Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas

 Data: 17/08/2022 02:18:25
 Total Recebidos: 249
TEMA DO PROCESSO NOME DO ITEM CONTEÚDO DO ITEM ID DA CONTRIBUIÇÃO NÚMERO DA CONTRIBUIÇÃO AUTOR DA CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO JUSTIFICATIVA DATA DA CONTRIBUIÇÃO
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 Texto Consulta Pública AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES CONSULTA PÚBLICA N. 436, DE 31 DE MARÇO DE 2003 Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e Transceptores Digitais para o Serviço Fixo em Aplicações Ponto-Multiponto nas Faixas de Freqüências acima de 1 GHz. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei n. 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto n. 2.338, de 7 de outubro de 1997, deliberou em sua Reunião n. 248, realizada em 26 de março de 2003, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42 da Lei n. 9.472, de 1997, e do art. 67 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e Transceptores Digitais para o Serviço Fixo em Aplicações Ponto-Multiponto nas Faixas de Freqüências acima de 1 GHz, na forma do Anexo à presente Consulta Pública. A presente proposta de norma tem por objetivo uniformizar os procedimentos de certificação de produtos para telecomunicações da categoria II, de acordo com as disposições estabelecidas no Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações, aprovado pela Resolução n. 242, de 30 de novembro de 2000. O texto completo da proposta estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço subscrito e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União. As contribuições e sugestões deverão ser fundamentadas, devidamente identificadas e encaminhadas, preferencialmente por meio de formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível no endereço Internet http: / / www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 30 de abril de 2003, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo. Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica recebidas até às 18h do dia 23 de abril de 2003. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL SUPERINTENDENTE DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA N. 436, DE 31 DE MARÇO DE 2003 Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e Transceptores Digitais para o Serviço Fixo em Aplicações Ponto-Multiponto nas Faixas de Freqüências acima de 1 GHz. Setor de Autarquias Sul SAUS Quadra 6, Bloco F, Térreo Biblioteca 70070-940 - Brasília DF - Fax. (061) 312-2002 biblioteca @anatel.gov.br As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência. LUIZ GUILHERME SCHYMURA DE OLIVEIRA Presidente do Conselho
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO À CONSULTA PÚBLICA N.° , DE DE DE 2003 NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO-MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQUÊNCIAS ACIMA DE 1 GHZ 13936 1 ABINEE As sugestões da ABINEE foram entregues através de nosso expediente 2080012, de 13 de maio de 2003, e através da internet. A importância do assunto se revestiu da necessidade de uma interação maior entre Abinee e Anatel, no sentido de encontrar soluções e atendimento aos interesses de todos os envolvidos. 30/05/2003 15:26:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 1. 1. OBJETIVO Esta norma estabelece os requisitos técnicos gerais e específicos mínimos a serem demonstrados na avaliação da conformidade de transmissores e transceptores digitais para o serviço fixo em aplicações ponto-multiponto, operando nas faixas de freqüências acima de 1 GHz, para efeito de certificação e homologação junto à Agência Nacional de Telecomunicações. 13958 2 pombrou Please consider subdividing the frequency band above 1GHz into more specific sub-bands, i.e. from 1GHz to 3GHz, from 3GHz to 11GHz, etc. There are different equipment applications for the different bands. 30/05/2003 15:49:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2. 2. REFERÊNCIAS Para fins desta norma, são adotadas as seguintes referências: 13959 3 pombrou For TDMA systems, please consider ETSI EN 301 021 V1.5.1. International standard 30/05/2003 15:49:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2. 2. REFERÊNCIAS Para fins desta norma, são adotadas as seguintes referências: 13937 4 ABINEE A ABINEE reafirma sua sugestão anterior da inclusão das normas ETSI pertinentes, encaminhadas 2080012 Justificativa: dadas as diferentes tecnologias utilizadas pelos sistemas PmP disponíveis no mercado e o fato de que cada um deles obedece especificações distintas, próprias dessas tecnologias, também os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 15:26:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2. 2. REFERÊNCIAS Para fins desta norma, são adotadas as seguintes referências: 13929 5 marruda A Siemens reafirma sua sugestão anterior da inclusão das normas ETSI pertinentes (relacionadas em correspondência anterior). Dadas as diferentes tecnologias utilizadas pelos sistemas PmP disponíveis no mercado e o fato de que cada um deles obedece especificações distintas, próprias dessas tecnologias, também os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 13:43:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2. 2. REFERÊNCIAS Para fins desta norma, são adotadas as seguintes referências: 14016 6 Lierson Inserir novo item 2.V no item referências, com as seguintes normas ETSI: ETSI EN 301 080 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Division Multiple Access (FDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 021 V.1.5.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Time Division Multiple Access (TDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 124 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 253 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Hopping Code Division Multiple Access (FH-CDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 213-1 V.1.1.2 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 1: Basic parameters. ETSI EN 301 213-2 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 2: Frequency Division Multiple Access (FDMA) methods. ETSI EN 301 213-3 V.1.4.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 3: Time Division Multiple Access (TDMA) methods. ETSI EN 301 213-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 4: Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) methods. ETSI EN 301 213-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 5: Multi-Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) methods. ETSI EN 301 126-2-1 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-1: Point-to-Multipoint equipment; Definitions and general requirements. ETSI EN 301 126-2-2 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-2: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FDMA systems. ETSI EN 301 126-2-3 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-3: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for TDMA systems. ETSI EN 301 126-2-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-4: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FH-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-5: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for DS-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-6 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-6: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for Multi Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) systems. dadas as diferentes tecnologias utilizadas pelos sistemas PmP disponíveis no mercado e o fato de que cada um deles obedece especificações distintas, próprias dessas tecnologias, também os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 18:01:19
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2.I I. Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos de Telecomunicações, aprovada Resolução Anatel N.o 242, de 30 de novembro de 2000.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2.II II.Anatel - Plano de Atribuição, Destinação e Distribuição de Faixas de Freqüências no Brasil.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2.III III. ITU-R Recomendação SM.329-9, Spurious emissions. 14099 7 edbjdci Incluir as normas ETSI: ETSI EN 301 080 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Division Multiple Access (FDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 021 V.1.5.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Time Division Multiple Access (TDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 124 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipement; Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 253 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Hopping Code Division Multiple Access (FH-CDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 213-1 V.1.1.2 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 1: Basic parameters. ETSI EN 301 213-2 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 2: Frequency Division Multiple Access (FDMA) methods. ETSI EN 301 213-3 V.1.4.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 3: Time Division Multiple Access (TDMA) methods. ETSI EN 301 213-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 4: Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) methods. ETSI EN 301 213-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 5: Multi-Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) methods. ETSI EN 301 126-2-1 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-1: Point-to-Multipoint equipment; Definitions and general requirements. ETSI EN 301 126-2-2 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-2: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FDMA systems. ETSI EN 301 126-2-3 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-3: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for TDMA systems. ETSI EN 301 126-2-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-4: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FH-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-5: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for DS-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-6 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-6: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for Multi Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) systems. Dadas as diferentes tecnologias utilizadas pelos sistemas PmP disponíveis no mercado mundial e o fato de que cada um deles obedece especificações distintas, próprias dessas tecnologias, também os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 19:59:46
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2.III III. ITU-R Recomendação SM.329-9, Spurious emissions. 13885 8 sssouza ETSI EN 301 080 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Division Multiple Access (FDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 021 V.1.5.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Time Division Multiple Access (TDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 124 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipement; Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 253 V.1.2.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Frequency Hopping Code Division Multiple Access (FH-CDMA); Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 3 GHz to 11 GHz. ETSI EN 301 213-1 V.1.1.2 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 1: Basic parameters. ETSI EN 301 213-2 V.1.3.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 2: Frequency Division Multiple Access (FDMA) methods. ETSI EN 301 213-3 V.1.4.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 3: Time Division Multiple Access (TDMA) methods. ETSI EN 301 213-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 4: Direct Sequence Code Division Multiple Access (DS-CDMA) methods. ETSI EN 301 213-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Point-to-multipoint equipment; Point-to-multipoint digital radio systems in frequency bands in the range 24,25 GHz to 29,5 GHz using different access methods; Part 5: Multi-Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) methods. ETSI EN 301 126-2-1 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-1: Point-to-Multipoint equipment; Definitions and general requirements. ETSI EN 301 126-2-2 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-2: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FDMA systems. ETSI EN 301 126-2-3 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-3: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for TDMA systems. ETSI EN 301 126-2-4 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-4: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for FH-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-5 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-5: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for DS-CDMA systems. ETSI EN 301 126-2-6 V.1.1.1 - Fixed Radio Systems; Conformance testing; Part 2-6: Point-to-Multipoint equipment; Test procedures for Multi Carrier Time Division Multiple Access (MC-TDMA) systems. Considerando-se as diferentes tecnologias utilizadas pelos sistemas PmP disponíveis no mercado e o fato de que cada um deles obedece especificações distintas, próprias dessas tecnologias, também os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 10:58:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 2.IV IV. ITU-T Recomendação K.38 (1996) - Radiated emission testing of physically large telecommunication systems.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3. 3. DEFINIÇÕES Para fins de aplicação desta norma, são adotadas as seguintes definições: 13930 9 marruda A Siemens sugere a introdução de novo item, acrescentando a definição de família de produtos da seguinte forma: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). De forma a possibilitar a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família. 30/05/2003 13:43:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3. 3. DEFINIÇÕES Para fins de aplicação desta norma, são adotadas as seguintes definições: 13938 10 ABINEE Contribuição: a Abinee sugere a introdução de novo item, acrescentando a definição de família de produtos da seguinte forma: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). Justificativa: de forma a possibilitar a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família. 30/05/2003 15:26:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3. 3. DEFINIÇÕES Para fins de aplicação desta norma, são adotadas as seguintes definições: 14017 11 Lierson introduzir novo item 3.XXIX, acrescentando a definição de família de produtos da seguinte forma: XXIX. Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). de forma a possibilitar a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família. 30/05/2003 18:01:19
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.I I. Ambiente: entende-se como meio que cerca ou envolve os produtos para telecomunicações em operação. 14100 12 edbjdci Excluir item I. Conforme item 8. 30/05/2003 19:59:46
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.II II. Ambiente Totalmente Aberto: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações ficam totalmente expostos à radiação solar direta, vento e chuva. 14101 13 edbjdci Excluir item II. Conforme item 8. 30/05/2003 19:59:46
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.III III. Ambiente Aberto Protegido: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações não ficam expostos à radiação solar direta e chuva, ficando, contudo, expostos ao vento e à radiação solar indireta. 14102 14 edbjdci Excluir item III. Conforme item 8. 30/05/2003 19:59:46
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.IV IV. Ambiente Protegido com Ventilação: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações não ficam expostos à radiação solar direta, radiação solar indireta e chuva, possuindo proteção (parede, telhado, janela e outros) que permite uma troca de ar com o ambiente externo de forma natural ou mecânica. 14103 15 edbjdci Excluir item IV. Conforme item 8. 30/05/2003 19:59:46
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.V V. Ambiente Climatizado: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações não ficam expostos à radiação solar direta, radiação solar indireta, vento e chuva, possuindo proteção (parede, telhado, porta, janela e outros) e controle de temperatura, contudo, sem controle da umidade relativa. 14104 16 edbjdci Excluir item V. Conforme item 8. 30/05/2003 20:01:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.VI VI. Ambiente Climatizado com Umidade Controlada: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações não ficam expostos à radiação solar direta, radiação solar indireta, vento e chuva, possuindo proteção (parede, telhado, porta, janela e outros), com controle de temperatura e da umidade relativa. 14105 17 edbjdci Excluir item VI. Conforme item 8. 30/05/2003 20:01:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.VII VII. Ambiente Fechado: entende-se como aquele no qual os produtos para telecomunicações não ficam expostos à radiação solar direta, radiação solar indireta, vento e chuva, sem controle da temperatura, sem controle da umidade relativa e sem troca constante da umidade relativa e sem troca constante de ar com o ambiente externo. O container que proporciona este ambiente no seu interior permite aberturas para testes e manutenção em campo. 14106 18 edbjdci Excluir item VII. Conforme item 8. 30/05/2003 20:01:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.VIII VIII. Circuito de Derivação: circuito constituído pelos filtros de derivação, circuladores, isoladores, cargas de terminação, chaves comutadoras, híbridas e cabos de interligação que permitem interligar o(s) transmissor(es) e / ou o(s) receptor(es) ao mesmo sistema radiante (figura I.1 do Anexo I).
