Exportar:
Word Excel PDF
Lista de Itens
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:1/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei n.º 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto n.º 2.338, de 7 de outubro de 1997, deliberou por meio do Circuito Deliberativo n.º 834, de 27 de fevereiro de 2004, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42 da Lei n.º 9.472, de 1997, e do art. 67 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT, na forma do Anexo à presente Consulta Pública. A presente proposta de norma tem por objetivo uniformizar os procedimentos de certificação de produtos para telecomunicações da categoria I, de acordo com as disposições estabelecidas no Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações, aprovado pela Resolução n.º 242, de 30 de novembro de 2000. O texto completo da proposta estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço subscrito e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União. As contribuições e sugestões deverão ser fundamentadas, devidamente identificadas e encaminhadas, preferencialmente por meio de formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível no endereço Internet http://www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 19 de abril de 2004, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo. Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica recebidas até às 18h do dia 12 de abril de 2004. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES – ANATEL SUPERINTENDENTE DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA N.° 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT Setor de Autarquias Sul – SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca 70070-940 – Brasília – DF – Fax. (061) 312-2002 biblioteca@anatel.gov.br As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência. PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO Presidente do Conselho
ID da Contribuição: 16989
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: SUGERIMOS QUE O PRAZO PARA ANÁLISE PÚBLICA SEJA AMPLIADO EM PELO MENOS TRINTA DIAS.
Justificativa: PARA ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS E MELHOR APRECIAÇÃO DA MESMA.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Item prejudicado. Não há contribuição a ser analisada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:2/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei n.º 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto n.º 2.338, de 7 de outubro de 1997, deliberou por meio do Circuito Deliberativo n.º 834, de 27 de fevereiro de 2004, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42 da Lei n.º 9.472, de 1997, e do art. 67 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT, na forma do Anexo à presente Consulta Pública. A presente proposta de norma tem por objetivo uniformizar os procedimentos de certificação de produtos para telecomunicações da categoria I, de acordo com as disposições estabelecidas no Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações, aprovado pela Resolução n.º 242, de 30 de novembro de 2000. O texto completo da proposta estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço subscrito e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União. As contribuições e sugestões deverão ser fundamentadas, devidamente identificadas e encaminhadas, preferencialmente por meio de formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível no endereço Internet http://www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 19 de abril de 2004, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo. Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica recebidas até às 18h do dia 12 de abril de 2004. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES – ANATEL SUPERINTENDENTE DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA N.° 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT Setor de Autarquias Sul – SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca 70070-940 – Brasília – DF – Fax. (061) 312-2002 biblioteca@anatel.gov.br As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência. PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO Presidente do Conselho
ID da Contribuição: 17212
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: .
Justificativa: .
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Item prejudicado. Não há contribuição a ser analisada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:3/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES CONSULTA PÚBLICA N.º 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Norma para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei n.º 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto n.º 2.338, de 7 de outubro de 1997, deliberou por meio do Circuito Deliberativo n.º 834, de 27 de fevereiro de 2004, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42 da Lei n.º 9.472, de 1997, e do art. 67 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT, na forma do Anexo à presente Consulta Pública. A presente proposta de norma tem por objetivo uniformizar os procedimentos de certificação de produtos para telecomunicações da categoria I, de acordo com as disposições estabelecidas no Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações, aprovado pela Resolução n.º 242, de 30 de novembro de 2000. O texto completo da proposta estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço subscrito e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União. As contribuições e sugestões deverão ser fundamentadas, devidamente identificadas e encaminhadas, preferencialmente por meio de formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível no endereço Internet http://www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 19 de abril de 2004, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo. Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica recebidas até às 18h do dia 12 de abril de 2004. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES – ANATEL SUPERINTENDENTE DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA N.° 509, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Proposta de Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT Setor de Autarquias Sul – SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca 70070-940 – Brasília – DF – Fax. (061) 312-2002 biblioteca@anatel.gov.br As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência. PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO Presidente do Conselho
ID da Contribuição: 17181
Autor da Contribuição: pinhel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o adiamento da publicação dessa norma devido à existência de um documento equivalente e em processo de revisão na ABNT. A norma em questão é a NBR13083 e seu texto está praticamente finalizado, tendo havido participação de empresas como Furnas, CPqD, Siemens, Alcatel, Nortel, Leucotron, NEC, além das operadoras de telefonia. Fiz parte dessa comissão, inclusive atuando como secretário e acredito que seria imprudente para a Anatel não tomar ciência do conteúdo do trabalho mencionado, uma vez que fabricantes, usuários e pesquisadores consensaram a respeito. Me coloco à disposição para fornecer o documento e debatermos como procederemos a seguir. Obrigado. Alexandre Pinhel Soares Departamento de Equipamentos Eletroeletrônicos Furnas Centrais Elétricas S. A. Tel. : 21-2528-4049 Fax. : 21-2528-5656 email : pinhel@furnas.com.br
Justificativa: Sugiro o adiamento da publicação dessa norma devido à existência de um documento equivalente e em processo de revisão na ABNT. A norma em questão é a NBR13083 e seu texto está praticamente finalizado, tendo havido participação de empresas como Furnas, CPqD, Siemens, Alcatel, Nortel, Leucotron, NEC, além das operadoras de telefonia. Fiz parte dessa comissão, inclusive atuando como secretário e acredito que seria imprudente para a Anatel não tomar ciência do conteúdo do trabalho mencionado, uma vez que fabricantes, usuários e pesquisadores consensaram a respeito. Me coloco à disposição para fornecer o documento e debatermos como procederemos a seguir. Obrigado. Alexandre Pinhel Soares Departamento de Equipamentos Eletroeletrônicos Furnas Centrais Elétricas S. A. Tel. : 21-2528-4049 Fax. : 21-2528-5656 email : pinhel@furnas.com.br
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O Sub-comitê de telecomunicações do COBEI - CB-03:012 - está desativado, sendo que no PNS (Plano de Normalização Setorial) 2004 da ABNT e no PNS 2003, não há nenhuma atividade em andamento para este sub-comitê. Consultado, o COBEI confirmou que não há revisão em andamento da NBR 13083. No entanto, informamos que a NBR 13083 de fevereiro de 1994 foi levada em consideração na elaboração desta Norma.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:4/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  ANEXO À CONSULTA PÚBLICA N.º 509 DE 15 DE MARÇO DE 2004
REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE CENTRAIS PRIVADAS DE COMUTAÇÃO TELEFÔNICA - CPCT
ID da Contribuição: 17103
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE CENTRAIS PRIVADAS DE COMUTAÇÃO TELEFÔNICA -CPCT-, NA MODALIDADE PABX ADMINISTRATIVO.
