterrado, potência nominal de saída de 16200W, com circuito de desconexão, utilizando UR com ventilação forçada e tensão nominal de alimentação trifásica de 220Vca.

 

 - SR 1333A/-48V/72000W/2.3.4 - SR de 1333A, tensão nominal de saída de -48V com positivo aterrado, potência nominal de saída de 72000W, sem circuito de desconexão, utilizando UR com ventilação natural e tensão nominal de alimentação trifásica de 380Vca.

 

 - SR 20A/-48V/1080W/1.4.5 - SR de 20A, tensão nominal de saída de -48V com positivo aterrado, potência nominal de saída de 1080W, com circuito de desconexão, utilizando UR com ventilação forçada e entrada CA monofásica com faixa larga fullrange (entre 127V 15% e 220V +15% no mínimo).

 

 - SR 200A/-48V/10800W/1.4.6 - SR de 200A, tensão nominal de saída de -48V com positivo aterrado, potência nominal de saída de 10800W, com circuito de desconexão, utilizando UR com ventilação forçada e entrada CA trifásica com faixa larga fullrange (entre 220V 15% e 380V +15% no mínimo).
Contribuição N°: 24
ID da Contribuição: 38648
Autor da Contribuição: jcairo
Data da Contribuição: 21/09/2008 20:46:53
Contribuição: Definir se os sistemas faixa larga ( full-range ) podem reduzir a potência de saída quando operados com tensão baixa.
Justificativa: Normalmente os sistemas operam com faixa larga ( full-range ) com redução da potência de saída quando operados com tensão baixa.