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.IX IX. Compatibilidade Eletromagnética: capacidade de um dispositivo, equipamento ou sistema, de funcionar de acordo com suas características operacionais, no seu ambiente eletromagnético, sem impor perturbação intolerável naquilo que compartilha o mesmo ambiente.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.X X. Emissão Espúria: emissão em uma ou várias freqüências que se encontrem fora da faixa necessária e cujo nível pode ser reduzido sem afetar a transmissão de informação correspondente. As emissões espúrias incluem emissões harmônicas, emissões parasitas e produtos de intermodulação, mas excluem emissões na vizinhança imediata da faixa necessária, que são resultantes do processo de modulação para transmissão da informação. 14204 19 BrTelecom X. Emissão Espúria: emissão em uma ou várias freqüências que se encontrem fora da faixa necessária e cujo nível pode ser reduzido sem afetar a transmissão de informação correspondente. As emissões espúrias incluem emissões harmônicas, emissões parasitas e produtos de intermodulação. Emissão espúria é toda e qualquer emissão fora da faixa de operação. 30/05/2003 21:36:49
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XI XI. Equipamento a Ser Certificado (ESC): equipamento de telecomunicação a ser submetido aos ensaios prescritos nesta Norma, visando a sua certificação.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XII XII. Equipamento Classe A: equipamento com características próprias para instalação em estações de telecomunicações. Estes equipamentos podem causar problemas de radiointerferência se instalados em ambientes ou áreas residenciais.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XII XIII. Equipamento Classe B: equipamentos com características próprias para as instalações do usuário ou para a instalação em redes de acesso. Estes equipamentos podem ser utilizados em estações de telecomunicações.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XIV XIV. Espaçamento de canal: diferença entre as freqüências centrais de dois canais RF adjacentes de um determinado plano de canalização.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XV XV. Estação Rádio Base ou Nodal: estação rádio que transmite e recebe sinais para / de estações terminais do sistema.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XVI XVI. Estação Terminal: estação rádio conectada ao equipamento de usuários para seu acesso a uma rede pública ou privada.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XVII XVII. Faixa Dinâmica de Recepção: faixa de atuação do controle automático de ganho (CAG), compreendida entre o limiar de recepção para taxa de erro de bit (TEB) de 10^-3 e o de saturação para taxa de erro de bit (TEB) de 10^-6.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XVIII XVIII. Interferência co-canal: interferência sofrida por uma determinada portadora devida a outra portadora ocupando a mesma faixa espectral.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XIX XIX. Interferência de Canal Adjacente: interferência sofrida por uma determinada portadora devida a outra portadora afastada de um espaçamento de canal.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XX XX. Relação Portadora interferência: razão entre a potência da portadora desejada e a soma das potências de portadoras interferentes, referidas à entrada do receptor interferido e expressas em watt ou miliwatt.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXI XXI. Medidor: instrumento de medida, pertencente ou não ao equipamento, que permite a medição de parâmetro do equipamento.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXII XXII. Ponto de Medida: ponto situado no caminho do sinal, que implica a interrupção deste quando são realizadas medições.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXIII XXIII. Ponto de Monitoração: ponto de medida desacoplado, obtido por uma derivação do caminho do sinal, ao qual se pode ligar um instrumento de medida não pertencente ao equipamento.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXIV XXIV. Rede Fictícia em V (Artificial Main Network - AMN): dispositivo utilizado para a medição de perturbações de radiofreqüência emitidas pelo equipamento nos terminais de energia elétrica.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXV XXV. Taxa de Erro de Bits (TEB): relação entre o número de bits recebidos erroneamente dividido pelo número total de bits transmitidos.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXVI XXVI. Taxa Bruta de Bits: número total de bits transmitido ou recebido pela estação nodal em um segundo.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXVII XXVII. Terminais de Telecomunicações: terminais de equipamentos de telecomunicações por meio dos quais trafega a informação e, no caso de equipamentos telealimentados, também a energia elétrica destinada ao seu funcionamento.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXVIII XXVIII. Transparência: facilidade oferecida pelo sistema para a conexão de usuários a uma rede pública ou privada.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4. 4. CARACTERÍSTICAS GERAIS
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.1 4.1. Para fins desta norma a configuração geral de um sistema ponto-multiponto é mostrada na Figura 1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.2 4.2. Os equipamentos devem operar conforme regulamentação de canalização e condições de uso especifica para a faixa de freqüência utilizada, em particular no que se refere às freqüências nominais das portadoras dos canais de radiofreqüências (RF) e seus espaçamentos, aos arranjos dos canais de RF, às capacidades de transmissão, às larguras máximas das faixas ocupadas pelo canal e às potências de transmissão.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.3 4.3. A capacidade mínima para sistemas ponto-multiponto, expressa em taxa bruta mínima de bits transmitida (TBM), deve ser proporcional ao espaçamento entre canais (DELTA F) e ao número de níveis da modulação (M) de acordo com a seguinte fórmula: 14018 20 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere sua eliminação porque o item 4.2 já faz referência às normas de canalização, que por sua vez, já definem a capacidade mínima em cada caso. Além disso, os níveis de modulação são características intrínsecas dos diferentes equipamentos disponíveis no mercado e não devem ser amarrados à TBM. 30/05/2003 18:01:19
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.3 4.3. A capacidade mínima para sistemas ponto-multiponto, expressa em taxa bruta mínima de bits transmitida (TBM), deve ser proporcional ao espaçamento entre canais (DELTA F) e ao número de níveis da modulação (M) de acordo com a seguinte fórmula: 14113 21 edbjdci Excluir item 4.3 O item 4.2 já faz referência às normas de canalização, as quais, por sua vez, já definem a capacidade mínima em cada caso. Os níveis de modulação são características intrínsecas dos equipamentos e não devem ser amarrados à TBM. Considerando ainda que este parâmetro não irá definir a performance de transmissão entendemos que não é necessário analisar tal característica. 30/05/2003 20:01:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.3 4.3. A capacidade mínima para sistemas ponto-multiponto, expressa em taxa bruta mínima de bits transmitida (TBM), deve ser proporcional ao espaçamento entre canais (DELTA F) e ao número de níveis da modulação (M) de acordo com a seguinte fórmula: 13886 22 sssouza Eliminar este item. Consideramos este item desnecessário pois o item 4.2 já faz a referência às normas de canalização, as quais, por sua vez, já definem a capacidade mínima em cada caso. Os níveis de modulação são características intrínsecas dos equipamentos e não devem ser amarrados à TBM. 30/05/2003 10:58:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 4.4 4.4. O sistema ponto-multiponto deve ser totalmente transparente para conexão de equipamento de usuário à rede (pontos F e G na Figura 1). 13628 23 abrandao Incluir: de acordo com a configuração de segurança definida pela Operadora. Cada operadora pode trabalhar com diferentes configurações de segurança, e o sistema ponto-multiponto deve ser transparente a configuração da Operadora , sendo assim a conexão de equipamento de usuário à rede será compatível com a configuração definida pela Operadora. 29/04/2003 17:04:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5. 5. CARACTERÍSTICAS DO TRANSMISSOR
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.1 5.1. A potência de transmissão máxima na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), quando não definida na regulamentação de canalização e condições de uso para cada faixa de freqüência especifica, não deve exceder os seguintes limites: a) + 35 dBm para sistemas de Múltiplo Acesso por Divisão em Tempo (TDMA), Múltiplo Acesso por Divisão em Freqüência (FDMA) e Múltiplo Acesso por Divisão em Código com Saltos de Freqüência (FH-CDMA); b) + 43 dBm para sistema de Múltiplo Acesso por Divisão em Código com Seqüência Direta (DS-CDMA). 13629 24 abrandao Referente a Figura 2 - Diagrama em bloco do sistema , deve-se acrescentar uma observação com relação aos pontos B , C , C e B, que serão utilizados para medições. Sempre que estes pontos forem citados no documento (ex. ponto C na Figura 2) sugerimos que seja adicionado o termo ou equivalente pasando então a serme citados da seguinte forma ( ex. ponto C ou equivalente da Figura 2). Nem todos os equipamentos tem acesso para medições nos pontos B , C , C e B definidos nesta proposta, outros pontos EQUIVALENTES devem ser considerados quando necessário. 29/04/2003 17:04:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.1 5.1. A potência de transmissão máxima na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), quando não definida na regulamentação de canalização e condições de uso para cada faixa de freqüência especifica, não deve exceder os seguintes limites: a) + 35 dBm para sistemas de Múltiplo Acesso por Divisão em Tempo (TDMA), Múltiplo Acesso por Divisão em Freqüência (FDMA) e Múltiplo Acesso por Divisão em Código com Saltos de Freqüência (FH-CDMA); b) + 43 dBm para sistema de Múltiplo Acesso por Divisão em Código com Seqüência Direta (DS-CDMA). 14019 25 Lierson alterar a redação deste item para: ... quando não definida na regulamentação de canalização e condições de uso para cada faixa de freqüência específica, não deve exceder aos limites estabelecidos nas respectivas normas ETSI aplicáveis. A Marconi sugere essa modificação uma vez que o acréscimo das normas ETSI no item referências supre a necessidade de definir os valores no corpo do documento. 30/05/2003 18:01:19
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.2 5.2. A máxima tolerância de freqüência não deve exceder 10 ppm (partes por milhão). 14020 26 Lierson alterar a redação deste item para: A máxima tolerância de freqüência não deve exceder aos valores especificados nas respectivas normas ETSI aplicáveis, referenciadas no item 2. A Marconi sugere essa modificação uma vez que o acréscimo das normas ETSI no item referências supre a necessidade de definir os valores no corpo do documento. 30/05/2003 18:01:19