Justificativa: Lembramos que DAC também é CPCT e a maioria das definições deste documento não se enquadram para a modalidade DAC. Se aceito o texto sugerido, substituir o termo CPCT para PABX em todo o documento.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. DAC (Distribuidor Automático de Chamadas) é uma funcionalidade que pode ser implementada em CPCT ou separadamente em outro equipamento interligado à CPCT, que distribui as chamadas entrantes num call center (tipo 0800) para as posições de atendimento. O escopo da norma é abrangente para todos os tipos de CPCT e não somente para uma modalidade como proposto nesta contribuição.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:5/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Título I Capítulo I
Dos Objetivos e da Abrangência
ID da Contribuição: 17213
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Nesta proposta em nenhum lugar menciona sobre ponto de meia conexão principalmente nos diagramas em blocos para medidas.
Justificativa: Consideramos tecnicamente necessário.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O termo meia conexão designa, para CPCT tipo CPA-T, uma conexão somente num sentido e não é utilizado fora deste contexto nas normas ABNT NBR 13083, e 003/94 do Minicom, ambas sobre CPCT. Desta forma, não consideramos técnicamente necessário a referência ao termo meia conexão.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:6/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 1º
Art. 1º Este Regulamento estabelece as características técnicas mínimas exigidas para a certificação e homologação das Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT, que se conectam diretamente com a rede de telecomunicações de suporte ao Serviço Telefônico Fixo Comutado - STFC, Serviço Móvel Pessoal - SMP, Serviço Móvel Celular – SMC, Serviço de Comunicação Multimídia – SCM, ou quaisquer outros serviços de interesse coletivo, em âmbito nacional, e que são identificadas pela central de comutação pública ou central de comutação celular às quais estão interligadas como elementos de fim de rede.
ID da Contribuição: 17196
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: Art. 1º Este Regulamento estabelece as características técnicas mínimas exigidas para a certificação e homologação das Centrais Privadas de Comutação Telefônica - CPCT, que se conectam diretamente com a rede de telecomunicações de suporte ao Serviço Telefônico Fixo Comutado - STFC em âmbito nacional, e que são identificadas pela central de comutação pública às quais estão interligadas como elementos de fim de rede.
Justificativa: As propostas contidas nesta Consulta Pública não estão harmonizadas com o arcabouço regulatório vigente, além de consolidar um cenário que contempla uma assimetria de aplicação dos Critérios Tarifários entre as ligações fixo-móvel. a) Distorção do Modelo Regulatório vigente: A regulamentação vigente define que o STFC é o serviço de telecomunicações que, por meio da transmissão de voz e de outros sinais, destina-se à comunicação entre pontos fixos determinados, utilizando processos de telefonia, diferente do Serviço Móvel que se caracteriza pela “mobilidade” dos seus terminais, podendo estes terminais estar em movimento ou estacionados em lugar não especificado. Note-se bem que a definição de estações móveis prevê que estas podem operar em movimento ou estacionada em lugar não especificado (SMP) ou na própria caracterização do SMC se prevê sua utilização somente para terminais portáteis, transportáveis ou veiculares. Contudo, nota-se que o regulador teve o cuidado de distingui-lo do serviço fixo: - para caracterizar a “mobilidade” do serviço, os terminais não podem ser, a contrario sensu, estacionados em lugar especificado, para que não haja concorrência indevida com a telefonia fixa. Assim, se um terminal móvel é afixado em uma CPCT, permanentemente, este adquire características de imobilidade, invadindo e confundindo-se o serviço fixo, que se caracteriza por essa imobilidade. Outra importante irregularidade diz respeito à descaracterização da pessoalidade também inerente aos serviços móveis SMP e SMC. No primeiro, a pessoalidade está tão caracterizada que sua própria denominação assim indica. O segundo, em sua definição legal, está prevista seu uso individual. Por ser a CPCT equipamentos que permite que vários usuários compartilham o acesso ao Serviço, Vê-se, que a característica de individualidade do serviço móvel, não é compatível para uso compartilhado, tanto que, desta forma a utilização de centrais privativas de comutação telefônica está prevista apenas na regulamentação do STFC. Um outro ponto que deve ser analisado, e que permanecendo a proposta de regulamento na forma apresentada, mesmo com a possibilidade de conexão direta da CPCT com outros serviços distintos do STFC, esta sempre deverá estar conectada a uma rede STFC, pois conforme previsto no parágrafo único do artigo 7º desta consulta “O código de acesso dos ramais utilizados em CPCT com DDR, para as chamadas de entrada, deve ser parte integrante dos recursos de numeração do STFC”. Ou seja, o regulamento na forma proposta, cria uma distinção clara entre os serviços envolvidos (STFC e demais) onde ao STFC será permitido realizar o escoamento do tráfego de entrada e saída da CPCT e aos demais serviços somente será permitido realizar o escoamento do tráfego de saída, mas não o de entrada. Caso o regulamento seja aprovado na forma proposta, teremos como primeiro efeito que as chamadas originadas em uma CPCT e destinadas às demais redes não permitirão a identificação, pelo assinante que receber esta chamada, do numero chave da CPCT, que será sempre um recurso do STFC. b) Assimetria aplicação dos Critérios Tarifários entre as ligações fixo-móvel Atualmente, uma ligação originada em um terminal móvel, destinada a um outro terminal móvel, tem valores praticados muito abaixo do valor homologado da VU-M. Ao contemplar a conexão de uma CPCT diretamente às redes móveis, essa Agência estará ampliando uma assimetria concorrêncial tolerada até então, que ao longo do tempo irá prejudicar as operadoras do STFC, reduzindo o valor destas operadoras. Isso é explicado, uma vez que as operadoras do STFC não conseguem ofertar ao mercado, produtos similares (pacotes de minutos) aos praticados pelas operadoras móveis, pois ao incluir o repasse do valor integral da VU-M para as operadoras móveis, os produtos das operadoras do STFC perdem competitividade (ficam mais caros). c) Escopo da Consulta: Ressaltamos que ao tentar atribuir novos conceitos a CPCT, essa Agência foge do escopo da consulta que é o de certificação e homologação das CPCTs, não devendo entrar no mérito da sua utilização. Caso essa Agência entenda que existe a necessidade de ampliar o escopo de utilização da CPCT, com a interligação desta aos demais serviços de telecomunicações existentes, ou ate mesmo realizar uma convergência entre os serviços. Isto deverá ser realizado através de consulta pública específica sobre este tema, sanando as distorções apresentadas acima, e realizando uma revisão completa do arcabouço regulatório vigente, e não através de um regulamento de certificação e homologação de equipamento de Telecomunicações.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: As propostas contidas neste Regulamento foram estabelecidas considerando-se, entre vários outros aspectos, aqueles inseridos na Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, nos seguintes artigos: Art. 2º, incisos I e III; Art. 103; Art. 146, parágrafo único. A definição de estação móvel, descrita no Art. 3º, inciso XIII do Regulamento do Serviço Móvel Pessoal - SMP, não impede o uso do equipamento em pontos fixos determinados. Não sendo, portanto, sustentável a argumentação de que a utilização de equipamentos móveis em locais determinados, ou então, que a facilidade da utilização do terminal móvel de forma fixa, caracterize serviço fixo, impossibilitando a distinção entre STFC e SMP. Além disso, é preciso considerar que um terminal de acesso é, em geral, propriedade do usuário, cabendo a ele a decisão de acessar o serviço em movimento ou não. O pressuposto básico da mobilidade está intimamente associado à vontade do usuário, que não deve ser cerceada. O fato de, eventualmente, um terminal móvel ser utilizado no estado de imobilidade não deve ser confundido com a impossibilidade de uso da mobilidade. Todo o tráfego de entrada recebido pelo tronco interligado ao SMC/SMP deverá ser direcionado para o número chave da CPCT, que encaminhará o tráfego à pessoa (ramal) desejada(o), ou em caso de ausência, para uma caixa de mensagem do usuário da CPCT. Para melhor interpretação do texto do artigo 7º, a redação será alterada para: O código de acesso dos ramais utilizados em CPCT com DDR, para as chamadas de entrada, deve ser parte integrante dos recursos de numeração do STFC, salvo quando do recebimento de chamadas pelo tronco interligado ao SMC/SMP. Não há assimetria de critério tarifário entre as ligações que serão realizadas, uma vez que ao se utilizar troncos com o SMP, essa utilização será apenas para chamadas originadas, nunca terminadas. Não é possível definir características técnicas mínimas e requisitos de certificação sem levar em conta a utilização das CPCTs. Tanto que o Regulamento proposto incorpora não somente os requisitos técnicos necessários à certificação, mas também aspectos relacionados à sua utilização e de funcionalidade. Por essa razão, o regulamento foi concebido com a participação direta das Superindentências de Serviços Públicos e Privados que fizeram incluir no texto normativo todas as considerações relevantes de forma a evitar que, eventualmente, pudessem ser afetados alguns dispositivos regulamentares vigentes. Dessa forma, não é apenas um regulamento de certificação como sugere a Telefônica e, portanto, não há fuga ao escopo proposto. A definição clássica de CPCT como terminal de acesso ao STFC (ou, como outrora, aos serviços públicos de telecomunicações) não deve ser estagnada no tempo, nem oferecer obstáculo à absorção de novas tecnologias com conseqüências prejudiciais ao direito de escolha do usuário, no que tange às possibilidades de acesso a serviços de telecomunicações, especialmente se o exercício de tal direito pode significar economia significativa no pagamento pela prestação de serviços. Além do mais, a proposição contida na Consulta Pública incorpora princípios de convergência tecnológica, tendência praticamente irreversível, incentiva a competição e beneficia econômica e qualitativamente os usuários de serviços de telecomunicações.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:7/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º
Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário e sem fins de prestação do serviço a terceiros.