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.2 5.2. A máxima tolerância de freqüência não deve exceder 10 ppm (partes por milhão). 14114 27 edbjdci Alterar o texto: De: A máxima tolerância de freqüência não deve exceder 10 ppm (partes por milhão). Para: A máxima tolerância de freqüência deve ser compatível com a norma ESTI a ser aplicada. Os limites para a máxima tolerância de freqüência devem seguir as normas ETSI aplicáveis aos diversos sistemas PMP, exemplo TDMA, FDMA, CDMA e etc. 30/05/2003 20:01:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.2 5.2. A máxima tolerância de freqüência não deve exceder 10 ppm (partes por milhão). 13960 28 pombrou This item needs greater flexibility according to frequency band and minimum gross bit rate. Please consider ETSI EN 301 021 V1.5.1, clause 5.3.5 as an example for TDMA systems. Please consider international standard and also consider our comment on item 1. Different appplications for different bands and equipment. 30/05/2003 15:49:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.2 5.2. A máxima tolerância de freqüência não deve exceder 10 ppm (partes por milhão). 13887 29 sssouza Sugere-se que os limites para a máxima tolerância de freqüência sigam às normas ETSI aplicáveis aos diversos sistemas PMP, exemplo TDMA, FDMA, CDMA e etc.. Deve-se seguir aos padrões internacionais relacionados a cada sistema. 30/05/2003 10:58:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.3 5.3. O espectro de um canal RF transmitido pela ERB (Estação Rádio Base) ou ER (Estação Repetidora) para as ET (Estações Terminais), medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1. 13888 30 sssouza Eliminar este item. Entendemos que o seguimento às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala e beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. Baseado neste princípio, sugere-se a eliminação do item 5.3 e a sua substituição pelas especificações correspondentes das Normas ETSI para cada um dos sistemas, referenciadas no início da contribuição. Além disso, demonstramos a nossa preocupação com a perda de qualidade na escolha de uma única máscara que englobe todas as outras. 30/05/2003 10:58:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.3 5.3. O espectro de um canal RF transmitido pela ERB (Estação Rádio Base) ou ER (Estação Repetidora) para as ET (Estações Terminais), medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1. 13961 31 pombrou For TDMA systems we suggest to consider following the ETSI spectrum masks which relate modulation states together with channel spacing. In addition, it sets spectrum analyser settings for RF power spectrum measurement. To be in accordance with international standards. 30/05/2003 15:49:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.3 5.3. O espectro de um canal RF transmitido pela ERB (Estação Rádio Base) ou ER (Estação Repetidora) para as ET (Estações Terminais), medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1. 13630 32 abrandao Sugerimos a inclusão de uma coluna adicional, conforme descrita abaixo) para níveis de modulação 2, para equipamentos com modulação FSK : M=2. M O 0.5 0.8 1.0 1.5 2.5 2 0 dB 0 dB -25 dB -25 dB -45 dB -45 dB Alguns equipamentos trabalham com modulação FSK : M=2 e devem ser considerados nesta proposta. 29/04/2003 17:04:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.3 5.3. O espectro de um canal RF transmitido pela ERB (Estação Rádio Base) ou ER (Estação Repetidora) para as ET (Estações Terminais), medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1. 14115 33 edbjdci Substituir o texto de forma a prover a conformidade com as normas ETSI para cada uma das tecnologias em questão, conforme já referenciado no item 2.III A aderência às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala mundial e, conseqüentemente, beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. Demonstramos a nossa preocupação com a criação de uma máscara exclusiva para o mercado brasileiro. 30/05/2003 20:04:20
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.3 5.3. O espectro de um canal RF transmitido pela ERB (Estação Rádio Base) ou ER (Estação Repetidora) para as ET (Estações Terminais), medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1. 14021 34 Lierson alterar a redação deste item para: ... medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C na Figura 2), deve atender às máscaras espectrais definidas nas normas ETSI aplicáveis, referidas no item 2. A Marconi sugere essa modificação uma vez que o acréscimo das normas ETSI no item referências supre a necessidade de definir os valores no corpo do documento e especificamente neste caso, repara o aparente equívoco cometido ao se definir uma única máscara sem se levar em conta as peculiaridades de cada tecnologia de acesso disponível no mercado. Além disso, a Marconi entende que o seguimento às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala e beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. 30/05/2003 18:03:52
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.4 5.4. Linhas espectrais discretas não podem ser emitidas com nível que exceda à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 de um fator igual a : 14022 35 Lierson alterar a redação deste item para: Linhas espectrais discretas não podem ser emitidas com níveis que excedam às máscaras espectrais de transmissão definidas nas normas ETSI aplicáveis, referidas no item 2. A Marconi sugere essa modificação uma vez que o acréscimo das normas ETSI no item referências supre a necessidade de definir os valores no corpo do documento. Além disso, a Marconi entende que o seguimento às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala e beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. 30/05/2003 18:03:52
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.4 5.4. Linhas espectrais discretas não podem ser emitidas com nível que exceda à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 de um fator igual a : 14116 36 edbjdci Substituir o texto de forma a prover a conformidade com as normas ETSI para cada uma das tecnologias em questão, conforme já referenciado no item 2.III A aderência às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala mundial e, conseqüentemente, beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. Demonstramos a nossa preocupação com a criação de uma única tabela limite exclusiva para o mercado brasileiro. 30/05/2003 20:04:21
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.4 5.4. Linhas espectrais discretas não podem ser emitidas com nível que exceda à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 de um fator igual a : 13631 37 abrandao Inclusão na Tabela 2 - Valor de parâmetro A de valores do Parâmetros A e de faixas de 1,9 e 5,7 GHz. As faixas de 1,9 e 5,7 GHz também são utilizadas para serviço fixo em aplicações ponto-multiponto. 29/04/2003 17:04:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.4 5.4. Linhas espectrais discretas não podem ser emitidas com nível que exceda à máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 de um fator igual a : 13889 38 sssouza Eliminar este item. Novamente sugerimos o atendimento às normas internacionais. Não é conveniente que os diversos sistemas que operam enlaces ponto-multiponto sejam referenciados a uma única tabela limite. As mesmas normas ETSI sugeridas no item 5.3 e referenciadas no início desta contribuição se aplicam a este item. 30/05/2003 10:58:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.5 5.5. O nível de espúrios de transmissão medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2) e nas freqüências afastadas da freqüência nominal da portadora do canal de RF de mais de 250 % do espaçamento entre portadoras não deve exceder os limites da máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 para f / (DELTA F) = 2,5. 13890 39 sssouza Sugerimos o uso das normas ETSI correspondentes, que por sua vez fazem referência à Recomendação CEPT / ERC 74-01 que é baseada nas Recomendações ITU-R F.1191 e ITU-R SM.329. Estar de acordo com normas internacionais, garantindo o atendimento as diferentes características de cada tipo de sistema. 30/05/2003 11:03:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.5 5.5. O nível de espúrios de transmissão medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2) e nas freqüências afastadas da freqüência nominal da portadora do canal de RF de mais de 250 % do espaçamento entre portadoras não deve exceder os limites da máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 para f / (DELTA F) = 2,5. 14117 40 edbjdci Substituir o texto de forma a prover a conformidade com as normas ETSI correspondentes, que por sua vez fazem referência à Recomendação CEPT / ERC 74-01 que é baseada nas Recomendações ITU-R F.1191 e ITU-R SM.329. A aderência às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala mundial e, conseqüentemente, beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. 30/05/2003 20:04:21
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 5.5 5.5. O nível de espúrios de transmissão medido na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2) e nas freqüências afastadas da freqüência nominal da portadora do canal de RF de mais de 250 % do espaçamento entre portadoras não deve exceder os limites da máscara espectral de transmissão dada na Tabela 1 para f / (DELTA F) = 2,5. 14023 41 Lierson alterar a redação deste item para: Os níveis de espúrios de transmissão medidos na entrada do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2) não devem exceder aos limites das máscaras espectrais definidas nas normas ETSI aplicáveis, referidas no item 2. A Marconi sugere essa modificação uma vez que o acréscimo das normas ETSI no item referências supre a necessidade de definir os valores no corpo do documento. Além disso, a Marconi entende que o seguimento às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala e beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. 30/05/2003 18:03:52
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6. 6. CARACTERÍSTICAS DO RECEPTOR
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1 6.1. A sensibilidade dos receptores é expressa pelo valor mínimo de nível de sinal recebido (limiar de recepção), referido à saída do circuito alimentador da antena receptora (ponto C da Figura 2), que corresponde a um valor máximo da taxa de erro de bits (TEB). 14024 42 Lierson eliminar este item e todos seus sub-itens. A Marconi sugere essa modificação pois entende que estes testes não tratam da questão relativa à interferências entre sistemas, não sendo portanto pertinente à regulamentação e sim à características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 18:03:52
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1 6.1. A sensibilidade dos receptores é expressa pelo valor mínimo de nível de sinal recebido (limiar de recepção), referido à saída do circuito alimentador da antena receptora (ponto C da Figura 2), que corresponde a um valor máximo da taxa de erro de bits (TEB). 14118 43 edbjdci Eliminar o item 6.1 Os ensaios requeridos não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 20:04:21
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1 6.1. A sensibilidade dos receptores é expressa pelo valor mínimo de nível de sinal recebido (limiar de recepção), referido à saída do circuito alimentador da antena receptora (ponto C da Figura 2), que corresponde a um valor máximo da taxa de erro de bits (TEB). 13891 44 sssouza Eliminar este item. Sugerimos a eliminação deste item e todos os seus sub-itens, pois entendemos que estes testes não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:03:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.1 6.1.1. A sensibilidade mínima para receptores de sistemas ponto-multiponto FDMA e TDMA deve atender às seguintes fórmulas e às Tabelas 3 e 4, respectivamente. a) Limiar para TEB de 10^-3 (dBm) = K3 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] b) Limiar para TEB de 10^-6 (dBm) = K6 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] 13892 45 sssouza Eliminar este item. Este teste não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não é pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:03:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.1 6.1.1. A sensibilidade mínima para receptores de sistemas ponto-multiponto FDMA e TDMA deve atender às seguintes fórmulas e às Tabelas 3 e 4, respectivamente. a) Limiar para TEB de 10^-3 (dBm) = K3 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] b) Limiar para TEB de 10^-6 (dBm) = K6 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] 13632 46 abrandao Adicionar : em taxa bruta. Eliminar dúvidas sobre se valores serão brutos ou úteis. 29/04/2003 17:04:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.1 6.1.1. A sensibilidade mínima para receptores de sistemas ponto-multiponto FDMA e TDMA deve atender às seguintes fórmulas e às Tabelas 3 e 4, respectivamente. a) Limiar para TEB de 10^-3 (dBm) = K3 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] b) Limiar para TEB de 10^-6 (dBm) = K6 (dBm) + 10 log [taxa de bits(Mbit / s)] 14119 47 edbjdci Eliminar o item 6.1.1 Conforme item 6.1 30/05/2003 20:04:21