ID da Contribuição: 17197
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário sendo permitido o seu compartilhamento entre distintos usuários
Justificativa: Nos condomínios comerciais não são raros os casos onde é instalada uma única CPCT, geralmente pertencente ao condomínio, ou a uma empresa terceirizada contratada por este, com diversos troncos chaves, de forma a atender os vários usuários do condomínio, gerando uma economia de escala entre os usuários localizados nestes condomínios. Portanto, ao não permitir o compartilhamento da CPCT por diversos usuários este regulamento estará indo contra uma prática vigente de mercado e contribuindo para aumentar o custo operacional das empresas. Novamente, ressaltamos que por se tratar de uma consulta para definição de critérios de certificação e homologação das CPCTs, este artigo não deveria entrar no mérito da sua utilização, o que ao nosso ver deveria ser objeto de consulta específica.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O que o Art. 2º quer vedar é a prestação do STFC para terceiros, pelo usuário da CPCT (entende-se por usuário a pessoa física ou jurídica que negociou com a Empresa Operadora a instalação e utilização da CPCT). No entanto, a fim de tornar mais claro o entendimento do artigo em questão, a redação será alterada para: Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo da empresa ou da pessoa física que comprou a CPCT ou contratou com a Prestadora o serviço de operação da CPCT, sem fins de prestação de STFC para terceiros.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:8/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º
Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário e sem fins de prestação do serviço a terceiros.
ID da Contribuição: 16990
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Incluir exceções: por exemplo, posto telefônico, centrais em condomínio rural, etc.
Justificativa: Consideramos que os equipamentos instalados nestes locais, por estarem em áreas habitadas devem ser classificados como classe B, já que centrais públicas para acesso a serviços de telecomunicações de interesse coletivo são classe A.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Uma central instalada num posto telefônico é uma central pública, não devendo, portanto, ser coberta por esta Norma. Uma central em condomínio é de uso do condomínio, portanto, coberta por esta Norma.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:9/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º
Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário e sem fins de prestação do serviço a terceiros.
ID da Contribuição: 16758
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Como ficam os clientes empresariais na utilização de uma CPCT?
Justificativa: Deve haver mecanismos que permitam a utilização de CPCTs por clientes empresariais.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O que o Art. 2º quer vedar é a prestação do STFC para terceiros, pelo usuário da CPCT (entende-se por usuário a pessoa física ou jurídica que negociou com a Empresa Operadora a instalação e utilização da CPCT).
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:10/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º
Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário e sem fins de prestação do serviço a terceiros.
ID da Contribuição: 16935
Autor da Contribuição: rstolt
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 2º Para a certificação e homologação das CPCT, e em acréscimo à definição de CPCT do Art. 4º deste Regulamento, entende-se como CPCT as centrais privadas de comutação telefônica para uso exclusivo do usuário.
Justificativa: O texto proposto sugere a utilização de CPCT em negócios como, prestação de serviços de Telemarketing Ativo (geração de chamadas a partir de ramais da CPCT).
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O que o Art. 2º quer vedar é a prestação pelo usuário da CPCT do STFC para terceiros. O texto proposto não sugere de forma alguma a utilização de CPCT em negócios como Telemarketing ativo.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:11/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 1º
§ 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
ID da Contribuição: 16936
Autor da Contribuição: rstolt
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: § 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP e nem possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s.
Justificativa: A sugestão tem o propósito de viabilizar a utilização de CPCT em aplicações como, condomínios comerciais/residenciais onde existe a necessidade de tarifar individualmente os usuários.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. A função tarifação deve ser exercida por uma central pública. No entanto, a fim de tornar mais claro o entendimento do parágrafo em questão, será acrescido um novo parágrafo após o primeiro (com a conseqüente renumeração dos parágrafos): § 2º É permitida a tarifação necessária ao controle dos gastos dos ramais da CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:12/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 1º
§ 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
ID da Contribuição: 16756
Autor da Contribuição: erley
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: sou contrário ao iitem acima.
Justificativa: pergunt, eu, qual ajustificativa para nbão utlizar sinalização por canal comum?
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A sinalização por canal comum, que é composta entre outros pelos protocolos TUP, ISUP e MTP, é utilizada na comunicação entre centrais públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:13/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 1º
§ 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
ID da Contribuição: 17166
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Para efeito deste regulamento, a CPCT pode utilizar sinalização por canal comum, protocolos R2 Digital, ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia desde 2 Mbit/s, não podendo realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC
Justificativa: Entendemos que a resolução não deveria impedir o uso da ISUP na pois ela prevê sua aplicação em RDSI (ISUP internacional Q.763), uma vez que o acesso RDSI está previsto no documento conforme texto do Título II, Capítulo III, arts. 31 e 32 desta consulta pública. Não tem sentido esta limitação na sinalização nem na capacidade da interface digital. Existem CPCTs com alta capacidade que necessita de até 8 Mbits.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A sinalização por canal comum, que é composta entre outros pelos protocolos TUP, ISUP e MTP, é utilizada na comunicação entre centrais públicas, enquanto que a sinalização DSS1 requerida nos Art. 31 e 32 deste Regulamento, é a adequada para comunicação entre uma central pública e um equipamento terminal RDSI como uma CPCT com troncos digitais de acesso básico e primário RDSI.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:14/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 1º
§ 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
ID da Contribuição: 17104
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: § 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum com protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
Justificativa: Não está correto fazermos a separação da sinalização por canal comum e os protocolos ISUP, TUP e MTP, pois os mesmos fazem parte desta sinalização. Desta forma, achamos melhor sugerir a troca da palavra “nem” por “com”, para o correto entendimento do texto.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Podem existir outras sinalizações de canal comum com outros protocolos. No entanto, a fim de tornar mais claro o entendimento do artigo em questão, sua redação fica alterada para: § 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:15/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 1º
§ 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s e nem realizar funções de tarifação destinadas a geração de fatura pela prestadora do STFC e do SMP/SMC.
ID da Contribuição: 17198
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: § 1º Para efeito deste regulamento, a CPCT não deve utilizar sinalização por canal comum nem protocolos ISUP, TUP e MTP, possuir interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s, podendo ser realizadas as funções de tarifação necessárias ao controle dos gastos dos ramais da CPCT.
Justificativa: Devido ao crescente número de compartilhamento de CPCTs, conforme mencionado na justificativa do Artigo 2º, existe a necessidade de garantir as funções de tarifação (bilhetagem e emissão de conta individualizada por ramal), como uma forma de controle do uso de cada um dos ramais. Novamente, ressaltamos que por se tratar de uma consulta para definição de critérios de certificação e homologação das CPCTs, este artigo não deveria entrar no mérito da sua utilização, o que ao nosso ver deveria ser objeto de consulta específica.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. A função tarifação deve ser exercida por uma central pública. No entanto, a fim de tornar mais claro o entendimento do parágrafo em questão, será acrescido um novo parágrafo após o primeiro (com a conseqüente renumeração dos parágrafos): § 2º É permitida a tarifação necessária ao controle dos gastos dos ramais da CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:16/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 2º § 3º
§ 3º Na certificação dos equipamentos terminais utilizados em conjunto com a CPCT, devem ser atendidos os requisitos de certificação específicos para esses produtos.
ID da Contribuição: 16991
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: - Sugerimos que sejam padronizadas tanto as impedâncias de ramal quanto de tronco bem como a dos aparelhos telefônicos. - Acreditamos que os níveis acústicos regulamentados em vigor, para terminais telefonicos, não estão adequados para o usuário e gostaríamos de abrir a discução do assunto. Sugerimos que sejam mantidas as exigências de Compatibilidade (Resolução 237) e Segurança (Resolução 238), porém que a parte funcional/desempenho não seja regulada ou, pelo menos aguardassemos as alterações nos regulamentos de terminais que estão em andamento.
Justificativa: - existem divergências nas impedâncias para os terminais telefônicos e CPCT, sendo uma 600 Ohms e outra 900 Ohms. - temos muitas reclamações de usuários com relação aos níveis acústicos. Além disso não existem normas que regulamentam a fonte de ponte de alimentação das interfaces de ramal, sendo assim não podemos manter o vínculo entre corrente de linha e Indices de Sonoridade sugeridos nas normas de terminais dedicados
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. As impedâncias de ramal e de tronco já estão definidas nos Art. 35 e 48 deste regulamento. Os níveis acústicos para terminais telefônicos não são objeto deste Regulamento; apenas se faz referência a que “na certificação dos equipamentos terminais utilizados em conjunto com a CPCT, devem ser atendidos os requisitos de certificação específicos para esses produtos”, a fim de se garantir para o suário, o mesmo desempenho do equipamento terminal certificado, independentemente de ser este conectado diretamente à rede pública, ou por meio de uma CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:17/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 3º I
I – permitir a interoperabilidade entre a CPCT e as redes de telecomunicações de suporte ao STFC, SMP/SMC, SCM, padronizando a comunicação entre a CPCT e os elementos de rede;
ID da Contribuição: 17199
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: I – permitir a interoperabilidade entre a CPCT e as redes de telecomunicações de suporte ao STFC, padronizando a comunicação entre a CPCT e os elementos de rede;
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:18/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º
Art. 4º Para os fins deste Regulamento, são adotadas as seguintes definições:
ID da Contribuição: 16992
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Seria interessante ter um glossário mais abrangente, incluindo definições matemáticas.
Justificativa: facilitar a consulta dos níveis requeridos.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Item prejudicado. O autor da contribuição não sugere quais definições matemáticas deseja incluir, prejudicando desta forma a contribuição.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:19/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art.4º III
III – chamada de Entrada: chamada originada fora da CPCT com destino a um ramal da CPCT;
ID da Contribuição: 16759
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: III – chamada de Entrada: chamada originada da rede pública com destino a um ramal da CPCT;
Justificativa: Justificativa : para redes privadas sem conexão à rede pública, não há necessidade de se seguir nenhuma norma brasileira, vide fabricantes norte-americanos de centrais para CRM.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A CPCT é conectada à rede pública. Logo, toda chamada originada fora da CPCT, vem da rede pública.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:20/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º IV
IV – chamada de Saída: chamada originada em um ramal da CPCT com destino às redes de telecomunicações;
ID da Contribuição: 16760
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: IV – chamada de Saída: chamada originada em um ramal da CPCT com destino à rede pública de telecomunicações;
Justificativa: Justificativa : para redes privadas sem conexão à rede pública, não há necessidade de se seguir nenhuma norma brasileira, vide fabricantes norte-americanos de centrais para CRM.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A CPCT é conectada à rede pública. Logo, toda chamada de saída da CPCT, vai para a rede pública.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:21/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º V
V – código de Acesso: conjunto de caracteres numéricos ou alfanuméricos estabelecidos no plano de numeração, que permite a identificação do assinante, do ramal CPCT com DDR, do TUP ou do serviço a ele vinculado;
ID da Contribuição: 16761
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: V – código de Acesso: conjunto de caracteres numéricos ou alfanuméricos estabelecidos no plano de numeração, que permite a identificação do assinante, do ramal CPCT com DDR ou do serviço a ele vinculado;
Justificativa: Justificativa : não há TUP para centrais CPCT.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A definição de código de acesso não é aplicada somente à CPCT’s e sim aos tipos possíveis de usuários de serviços de telecomunicações. A referida definição está em concordância com a existente no Glossário da Anatel.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:22/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º VI
VI – CPCT: central privada de comutação de canais de voz ou dados, para uso privado e com conexão direta ao Serviço Telefônico Fixo Comutado -STFC, Serviço Móvel Pessoal - SMP, Serviço Móvel Celular – SMC, Serviço de Comunicação Multimídia - SCM ou a quaisquer outros serviços de interesse coletivo por meio de troncos analógicos ou digitais;
ID da Contribuição: 17200
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterr redação para: VI – CPCT: central privada de comutação de canais de voz ou dados, para uso privado e com conexão direta ao Serviço Telefônico Fixo Comutado -STFC, por meio de troncos analógicos ou digitais;
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:23/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XII
XII – Interface V3: interface digital a quatro fios para conexão de tronco digital a 2.048 kbit/s;
ID da Contribuição: 17174
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Interface V3: interface digital a quatro fios para conexão de tronco digital;
Justificativa: Não limitar a 2Mbits.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A interface V3, conforme o Glossário da Anatel, é a interface digital de acesso primário, logo é para uso a 2048 kbit/s.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:24/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XIV
XIV – Número-Chave: código de acesso do terminal atendedor da CPCT;
ID da Contribuição: 17105
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: XIV – Número-Chave: código de acesso do terminal atendedor pertencente a faixa de numeração da CPCT;
Justificativa: Melhor entendimento do texto.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entendemos que todos os códigos de acesso de uma CPCT, inclusive a do seu número-chave, pertencem a sua faixa de numeração
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:25/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XV
XV – Ramal Privilegiado: ramal de CPCT com acesso automático à rede pública;
ID da Contribuição: 17106
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: O Documento deve definir os outros tipo de ramais, tais como: restrito, semi-restrito, etc.