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.2 6.1.2. Para sistemas DS-CDMA são estabelecidos os limiares máximos de recepção para TEB=10^-3 e TEB=10^-6 indicados na Tabela 5 com o número de canais de tráfego de 64 Kbit / s ativos (L) indicados nesta tabela. 14121 48 edbjdci Eliminar o item 6.1.2 Conforme item 6.1 30/05/2003 20:08:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.2 6.1.2. Para sistemas DS-CDMA são estabelecidos os limiares máximos de recepção para TEB=10^-3 e TEB=10^-6 indicados na Tabela 5 com o número de canais de tráfego de 64 Kbit / s ativos (L) indicados nesta tabela. 13893 49 sssouza Eliminar este item. Este teste não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não é pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:03:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.3 6.1.3. Para Sistemas FH-CDMA são estabelecidos os limiares de recepção para TEB=10^-3 e TEB =10^-6 indicados na Tabela 6 com o número de canais de tráfego de 64 Kbit / s simultâneos (L) indicados nesta tabela. Para modulações 4FSK (estados discretos de fase) e 8FSK os limiares são os da Tabela 6 acrescidos de 7,0 dB e 15 dB, respectivamente. 13894 50 sssouza Eliminar este item. Este teste não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não é pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:03:04
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.3 6.1.3. Para Sistemas FH-CDMA são estabelecidos os limiares de recepção para TEB=10^-3 e TEB =10^-6 indicados na Tabela 6 com o número de canais de tráfego de 64 Kbit / s simultâneos (L) indicados nesta tabela. Para modulações 4FSK (estados discretos de fase) e 8FSK os limiares são os da Tabela 6 acrescidos de 7,0 dB e 15 dB, respectivamente. 13633 51 abrandao Sugerimos a adoção dos padrões ETSI EN 301 179 (para sistemas de 1 a 3 GHz) e EN 301 253 (para sistemas de 3 a 11GHz) - item 5.3 Capacidade do Sistema - The supplier shall declare the maximunn number of simultaneous duplex 64 kbit / s channels or the bit rate which the equipment is designed to carry for each channel spacing supported. Such declared capacity shall not be less than either 8 x 64 kbit / s channels or 500 kbit / s for each 1 MHz of channel spacing Os padrões ETSI citados acima são utilizados para regular equipamentos ponto-multiponto ne Europa e podem auxiliar na complementação dos padrões desta proposta . 29/04/2003 17:54:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.1.3 6.1.3. Para Sistemas FH-CDMA são estabelecidos os limiares de recepção para TEB=10^-3 e TEB =10^-6 indicados na Tabela 6 com o número de canais de tráfego de 64 Kbit / s simultâneos (L) indicados nesta tabela. Para modulações 4FSK (estados discretos de fase) e 8FSK os limiares são os da Tabela 6 acrescidos de 7,0 dB e 15 dB, respectivamente. 14122 52 edbjdci Eliminar o item 6.1.3 Conforme item 6.1 30/05/2003 20:08:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.2 6.2. A faixa dinâmica dos receptores de sistemas ponto-multiponto, referida à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), não deve ser inferior aos valores indicados na Tabela 7. 14123 53 edbjdci Substituir o texto de forma a prover a conformidade com as normas ETSI pertinentes a cada faixa de freqüência e tipo de sistema, TDMA, FDMA ou CDMA, conforme já referenciado no item 2.III Estar em conformidade com as peculiaridades de cada uma das tecnologias em questão. 30/05/2003 20:08:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.2 6.2. A faixa dinâmica dos receptores de sistemas ponto-multiponto, referida à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), não deve ser inferior aos valores indicados na Tabela 7. 14025 54 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere essa modificação pois entende que este teste não trata da questão relativa à interferências entre sistemas, não sendo portanto pertinente à regulamentação e sim a uma característica intrínseca dos equipamentos. 30/05/2003 18:03:52
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.2 6.2. A faixa dinâmica dos receptores de sistemas ponto-multiponto, referida à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), não deve ser inferior aos valores indicados na Tabela 7. 13895 55 sssouza Eliminar este item. Este teste não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não é pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:15:30
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3 6.3. Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. 13896 56 sssouza Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. As degradações máximas no limiar de BER = 10^-6 devem estar de acordo com as especificações constantes da normas ETSI aplicáveis, referenciadas no item 2. Reiteramos a necessidade de se manterem como referência as normas ETSI pertinentes, pois as mesmas foram concebidas para as diferentes tecnologias de acesso empregadas por cada solução disponível no mercado. Portanto, os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. Assim sendo, sugerimos acrescentar na redação atual o texto como indicado acima, e eliminar os sub-itens de 6.3.1 à 6.3.8. 30/05/2003 11:15:30
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3 6.3. Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. 13939 57 ABINEE Contribuição: a Abinee reitera a necessidade de se manterem como referência as normas ETSI pertinentes, pois as mesmas foram concebidas para as diferentes tecnologias de acesso empregadas por cada solução disponível no mercado. Assim sendo, sugere acrescentar na redação atual o abaixo, eliminando-se correspondentemente os sub-itens de 6.3.1 à 6.3.8: ... ao ponto C da Figura 2. As degradações máximas no limiar de BER = 10^-6 devem estar de acordo com as especificações constantes da normas ETSI aplicáveis, referenciadas no item 2. Justificativa: os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 15:26:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3 6.3. Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. 13931 58 marruda A Siemens reitera a necessidade de se manterem como referência as normas ETSI pertinentes, pois as mesmas foram concebidas para as diferentes tecnologias de acesso empregadas por cada solução disponível no mercado. Assim sendo, sugere acrescentar na redação atual o abaixo, eliminando-se correspondentemente os sub-itens de 6.3.1 à 6.3.8: ... ao ponto C da Figura 2. As degradações máximas no limiar de BER = 10^-6 devem estar de acordo com as especificações constantes da normas ETSI aplicáveis, referenciadas no item 2. Os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 13:43:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3 6.3. Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. 14031 59 Lierson a Marconi sugere a inclusão no item Referências das normas ETSI pertinentes, pois as mesmas foram concebidas para as diferentes tecnologias de acesso empregadas por cada solução disponível no mercado. Assim sendo, sugere acrescentar na redação atual o abaixo, eliminando-se correspondentemente os sub-itens de 6.3.1 à 6.3.8: ... ao ponto C da Figura 2. As degradações máximas no limiar de BER = 10^-6 devem estar de acordo com as especificações constantes da normas ETSI aplicáveis, referenciadas no item 2. os requisitos a serem exigidos devem ser coerentes com as tecnologias de cada solução em particular. 30/05/2003 18:06:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3 6.3. Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. 14124 60 edbjdci Alterar o texto para: Na especificação de requisitos para a sensibilidade de receptores a interferências, os níveis dos sinais desejado e interferente, assim como os valores da relação entre o nível da portadora do sinal e o nível de portadora interferente na entrada do receptor interferido (C / I), expressa em dB, referem-se ao ponto C da Figura 2. As degradações máximas no limiar de BER = 10^-6 devem estar de acordo com as especificações constantes das normas ETSI aplicáveis, conforme referenciado no item 2. A aderência às normas internacionais é condição essencial para a indústria, permitindo que haja um maior ganho de escala mundial e, conseqüentemente, beneficiando o usuário final com produtos de qualidade e baixo custo. 30/05/2003 20:08:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.1 6.3.1. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=0 dB. 14125 61 edbjdci Eliminar o item 6.3.1 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:08:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.1 6.3.1. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=0 dB. 13962 62 pombrou Please also consider accepting as an alternative the ETSI method of testing which suggests the degradation from BER 10-6 to 10-5. At this point, the ratio C / I should be over a specific limit. ETSI is the European standard and there are menay suppliers already complying with it. 30/05/2003 15:49:08
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.1 6.3.1. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=0 dB. 13897 63 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:15:30
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.2 6.3.2 A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto FDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 8. 13898 64 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:15:30
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.2 6.3.2 A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto FDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 8. 14128 65 edbjdci Eliminar o item 6.3.2 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:10:56
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.3 6.3.3. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto DS-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 9. 14129 66 edbjdci Eliminar o item 6.3.3 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:10:56
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.3 6.3.3. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto DS-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 9. 13899 67 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:15:30
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.4 6.3.4. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 10. 13900 68 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:16:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.4 6.3.4. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 10. 13634 69 abrandao Sugerimos a adoção dos padrões ETSI EN 301 179 (para sistemas de 1 a 3 GHz) e EN 301 253 (para sistemas de 3 a 11GHz) - item 5.3 Capacidade do Sistema - The supplier shall declare the maximunn number of simultaneous duplex 64 kbit / s channels or the bit rate which the equipment is designed to carry for each channel spacing supported. Such declared capacity shall not be less than either 8 x 64 kbit / s channels or 500 kbit / s for each 1 MHz of channel spacing Os padrões ETSI citados acima são utilizados para regular equipamentos ponto-multiponto ne Europa e podem auxiliar na complementação dos padrões desta proposta . 29/04/2003 17:54:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.4 6.3.4. A sensibilidade à interferência de canal adjacente de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 10. 14130 70 edbjdci Eliminar o item 6.3.4 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:10:56
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.5 6.3.5. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=23,0 dB. 14131 71 edbjdci Eliminar o item 6.3.5 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:10:56
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.5 6.3.5. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=23,0 dB. 13969 72 pombrou Please also consider accepting as an alternative the ETSI method of testing which suggests the degradation from BER 10-6 to 10-5. At this point, the ratio C / I should be over a specific limit. Same as for item 6.3.1 - ETSI is the European standard and the majority of the companies comply with it. 30/05/2003 15:54:48
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.5 6.3.5. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto TDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com relação C / I=23,0 dB. 13901 73 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:16:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.6 6.3.6 A sensibilidade à interferência de co-canal de sistemas ponto-multiponto FDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 11. 13902 74 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:16:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.6 6.3.6 A sensibilidade à interferência de co-canal de sistemas ponto-multiponto FDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 11. 14132 75 edbjdci Eliminar o item 6.3.6 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:10:56
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.7 6.3.7. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto DS-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 12. 14137 76 edbjdci Eliminar o item 6.3.7 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:13:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.7 6.3.7. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto DS-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 12. 13903 77 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:16:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.8 6.3.8. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 13. 13904 78 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item 6.3. 30/05/2003 11:16:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.8 6.3.8. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 13. 13635 79 abrandao Sugerimos a adoção dos padrões ETSI EN 301 179 (para sistemas de 1 a 3 GHz) e EN 301 253 (para sistemas de 3 a 11GHz) - item 5.3 Capacidade do Sistema - The supplier shall declare the maximunn number of simultaneous duplex 64 kbit / s channels or the bit rate which the equipment is designed to carry for each channel spacing supported. Such declared capacity shall not be less than either 8 x 64 kbit / s channels or 500 kbit / s for each 1 MHz of channel spacing Os padrões ETSI citados acima são utilizados para regular equipamentos ponto-multiponto ne Europa e podem auxiliar na complementação dos padrões desta proposta . 29/04/2003 17:54:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.8 6.3.8. A sensibilidade à interferência co-canal de sistemas ponto-multiponto FH-CDMA deve implicar uma degradação máxima de 1 dB no limiar para TEB=10^-6 com a relação C / I indicada na Tabela 13. 14138 80 edbjdci Eliminar o item 6.3.8 Conforme item 6.3 30/05/2003 20:13:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.9 6.3.9. A interferência de uma portadora CW (portadora sem modulação), afastada em freqüência de 5 espaçamentos de canal e nível de 30 dB acima da portadora interferida com nível, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), igual ao limiar para TEB=10^-6, não deve causar TEB superior a 10^-5. 14139 81 edbjdci Substituir o texto de forma a prover a conformidade com as normas ETSI pertinentes a cada faixa de freqüência e tipo de sistema, TDMA, FDMA ou CDMA, conforme já referenciado no item 2.III Estar em conformidade com as peculiaridades de cada uma das tecnologias em questão. 30/05/2003 20:13:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.9 6.3.9. A interferência de uma portadora CW (portadora sem modulação), afastada em freqüência de 5 espaçamentos de canal e nível de 30 dB acima da portadora interferida com nível, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), igual ao limiar para TEB=10^-6, não deve causar TEB superior a 10^-5. 14032 82 Lierson alterar a redação deste item para: ... referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), igual ao limiar para TEB=10^-6, não deve causar degradação do limiar em mais que 1dB para TEB = 10^-6. A Marconi sugere essa modificação para ficar de acordo com as definições constantes das normas ETSI aplicáveis, referidas no item 2, as quais são pertinentes a cada faixa de freqüência e tipo de sistema, seja TDMA, FDMA ou CDMA, respeitando desta forma as peculiaridades de cada um destes. 30/05/2003 18:06:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.3.9 6.3.9. A interferência de uma portadora CW (portadora sem modulação), afastada em freqüência de 5 espaçamentos de canal e nível de 30 dB acima da portadora interferida com nível, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), igual ao limiar para TEB=10^-6, não deve causar TEB superior a 10^-5. 13905 83 sssouza Sugerimos a utilização das normas ETSI pertinentes a cada faixa de freqüência e tipo de sistema, seja TDMA, FDMA ou CDMA, respeitando desta forma as peculiaridades de cada um destes. Referir-se à norma ETSI correspondente à cada tecnologia. 30/05/2003 11:26:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.4 6.4. A TEB residual de equipamento é aquela medida com nível de recepção, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), 6 dB acima do limiar para TEB=10^-6 e não deve exceder os valores especificados na Tabela 14. 13906 84 sssouza Eliminar este item. Sugerimos a eliminação dos itens 6.4 a 6.6, pois entendemos que estes testes não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:26:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.4 6.4. A TEB residual de equipamento é aquela medida com nível de recepção, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), 6 dB acima do limiar para TEB=10^-6 e não deve exceder os valores especificados na Tabela 14. 13970 85 pombrou Please specify minimum recording time. Recording time is an important parameter on the requested test. 30/05/2003 15:54:48
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.4 6.4. A TEB residual de equipamento é aquela medida com nível de recepção, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), 6 dB acima do limiar para TEB=10^-6 e não deve exceder os valores especificados na Tabela 14. 14033 86 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere a eliminação deste item, pois entende que este teste, além de extremamente demorado e conseqüentemente custoso, não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, e portanto não pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 18:06:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.4 6.4. A TEB residual de equipamento é aquela medida com nível de recepção, referido à saída do circuito alimentador da antena (ponto C da Figura 2), 6 dB acima do limiar para TEB=10^-6 e não deve exceder os valores especificados na Tabela 14. 14140 87 edbjdci Eliminar o item 6.4 Os ensaios requeridos não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 20:13:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.5 6.5. Emissões espúrias do receptor em todas as freqüências em torno da freqüência central do canal RF, medidas no ponto B (para sistemas situados em ambientes protegidos do tempo) ou no ponto C (para sistemas situados parcialmente em ambientes não protegidos do tempo) do diagrama de blocos da Figura 1, não devem ter níveis de potência superiores aos limites estabelecidos para a Categoria A na Recomendação ITU-R (International Telecommunications Union Radiocommunications Sector) SM. 329-9. 14034 88 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere a eliminação deste item, pois entende que este teste, além de não ser necessário dado que eventuais espúrios do receptor são refletidos nas medidas de espúrios do transmissor ou diretamente para dentro do sistema (e portanto verificáveis nos testes de BER), não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, e portanto não pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 18:06:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.5 6.5. Emissões espúrias do receptor em todas as freqüências em torno da freqüência central do canal RF, medidas no ponto B (para sistemas situados em ambientes protegidos do tempo) ou no ponto C (para sistemas situados parcialmente em ambientes não protegidos do tempo) do diagrama de blocos da Figura 1, não devem ter níveis de potência superiores aos limites estabelecidos para a Categoria A na Recomendação ITU-R (International Telecommunications Union Radiocommunications Sector) SM. 329-9. 13907 89 sssouza Eliminar este item. Entendemos que estes testes não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:26:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.6 6.6. A rejeição à freqüência imagem deve ser superior a 75 dB para receptores com demodulação indireta ou heterodinos. 13908 90 sssouza Eliminar este item. Entendemos que estes testes não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 11:26:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.6 6.6. A rejeição à freqüência imagem deve ser superior a 75 dB para receptores com demodulação indireta ou heterodinos. 14035 91 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere a eliminação deste item, pois entende que este teste, além de não ser necessário visto já existir o teste de CW, não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, e portanto não pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 18:06:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 6.6 6.6. A rejeição à freqüência imagem deve ser superior a 75 dB para receptores com demodulação indireta ou heterodinos. 14141 92 edbjdci Eliminar o item 6.6 Característica já verificada pelo CW. 30/05/2003 20:13:22
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 7. 7. CIRCUITOS DE DERIVAÇÃO E TERMINAIS DE ANTENAS 14036 93 Lierson eliminar este item. A Marconi sugere a eliminação deste item, pois entende que este teste, além de não ser necessário visto tratar-se esse de um ponto interno (muitos sistemas ponto-multiponto possuem as antenas já integradas na ODU), não trata da questão relativa à interferência entre sistemas, e portanto não pertinente à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 18:08:51
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 7.1 7.1. A perda de retorno na entrada e saída do circuito alimentador (pontos C e C da Figura 2) deve ser igual ou superior a 15 dB. 14142 94 edbjdci Eliminar o item 7.1 Os ensaios requeridos não tratam da questão relativa à interferência entre sistemas, logo não são pertinentes à regulamentação e sim às características intrínsecas dos equipamentos. 30/05/2003 20:16:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 7.1 7.1. A perda de retorno na entrada e saída do circuito alimentador (pontos C e C da Figura 2) deve ser igual ou superior a 15 dB. 13909 95 sssouza Eliminar este item. A análise resultante diz respeito às características internas do equipamento e não às características de possíveis interferências com outros equipamentos. 30/05/2003 11:26:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 7.1 7.1. A perda de retorno na entrada e saída do circuito alimentador (pontos C e C da Figura 2) deve ser igual ou superior a 15 dB. 13971 96 pombrou It is recommended that the return loss is set for equal to or superior to 10 dB, in accordance to ETSI standards. ETSI (the European standard) is a important international parameter and the majority of the companies comply to it. It is also proven to be efective. 30/05/2003 15:54:48
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 7.1 7.1. A perda de retorno na entrada e saída do circuito alimentador (pontos C e C da Figura 2) deve ser igual ou superior a 15 dB. 13636 97 abrandao Incluir: excluindo antenas internas e integrais onde o valor deve ser igual ou superior a 10dB. No caso de antenas internas e integrais não podemos adicionar no cálculo a perda no cabo. 29/04/2003 17:54:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8. 8. CONDIÇÕES AMBIENTAIS 13940 98 ABINEE Item 8.1 Contribuição: a Abinee sugere acrescentar no final da redação desse item o seguinte: Os testes climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas sob certificação que já não os tiverem feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a uma amostra da família de produtos. Justificativa: de forma a se reduzirem os tempos e os custos envolvidos com a certificação para não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 15:26:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8. 8. CONDIÇÕES AMBIENTAIS 13910 99 sssouza Sugerimos a eliminação dos ensaios de Câmara Climática. Considerando-se que muitas operadoras exigem estes testes no momento da aceitação dos equipamentos, a exigência destes também no processo de certificação iria onerar ainda mais a indústria, que já sofre hoje com a crise no setor. Além disto, demonstramos uma grande preocupação quanto à capacitação, neste caso entenda-se tanto técnica quanto em termos de instrumentos, dos laboratórios de terceira parte. Tememos que passem a existir gargalos , com a lotação de alguns laboratórios, tornando o processo de homologação extremamente longo. 30/05/2003 11:41:27