Justificativa: Tornar o documento mais completo, tendo em vista, que houve a definição de um tipo de ramal, então achamos que a ANATEL deva completar o documento informando as definições de outros tipos de ramal.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Serão incluídas as definições de ramal restrito e semi-restrito, dadas abaixo: - Ramal restrito: ramal de CPCT sem acesso à rede pública; - Ramal semi-restrito: ramal de CPCT com acesso à rede pública via mesa de telefonista.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:26/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XV
XV – Ramal Privilegiado: ramal de CPCT com acesso automático à rede pública;
ID da Contribuição: 17214
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.4 XV. Mudar a frase acesso automático para “livre acesso”.
Justificativa: Terminologia normalmente adotada.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A definição de ramal privilegiado passa a ser: Ramal privilegiado: ramal de CPCT com livre acesso à rede pública.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:27/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XIX
XIX – Serviço Noturno: Condição de funcionamento da CPCT usada nas horas em que o terminal atendedor está fora de operação, em que as chamadas recebidas nas linhas-tronco são atendidas diretamente por um determinado ramal;
ID da Contribuição: 17215
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.4 XIX . Mudar a palavra atendidas para “desviada”.
Justificativa: As ligações são desviadas.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A definição de serviço noturno passa a ser: - Serviço Noturno: Condição de funcionamento da CPCT usada nas horas em que o terminal atendedor está fora de operação, em que as chamads recebidas nas linhas-tronco são desviadas para um determinado ramal.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:28/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XX
XX – Sinalização de Linha: sinalização por canal associado, destinada a efetuar a ocupação, supervisão e liberação dos circuitos;
ID da Contribuição: 17216
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.4 XX. Mudar a frase para: Sinalização de linha : Sinalização destinada a efetuar a ocupação, supervisão e liberação dos circuitos; (retirar “por canal associado”)
Justificativa: .
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A definição da Sinalização de Linha passa a ser: Sinalização destinada a efetuar a ocupação, supervisão e liberação dos circuitos.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:29/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 4º XXV
XXV – Tronco: meio usado na interligação da CPCT à rede do STFC, SMP, SMC, SCM ou de outro serviço de interesse coletivo;
ID da Contribuição: 17107
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: XXV – Tronco: meio de acesso individual a uma chamada, usado na interligação da CPCT à rede do STFC, SMP, SMC, SCM ou de outro serviço de interesse coletivo;
Justificativa: Tornar o texto mais claro que tronco é um 64Kbit/s e não 2Mbit/s.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 11/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O tronco pode ser analógico ou digital, não é sempre um 64 kbit/s. A definição dada no Regulamento exprime melhor o que é um tronco, e está em concordância com o Glossário da Anatel.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:30/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 5º
Art. 5º Para os fins deste Regulamento, são adotadas as seguintes referências: - IEC 60318-1 (1998-07): Electroacoustics – Simulators of human head and ear – Part 1: Ear simulator for the calibration of the supra-aural earphones. - ITU-T Rec. G.711: Pulse code modulation (PCM) of voice frequencies. - ITU-T Rec. K.41: Resistibility of internal interfaces of telecommunication centres to surge overvoltages. - ITU-T Rec. O.81: Group-delay measuring equipment for telephone-type circuits. - ITU-T Rec. O.132: Quantizing distortion measuring equipment using a pseudo-random noise test signal. - ITU-T Rec. O.151: Error performance measuring equipment operating at the primary rate and above. - ITU-T Rec. Q.921: ISDN user-network interface – Data link layer specification. - ITU-T Rec. Q.931: ISDN user-network interface layer 3 specification for basic call control.
ID da Contribuição: 17108
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Deve ser incluído todos os Regulamentos, Práticas ou Recomendações que estão relacionados com este Documento.
Justificativa: Tornar o Documento mais completo.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. As referências nacionais não constavam da versão do Regulamento colocada em Consulta Pública. No entanto, serão mantidas somente as referências necessárias à utilização do Regulamento.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:31/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 6º
Art. 6º As sinalizações utilizadas para acesso de chamadas externas, de entrada e de saída em CPCT, devem estar de acordo com este Regulamento e serem compatíveis com as adotadas pelas redes de telecomunicações de suporte ao STFC.
ID da Contribuição: 17109
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 6º As sinalizações utilizadas para acesso de chamadas externas, de entrada e saída em CPCT, devem estar de acordo com este Regulamento e com os Sistemas de Sinalização de suporte ao STFC utilizados no País.