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 13911 100 sssouza Acrescentar no final da redação desse item o seguinte: Os testes climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas sob certificação que já não os tiverem feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a uma amostra da família de produtos. Reduzir os tempos e os custos envolvidos com a certificação para não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 11:41:27
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 13941 101 ABINEE Item 8.1 Contribuição: a Abinee sugere acrescentar no final da redação desse item o seguinte: Os testes climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas sob certificação que já não os tiverem feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a uma amostra da família de produtos. Justificativa: de forma a se reduzirem os tempos e os custos envolvidos com a certificação para não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 15:28:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 13932 102 marruda A Siemens sugere acrescentar no final da redação desse item o seguinte: Os testes climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas sob certificação que já não os tiverem feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a uma amostra da família de produtos. De forma a se reduzirem os tempos e os custos envolvidos com a certificação para não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 13:43:03
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 13972 103 pombrou It is suggested that the lower temperature limit is expanded to reach lower temperatures, according to international standards. Altough Brazil is a country with higher temperatures, there are some regions in the south that may require lower temperatures and this may prove how robust the equipment is. 30/05/2003 15:54:48
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 13637 104 abrandao Alterar valores na Classe Ambiental - Totalmente Aberto : Temperatura (C) para -40 a + 60 Umidade (%) 10 a 95 Temperatura: Dependendo da região onde os equipamentos serão instalados a temperatura pode ir além dos valores estabelecidos. Umidade: Equipamentos com 100% de proteção à umidade, referem-se a equipamentos que podem ser submergidos em água, não se aplica aos equipamentos de telecomunicações. 29/04/2003 17:54:16
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 14143 105 edbjdci Alterar o texto para: Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. Os ensaios climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas quando os mesmos não foram realizados anteriormente pelo fabricante do produto em questão. Redução de prazo e custos de internalização de produtos no Brasil. 30/05/2003 20:16:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 8.1 8.1. Os equipamentos devem operar nas condições ambientais especificadas na Tabela 15, aplicando-se a classe selecionada pelo fabricante para a sua certificação de acordo com as características listadas. 14037 106 Lierson a Marconi sugere acrescentar no final da redação desse item o seguinte: ... de acordo com as características listadas. Os testes climáticos somente serão aplicados a equipamentos / sistemas sob certificação que já não os tiverem feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a uma amostra da família de produtos. de forma a se reduzirem os tempos e os custos envolvidos com a certificação para não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 18:08:51
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 9. 9. COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 9.1 9.1. O equipamento a ser certificado deve atender aos requisitos e procedimentos de ensaios, estabelecidos na regulamentação especifica emitida ou adotada pela Anatel referente à compatibilidade eletromagnética.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 10 10. IDENTIFICAÇÃO DA HOMOLOGAÇÃO
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 10.1 10.1 O equipamento deve portar o selo Anatel de identificação legível, conforme modelo e instruções descritas no art. 39 e Anexo III do Regulamento, anexo à Resolução n 242, incluindo a logomarca Anatel, o número da homologação e a identificação por código de barras. 14038 107 Lierson A Marconi sugere a introdução de novo item após este (novo 11) com o seguinte texto: Simplificação de Testes: no caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. para possibilitar a simplificação dos testes uma vez que as características das partes comuns são as mesmas. 30/05/2003 18:08:51
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO I MÉTODOS DE ENSAIO PARA A AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE TRANSMISSORES E TRANCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO-MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQÜÊNCIAS ACIMA DE 1 GHZ 14039 108 Lierson A Marconi sugere que seja feita a devida adaptação dos métodos de ensaio constantes deste anexo, de acordo com os comentários anteriormente feitos. para compatibilizar o anexo com a norma propriamente dita. 30/05/2003 18:08:51
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO I MÉTODOS DE ENSAIO PARA A AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE TRANSMISSORES E TRANCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO-MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQÜÊNCIAS ACIMA DE 1 GHZ 14144 109 edbjdci Alterar o Anexo I de forma a prover a conformidade com as normas ETSI, conforme já referenciado no item 2.III Sugerimos a aderência à norma ETSI EN 301 126 Parte 2-1 até Parte 2-6 para a aplicação dos métodos de testes. 30/05/2003 20:16:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO I MÉTODOS DE ENSAIO PARA A AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE TRANSMISSORES E TRANCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO-MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQÜÊNCIAS ACIMA DE 1 GHZ 13912 110 sssouza Adequar-se à norma ETSI EN 301 126 Parte 2-1 até Parte 2-6. As contribuições nos Anexos I e II são conseqüência das sugestões feitas em todos os itens desta Consulta, assim, para os ensaios aplicáveis, sugerimos o seguimento à norma ETSI EN 301 126 Parte 2-1 até Parte 2-6 para a aplicação dos métodos de testes. 30/05/2003 11:41:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.1 I.1 DIAGRAMAS DE BLOCOS
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.1.1 I.1.1 Os diagramas de blocos apresentados na figura I.1 são simplificados e indicam pontos de referência citados nesta norma. Os pontos B e C , B e C coincidem quando duplexadores são utilizados no lugar de circuitos de derivação. 13643 111 abrandao Os pontos A , B , C ,A,B,C da Figura I.1 Diagrama de blocos de transceptores , são usados para medição, mas como nem todos os equipamentos tem acesso de medição nestes pontos, sugerimos que a observação ou equivalente seja adicionada sempre que estes pontos sejam referenciados no texto (ex: medir a potência de RF de saída no ponto C ou equivalente) Nem todos os equipamentos tem acesso de medição nos pontos A , B , C ,A,B,C. 29/04/2003 18:20:53
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.1.2 I.1.2 Os diagrama de blocos apresentados na figura I.2 ilustra a configuração de testes a ser utilizada em ensaios de equipamentos CDMA que requerem carregamento. Devem ser utilizadas tantas estações terminais quanto o número de canais ativos (L) requerido para o ensaio específico de acordo com a especificação da norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2 I.2 CONDIÇÕES GERAIS DE ENSAIO
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.1 I.2.1 Os métodos de ensaio de que trata este anexo referem-se apenas aos parâmetros específicos de transmissores e transceptores digitais requeridos diretamente por esta norma. Métodos de ensaio para a avaliação da conformidade de outros sistemas tais como interfaces de entrada e saída, de banda base, de Rede de Gerência de Telecomunicações e sistemas de alimentação, estão fora do escopo deste documento.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.2 I.2.2 O modelo de Relatório de Ensaio apresentado no Anexo II visa a uniformizar os métodos de ensaio para avaliação da conformidade de um dado produto.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.3 I.2.3 Todos os resultados dos ensaios devem ser registrados utilizando o formato de Relatório de Ensaio harmonizado apresentado no Anexo II. Se um parâmetro específico de ensaio não estiver incluído no relatório harmonizado, este deve ser usado com modelo para elaboração do adendo necessário.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.4 I.2.4 Quando algum método de ensaio não estiver incluído neste anexo, um método adequado deve ser acordado entre as partes envolvidas, previamente a realização dos ensaios. A descrição e a justificativa para utilização do método então acordado devem constar do Relatório de Ensaios.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.5 I.2.5 Os métodos de ensaios para a avaliação da conformidade apresentados neste anexo são típicos e recomendados. Métodos alternativos podem ser usados e devem estar em concordância com os regulamentos e normas aplicáveis.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.6 I.2.6 O Equipamento a Ser Certificado (ESC) apresentado para avaliação de certificação deve ser representativo dos modelos em produção e um conjunto adequado deve ser fornecido para os ensaios de conformidade.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.7 I.2.7 Todos os ensaios serão realizados em condições ambientais de referência e seus resultados serão considerados como de referência. O desempenho do ESC em condições de referência será utilizado para comparação com resultados dos ensaios realizados em condições ambientais extremas. 14040 112 Lierson alterar a redação deste item para: ... serão realizados em condições ambientais de referência e seus resultados serão considerados como de referência. O desempenho do ESC em condições de referência será utilizado para comparação com resultados dos ensaios realizados em condições ambientais extremas, para os casos em que o ESC já não possuir testes climáticos feitos anteriormente. Nesse caso, os testes climáticos devem se limitar a apenas uma amostra da família de produtos. para compatibilizar o anexo com a norma propriamente dita e de forma a se reduzirem os tempos e os custos envolvidos com a certificação visando não inviabilizar a introdução de produtos no mercado Brasileiro. 30/05/2003 18:08:51
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.7 I.2.7 Todos os ensaios serão realizados em condições ambientais de referência e seus resultados serão considerados como de referência. O desempenho do ESC em condições de referência será utilizado para comparação com resultados dos ensaios realizados em condições ambientais extremas. 13913 113 sssouza Alterar o texto paro o seguinte: Todos os ensaios serão realizados em condições ambientais de referência. Como justificado no item I. 30/05/2003 11:41:28
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.8 I.2.8 Por razões de praticidade e conveniência, alguns ensaios serão realizados somente em condições ambientais de referência, conforme indicado no Anexo II. 13914 114 sssouza Excluir este item. Como justificado no item I. 30/05/2003 11:41:29
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.2.9 I.2.9 A condição ambiental de referência é uma das possíveis combinações de temperatura, umidade relativa e pressão do ar, incluídas dentro dos seguintes limites: a) Temperatura: de +10 oC a +35 oC b) Umidade relativa: de 10% a 80% c) Pressão: de 8,6x10^4 Pa a 1,06x10^5 Pa
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3 I.3 CONFIGURAÇÕES DE ENSAIO
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.1 I.3.1 Um esquema típico de configuração de ensaio para o ESC é apresentado na figura I.1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2 I.3.2 Ensaios de características de transmissão
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.1 I.3.2.1 Potência de transmissão máxima
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.1 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se a média das medidas dos valores máximos da potência de saída nos pontos de referência C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação) está dentro do valor declarado pelo solicitante e de acordo com os requisitos especificados nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.1 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Medidor de potência e sensor de potência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.1 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.1 Procedimento: Procedimento: Com o nível de potência do transmissor ajustado no máximo, o valor médio da potência de saída é medido no ponto de referência C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). As perdas entre o ponto de teste e o medidor de potência devem consideradas.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.2 I.3.2.2 Máxima tolerância de freqüência
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.2 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se a tolerância de freqüência de transmissão está dentro dos limites especificados no requisito relevante. Quando o transmissor não puder ser colocado na condição de onda contínua (CW), deve ser utilizado um contador de freqüências capaz de medir a freqüência central de um sinal modulado. Quando este tipo de contador não estiver disponível, a freqüência do oscilador local (OL) deve ser medida e a freqüência de saída calculada.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.2 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Contador de freqüência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.2 Configuração de ensaio: 13644 115 abrandao Os pontos A , B , C da Figura I.4 Configuração de ensaio de máxima tolerância de frequência , são usados para medição, mas como nem todos os equipamentos tem acesso de medição nestes pontos, sugerimos que a observação ou equivalente seja adicionada sempre que estes pontos sejam referenciados no texto (ex: no ponto C ou equivalente) Nem todos os equipamentos tem acesso de medição nos pontos A , B , C 29/04/2003 18:20:53
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.2 Procedimento: Procedimento: Com o transmissor operando em CW, as medidas de freqüências são realizadas nos canais previamente selecionados pelo laboratório de testes. A medida de freqüência deve estar dentro da tolerância definida pelo requisito relevante.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.3 I.3.2.3 Máscara espectral de RF
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.3 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se o espectro de transmissão está de acordo com os requisitos desta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.3 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Analisador de espectro e plotadora.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.3 Configuração de ensaio: 13645 116 abrandao Os pontos A , B , C da Figura I.5 Configuração de ensaio de máscara espectral de RF , são usados para medição, mas como nem todos os equipamentos tem acesso de medição nestes pontos, sugerimos que a observação ou equivalente seja adicionada sempre que estes pontos sejam referenciados no texto (ex: no ponto C ou equivalente) Nem todos os equipamentos tem acesso de medição nos pontos A , B , C 29/04/2003 18:20:53
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.3 Procedimento: Procedimento: A porta de saída do transmissor deve ser conectada a um analisador de espectro com tela de persistência variável ou facilidade de armazenamento digital. Os parâmetros do analisador de espectro devem ser ajustados de acordo com o requisito relevante. Com o transmissor modulado, a densidade de potência de transmissão deve ser medida com o analisador de espectro e plotada. Sempre que possível, a medida de máscara espectral deve ser realizada nos canais inferior, central e superior da unidade testada. Os registros devem ser realizados com as tensões de alimentação e as temperaturas ambientes nas condições normais e extremas.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.4 I.3.2.4 Linhas espectrais discretas
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.4 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se os níveis de potência das linhas espectrais a uma distância da freqüência do canal central igual à taxa de símbolos são inferiores à especificação desta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.4 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Analisador de espectro e plotadora.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.4 Configuração de ensaio: Configuração de ensaio: A mesma do ensaio de máscara de espectro de RF.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.4 Procedimento: Procedimento: O mesmo do ensaio de máscara de espectro de RF.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.5 I.3.2.5 Emissões espúrias do transmissor
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.5 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se quaisquer emissões espúrias geradas pelo transmissor estão dentro dos limites definidos nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.5 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Analisador de espectro, misturadores do analisador de espectro (quando necessário) e plotadora.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.5 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.2.5 Procedimento: Procedimento: A porta de saída do transmissor deve ser conectada ao analisador de espectro através de um atenuador, filtro ou ambos para limitar a potência. Nos casos em que a freqüência máxima excede a faixa de operação do analisador, transições em guia e um misturador podem ser utilizados. O transmissor deve operar na potência máxima indicada pelo fabricante. O nível e a freqüência de todos os sinais relevantes na faixa de freqüências especificada no requisito relevante devem ser medidos e plotados. As varreduras devem ser realizadas em faixas de 5 GHz para freqüências até 21,2 GHz, e em faixas de 10 GHz acima desta freqüência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3 I.3.3 Ensaios de características de recepção
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.1 I.3.3.1 Faixa dinâmica de recepção 13915 117 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item I deste anexo. 30/05/2003 11:49:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.1 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se o receptor atende ao requisito especificado nesta norma para uma faixa de valores de níveis de entrada entre o nível de saturação correspondente a uma TEB igual a 10^-6 e o nível mínimo correspondente a uma taxa de erro de bits TEB igual a 10^-3.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.1 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Medidor de potência, gerador de seqüência pseudo-aleatória e detector de erro.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.1 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.1 Procedimento: Procedimento: Conectar a saída do gerador de seqüência pseudo-aleatória à entrada de banda base do transmissor (EBB) e o detector de erro à saída de banda base do receptor (SBB). Colocar o transmissor em estado de espera e ajustar o atenuador para atenuação máxima. Desconectar o receptor da unidade em teste e conectar o medidor de potência ao ponto C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). Ligar o transmissor e ajustar o atenuador para colocar a potência no limite superior da faixa de teste, correspondente a uma TEB igual a 10^-6. Aumentar o nível de atenuação até que o nível do sinal de entrada no receptor provoque uma taxa de erro igual ao limite especificado nesta norma. A faixa de nível de entrada do receptor é igual à diferença entre o limite superior do nível de entrada do receptor e o valor de nível de entrada que provoca a TEB igual a 10^-3.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.2 I.3.3.2 Emissões espúrias do receptor 13920 118 sssouza Eliminar este item. Razões já expostas no texto da Consulta Pública. 30/05/2003 12:04:17
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.2 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se as emissões espúrias do receptor estão dentro dos limites especificados nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.2 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Medidor de potência, gerador de seqüência pseudo-aleatória e detector de erro.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.2 Configuração de ensaio: Configuração de ensaio: A mesma do ensaio de emissões espúrias do transmissor.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.2 Procedimento: Procedimento: O mesmo procedimento do ensaio de emissões espúrias do transmissor deve ser aplicado. Os níveis de emissões espúrias do transmissor e receptor de um equipamento duplex podem ser medidos simultaneamente, sendo o teste realizado uma única vez.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.3 I.3.3.3 Taxa de erro em função do nível de sinal recebido (NSR) e taxa de erro residual 13916 119 sssouza Eliminar este item. Como justificado no item I deste anexo. 30/05/2003 11:49:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.3 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se os requisitos de TEB em função do NSR são atendidos. As medidas são realizadas nos níveis de taxa de erro especificados nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.3 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Gerador de seqüência / detector de erro, sensor de potência e medidor de potência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.3 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.3 Procedimento: Procedimento: Conectar a saída do gerador de seqüência à entrada de banda base (BB) do Tx. Enviar o sinal de saída de BB do Rx ao detector de erro. Registrar os valores de TEB obtidos variando o sinal na entrada do receptor com o atenuador variável. Verificar se os NSR correspondentes aos limiares de TEB estão dentro das especificações desta norma. Para a medida de taxa de erro residual deve ser utilizado o nível de recepção indicado pelo fabricante.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.4 I.3.3.4 Sensibilidade à interferência co-canal
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.4 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se, quando existe um sinal modulado interferente no mesmo canal, os limites máximos de C / I correspondentes a degradação de 1 dB no nível de sinal recebido correspondente a TEB igual a 10^-6 está abaixo dos requisitos especificados nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.4 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Dois geradores de seqüência de bits, detector de erro, sensor de potência e medidor de potência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.4 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.4 Procedimento: Procedimento: Neste teste, ambos os transmissores devem transmitir no mesmo canal e ser modulados com sinais com as mesmas características de modulação. No caso de ensaios de equipamentos CDMA, devem ser observados os carregamentos (número de canais ativos durante o ensaio) indicados na Norma. Com os transmissores em estado de espera, os atenuadores devem ser ajustados no valor máximo. O medidor de potência deve ser conectado ao ponto C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). Ligar o Tx1 e ajustar o atenuador 1 de modo a obter um sinal desejado no nível especificado para TEB igual a 10^-6. Reduzir a atenuação em 1 dB e registrar o valor de atenuação. Ligar o transmissor interferente (Tx2) e reduzir o atenuador 2 até obter uma TEB igual a 10^-6 no detector de erro. Desligar ambos os transmissores e desconectar o guia de onda (ou cabo) no ponto C(ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). Registrar o valor de atenuação do atenuador 2 e conectar o sensor e medidor de potência ao guia de onda (ou cabo). Ligar o Tx1 e reduzir o atenuador 1 de modo a produzir um sinal desejado dentro da faixa calibrada do medidor de potência. Registrar o nível de potência e a redução na atenuação. A potência de sinal desejado é dada por: Potência do sinal desejado = Nível de potência medida redução na atenuação. Desligar o Tx1, ligar o Tx2 e repetir o procedimento para calcular a potência do sinal interferente. O valor máximo de C / I para interferência co-canal correspondente a uma degradação de 1 dB no nível de sinal recebido correspondente a TEB igual a 10^-6 é dado por: C / I = Potência do sinal desejado - Potência do sinal interferente.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.5 I.3.3.5 Sensibilidade à interferência de canal adjacente