Justificativa: Melhor esclarecimento do texto.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto do Art. 6º expressa melhor os objetivos do Regulamento.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:32/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 6º
Art. 6º As sinalizações utilizadas para acesso de chamadas externas, de entrada e de saída em CPCT, devem estar de acordo com este Regulamento e serem compatíveis com as adotadas pelas redes de telecomunicações de suporte ao STFC.
ID da Contribuição: 17176
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: As sinalizações utilizadas para acesso de chamadas externas, de entrada e de saída em CPCT, devem estar de acordo com este Regulamento e serem compatíveis com as adotadas pelas redes de telecomunicações de suporte ao STFC, SMP, SMC, SCM ou de outro serviço de interesse coletivo.
Justificativa: Tornar o texto mais claro com o restante da proposta de consulta publica.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. A fim de tornar o texto mais claro, a redação do Art. 6º passa a ser: As sinalizações utilizadas para acesso de chamadas externas, de entrada e de saída em CPCT, devem estar de acordo com este Regulamento e serem compatíveis com as adotadas pelas redes de telecomunicações do STFC, e pelas demais redes de telecomunicações que interoperam com o STFC.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:33/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 7º
Art. 7º A CPCT deve obedecer, no que for aplicável, ao Regulamento de Numeração do STFC ou do serviço onde for utilizado.
ID da Contribuição: 17110
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 7º A CPCT deve obedecer ao Regulamento de Numeração do STFC ou do serviço onde for utilizado.
Justificativa: Achamos que não deveria haver brechas para que a CPCT não obedeça ao Regulamento de Numeração do STFC ou do serviço onde for utilizado.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. A redação do artigo 7º será modificada para: A CPCT deve obedecer, no que for aplicável, ao Regulamento de Numeração do STFC.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:34/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 7º Parágrafo único
Parágrafo único. O código de acesso dos ramais utilizados em CPCT com DDR, para as chamadas de entrada, deve ser parte integrante dos recursos de numeração do STFC.
ID da Contribuição: 17167
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: código de acesso dos ramais utilizados em CPCT com DDR, para as chamadas de entrada, pode ser parte integrante dos recursos de numeração do Serviço de Telecomunicações de interesse coletivo utilizado.
Justificativa: Se a CPCT deve obedecer ao regulamento de numeração do serviço onde for utilizada, isto significa que no caso de CPCT com DDR, esta deva utilizar os recursos de numeração do SMP,SMC e SCM, reforçando a competitividade
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto do Art. 7º expressa melhor os objetivos do regulamento.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:35/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 8º
Art. 8º A CPCT deve ter capacidade de gerar para os ramais, no mínimo, os sinais de chamada, de discar, de controle de chamada, de ocupado e de facilidade de rede inacessível, como definidos na tabela do Art. 61.
ID da Contribuição: 17111
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: sem contribuição
Justificativa: sem contribuição
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: item prejudicado. Não houve contribuição.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:36/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 8º Parágrafo único
Parágrafo único. Em uma chamada de entrada, a CPCT com DDR, deve ter capacidade de enviar sinal de chamada para o ramal.
ID da Contribuição: 17127
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Parágrafo único. Em uma chamada de entrada, a CPCT com DDR, deve ter capacidade de enviar sinal de chamada para o ramal e o tom de controle de chamada para a origem.
Justificativa: Completar o texto para melhor entendimento do mesmo.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Quem envia o sinal de controle de chamada para a origem é a central de origem e não a CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:37/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 11
Art. 11. Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento.
ID da Contribuição: 17169
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas após o sinal de atendimento.
Justificativa: Este artigo não está claro e induz a pensar que mensagens gravadas enviadas pela CPCT possam não ser cobradas, pois é exigido que o sinal de atendimento seja enviado após a mensagem. Além de desconhecermos ser técnicamente viável este requisito, achamos que abre uma porta para perda de receita. Devemos ser contrários a permitir que centrais CPCT possam enviar mensagens gratuitas para os assinantes em chamadas de entrada. Mensagens gratuitas só podem ser dadas pelas redes públicas
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento, a fim de não penalizar o usuário, permitindo que ele possa encerrar a chamada caso não queira deixar mensagem.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:38/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 11
Art. 11. Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento.
ID da Contribuição: 17003
Autor da Contribuição: philips1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Incluir ao final ..... quando a sinalização utilizada assim permitir.
Justificativa: Dependendo do tipo de sinalização de linha, a comutação do canal de voz para o dispositivo de envio de mensagens só ocorre após o atendimento.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento, a fim de não penalizar o usuário, permitindo que ele possa encerrar a chamada caso não queira deixar mensagem.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:39/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 11
Art. 11. Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento.
ID da Contribuição: 16993
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Especificar em qual situação se aplica, exemplificado o tipo de mensagens.
Justificativa: Não compreendemos como e em quais situações este procedimento deve ser realizado.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Só há o envio de mensagem gravada quando o usuário chamado não pode atender. A Anatel entende que no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento, a fim de não penalizar o usuário, permitindo que ele possa encerrar a chamada caso não queira deixar mensagem.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:40/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 11
Art. 11. Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento.
ID da Contribuição: 17112
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Gostaríamos de melhores esclarecimentos sobre este Artigo, tendo em vista que a ANATEL cobra da rede pública índices de completamento de chamadas, que são prejudicados pelo Não Responde (NR) e está orientando ao PABX enviar mensagens de voz sem atendimento.
Justificativa: Melhor esclarecimento.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento, a fim de não penalizar o usuário, permitindo que ele possa encerrar a chamada caso não queira deixar mensagem.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:41/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 11
Art. 11. Em uma chamada de entrada em CPCT, no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento.