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.5 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é verificar se, quando existe um sinal modulado interferente no canal adjacente, os limites máximos de C / I correspondentes a degradações de 1 dB no nível de sinal recebido correspondente a TEB igual a 10^-6 está abaixo dos requisitos especificados nesta norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.5 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Dois geradores de seqüência de bits, detector de erro, sensor de potência e medidor de potência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.5 Configuração de ensaio: Configuração de ensaio: A mesma do ensaio de sensibilidade à interferência co-canal.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.5 Procedimento: Procedimento: Neste teste, o transmissor Tx2 deve transmitir em um dos canais adjacentes mais próximos ao do transmissor Tx1. Ambos os transmissores devem ser modulados com sinais com as mesmas características de modulação. No caso de ensaios de equipamentos CDMA, devem ser observados os carregamentos (número de canais ativos durante o ensaio) indicados na Norma. Com os transmissores em estado de espera, os atenuadores devem ser ajustados no valor máximo. O medidor de potência deve ser conectado ao ponto C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). Ligar o Tx1 e ajustar o atenuador 1 de modo a obter um sinal desejado no nível especificado para TEB igual a 10^-6. Reduzir a atenuação em 1 dB (ou 3 dB) e registrar o valor de atenuação. Ligar o transmissor interferente (Tx2) e reduzir o atenuador 2 até obter uma TEB igual a 10^-6 no detector de erro. Desligar ambos os transmissores e desconectar o guia de onda (ou cabo) no ponto C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação). Registrar o valor de atenuação do atenuador 2 e conectar o sensor e medidor de potência ao guia de onda (ou cabo). Ligar o Tx1 e reduzir o atenuador 1 de modo a produzir um sinal desejado dentro da faixa calibrada do medidor de potência. Registrar o nível de potência e a redução na atenuação. A potência de sinal desejado é dada por: Potência do sinal desejado = Nível de potência medida variação na atenuação. Desligar o Tx1, ligar o Tx2 e repetir o procedimento para calcular a potência do sinal interferente. O valor máximo de C / I para interferência co-canal correspondente a uma degradação de 1 dB (ou 3 dB) no nível de sinal recebido correspondente a TEB igual a 10^-6 é dado por: C / I = Potência do sinal desejado - Potência do sinal interferente. Repetir o teste para o outro canal adjacente.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.6 I.3.3.6 Interferência espúria de CW (sinais interferentes senoidais)
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.6 Objetivo: Objetivo: O objetivo deste ensaio é identificar freqüências específicas nas quais o receptor possa ter uma resposta espúria, como por exemplo, freqüência imagem, resposta harmônica do filtro do receptor, etc. A faixa de freqüência do teste deve estar de acordo com o requisito desta norma. 13646 120 abrandao Sugerimos retirar a palavra etc do texto acima. A norma deve ser clara e específica evitando termos que possam gerar conflitos. 29/04/2003 18:20:53
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.6 Instrumentos de teste: Instrumentos de teste: Geradores de seqüência, detector de erro, gerador de sinal, sensor de potência e medidor de potência.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.6 Configuração de ensaio:
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 I.3.3.6 Procedimento: Procedimento: Com o gerador de sinal desligado, medir a potência de RF de saída no ponto C (ou B quando o equipamento não incluir circuito de derivação) usando um sensor de potência adequado, com um nível de atenuação conhecido. Substituir o sensor de potência pelo receptor em teste e aumentar a atenuação até que o nível requerido pelo requisito seja atingido. Registrar a TEB para este nível de sinal recebido (em dBm). Desligar o transmissor e substituir o receptor em teste por um sensor de potência. Calibrar o gerador de sinais em toda a faixa de freqüências requerida no nível requerido pela presente norma, aumentado da diferença requerida para o sinal CW interferente. Substituir o sensor de potência pelo receptor em teste e confirmar a manutenção do nível de TEB. Variar o gerador de sinais ao longo da faixa de freqüências requerida com o nível calibrado. Registrar todas as freqüências em que a TEB exceda o nível estabelecido na presente norma.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO II RELATÓRIO DE ENSAIO 14041 121 Lierson A Marconi sugere que seja feita a devida adaptação no relatório de ensaio constante deste anexo, de acordo com os comentários anteriormente feitos. para compatibilizar o anexo com a norma propriamente dita. 30/05/2003 18:09:17
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO II RELATÓRIO DE ENSAIO 14145 122 edbjdci Alterar o Anexo II de forma a prover a conformidade com as normas ETSI, conforme já referenciado no item 2.III Sugerimos a aderência à norma ETSI EN 301 126 Parte 2-1 até Parte 2-6 para a aplicação dos métodos de testes. 30/05/2003 20:16:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 ANEXO II RELATÓRIO DE ENSAIO 13917 123 sssouza Adequação do relatório às alterações sugeridas nos itens desta Consulta Pública, eliminando os ensaios ou algumas condições específicas que não forem exigidos. De acordo com a justificativa do anexo I 30/05/2003 11:49:44
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1. II.1. Resultados dos ensaios
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.2. II.1.2. Informações gerais sobre os ensaios
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3. II.1.3. Resultados dos ensaios
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1. II.1.3.1. Ensaios de características do transmissor
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1.1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1.2.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1.3.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1.4.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.1.5.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.2. II.1.3.2. Características do Receptor
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.2.1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.2.1.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.2.2.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.3.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.4.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.5. II.1.3.5. Sensibilidade à interferência
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.5.1
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.1.3.5.2
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.2.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 II.3.
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXIX Sugerimos a inclusão da definição do termo: Linhas Espectrais Discretas 13652 124 abrandao Sugerimos a inclusão da definição do termo: Linhas Espectrais Discretas O termo Linhas espectrais discretas foi citado no corpo desta proposta e não possui sua definição, o que poderá vir a gerar dúvidas e discordâncias. Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 29/04/2003 18:29:02
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXX Sugerimos a inclusão do termo e sua definição: EBB = entrada de banda base do transmissor 13653 125 abrandao Sugerimos a inclusão do termo e sua definição: EBB = entrada de banda base do transmissor O termo EBB aparece no corpo do documento mas sua definição aparece apenas no item I.3.3.1 (pg 21). Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 29/04/2003 18:32:25
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXXI Sugerimos incluir o termo e a definição de : SBB = saída de banda base do receptor no início do documento. 13659 126 abrandao Sugerimos incluir o termo e a definição de : SBB = saída de banda base do receptor no início do documento. O termo SBB = saída de banda base do receptor aparece no corpo deste documento mas sua definição aparece apenas no item I.3.3.1 Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 29/04/2003 18:35:10
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 Família de produtos Família de produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). 13918 127 sssouza Família de produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). Possibilita a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família. Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 30/05/2003 11:52:17
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 Simplificação de Testes Simplificação de Testes: no caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. 13919 128 sssouza Simplificação de Testes: no caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. Possibilitar a simplificação dos testes uma vez que as características das partes comuns são as mesmas. Observação: Este item deve vir após o item 10 30/05/2003 11:56:12
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 Simplificação de Testes: No caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. 13928 129 marruda No caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. Para possibilitar a simplificação dos testes uma vez que as características das partes comuns são as mesmas. Observação: Este item deve vir após o item 10 30/05/2003 13:39:14
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 Simplificação de Testes & 61623; Item 11 (Novo): a Abinee sugere a introdução novo item com o seguinte texto: Simplificação de Testes: no caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma e apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. 13947 130 ABINEE & 61623; Item 11 (Novo): a Abinee sugere a introdução novo item com o seguinte texto: Simplificação de Testes: no caso de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma e apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. Justificativa: para possibilitar a simplificação dos testes uma vez que as características das partes comuns são as mesmas. 30/05/2003 15:35:43
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXIX XXIX: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). 14108 131 edbjdci XXIX: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). Possibilitar a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 30/05/2003 19:41:35
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 3.XXIX XXIX: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). 14146 132 edbjdci XXIX: Família de Produtos: equipamentos / sistemas que possuem partes comuns e com as mesmas características (interfaces de usuário, banda base, comutação, FI, etc) e que apresentam apenas diferenças nas unidades de RF (freqüências, canalizações, potências). Possibilitar a simplificação dos testes de equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família. Observação: Este item deve vir após o item 3.XXVIII 30/05/2003 20:19:09
CONSULTA PÚBLICA Nº 436 11 11. SIMPLIFICAÇÃO DE TESTES 11.1 Para equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. 14147 133 edbjdci 11. SIMPLIFICAÇÃO DE TESTES 11.1 Para equipamentos / sistemas pertencentes a uma mesma família de produtos, os testes devem ser realizados completamente segundo esta norma em apenas uma amostra do equipamento / sistema (associada a uma dada faixa de freqüências); para os demais equipamentos / sistemas de uma mesma família, porém operando em outra faixa de freqüências, os testes devem se limitar exclusivamente às partes não comuns. Possibilitar a simplificação dos testes uma vez que as características das partes comuns são as mesmas. Observação: Este item deve vir após o item 10.1 30/05/2003 20:21:25