ID da Contribuição: 17217
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.11. Não considero justa a generalização desta regra, já que muitos serviços podem advir desta prática sem que a operadora telefônica seja remunerada.
Justificativa: Não considero justa a generalização desta regra, já que muitos serviços podem advir desta prática sem que a operadora telefônica seja remunerada.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que no caso de envio de mensagens gravadas, estas devem ser enviadas antes do sinal de atendimento, a fim de não penalizar o usuário, permitindo que ele possa encerrar a chamada caso não queira deixar mensagem.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:42/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 12
Art. 12. Em uma chamada de entrada com o ramal ocupado e este não possuindo facilidade de chamada em espera, caso a chamada seja reencaminhada para o terminal atendedor, a CPCT deve enviar para trás a informação de terminal livre sem o sinal de atendimento. O sinal de atendimento só deve ser enviado quando a chamada for completada no ramal chamado ou no terminal atendedor.
ID da Contribuição: 17114
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 12. Em uma chamada de entrada com o ramal ocupado e este não possuindo facilidade de chamada em espera, caso a chamada seja reencaminhada para o terminal atendedor, a CPCT deve enviar para trás a informação de terminal livre com tarifação e o sinal de controle de chamada. O sinal de atendimento só deve ser enviado quando a chamada for completada no ramal chamado ou no terminal atendedor.
Justificativa: Como a chamada foi direcionada para o terminal atendedor achamos que deverá haver tarifação e o envio do sinal de controle da chamada para o assinante originador.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que o usuário só deve ser tarifado quando a chamda for completada, seja no ramal chamado, seja no terminal atendedor.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:43/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 12
Art. 12. Em uma chamada de entrada com o ramal ocupado e este não possuindo facilidade de chamada em espera, caso a chamada seja reencaminhada para o terminal atendedor, a CPCT deve enviar para trás a informação de terminal livre sem o sinal de atendimento. O sinal de atendimento só deve ser enviado quando a chamada for completada no ramal chamado ou no terminal atendedor.
ID da Contribuição: 16994
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Especificar o tipo de CPCT a que se aplica.
Justificativa: Não compreendemos como pode ser efetuado este procedimento em centrais CPCT CPA-E.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O Art.12 não obriga que todas as CPCT reencaminhem a chamada para o terminal atendedor. No entanto, se a CPCT tiver a facilidade de reencaminhamento de chamadas para o terminal atendedor, deve proceder conforme definido no Art. 12.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:44/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 13
Art. 13. Caso seja recebida pela CPCT uma chamada para um número de ramal não utilizado, a chamada deve ser encaminhada para um terminal atendedor e deve ser enviado para trás o sinal de terminal livre com tarifação sem o sinal de atendimento, que só deve ser enviado após a chamada ter sido reencaminhada e atendida por outro ramal.
ID da Contribuição: 16995
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Especificar o tipo de CPCT a que se aplica.
Justificativa: Não compreendemos como pode ser efetuado este procedimento em centrais CPCT CPA-E.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. O Art. 13 passará a ter a seguinte redação: Caso seja recebida pela CPCT CPA-T, uma chamada para um número de ramal não utilizado, a chamada deve ser encaminhada para um terminal atendedor e deve ser enviado para trás o sinal de terminal livre com tarifação sem o sinal de atendimento, que só deve ser enviado após a chamada ter sido reencaminhada e atendida por outro ramal.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:45/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 13
Art. 13. Caso seja recebida pela CPCT uma chamada para um número de ramal não utilizado, a chamada deve ser encaminhada para um terminal atendedor e deve ser enviado para trás o sinal de terminal livre com tarifação sem o sinal de atendimento, que só deve ser enviado após a chamada ter sido reencaminhada e atendida por outro ramal.
ID da Contribuição: 16762
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: Art. 13. Caso seja recebida pela CPCT uma chamada para um número de ramal não utilizado, a chamada pode ser encaminhada para um terminal atendedor e, nesse caso, deve ser enviado para trás o sinal de terminal livre com tarifação sem o sinal de atendimento, que só deve ser enviado após a chamada ter sido atendida pelo ramal atendedor ou por outro ramal.
Justificativa: Justificativa : Não é obrigatório a uma CPCT possuir ramal atentedor e nem encaminhar a chamada conforme sugere o art. 94 desta mesma proposta. Existem os sinais B-3 e B-7 para indicar níveis vagos. O encaminhamento de chamadas neste caso é um serviço extra da CPCT. Qualquer ramal poderá fazer o papel de ramal atendedor, inclusive ramais DECT, IP, o que dificultaria a distinção de chamadas encaminhadas ou não.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O Regulamento não está obrigando a CPCT a possuir um ramal atendedor.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:46/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 16
Art. 16. A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
ID da Contribuição: 16996
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Acreditamos que o artigo possa ser revisto.
Justificativa: Devido às novas necessidades dos usuários que possam surgir.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No entanto, a fim de tornar o texto mais claro, a redação do Art. 16 passará a ser: A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos da rede pública entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:47/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 16
Art. 16. A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
ID da Contribuição: 17004
Autor da Contribuição: philips1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Incluir ao final ......, com exceção do reencaminhamento para usuários que no momento não se encontram presentes no local de atendimento da CPCT, mas permanecem acessíveis por meio de conexão com a rede pública, como por exemplo celular, ou trabalhando temporariamente em casa ou outro escritório da empresa.
Justificativa: É importante modernizar esta regulamentação de forma a permitir as aplicações de mobilidade entre elas "home office" e mobilidade a serviço da empresa.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No entanto, a fim de tornar o texto mais claro, a redação do Art. 16 passará a ser: A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos da rede pública entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:48/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 16
Art. 16. A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
ID da Contribuição: 17277
Autor da Contribuição: MFREIS
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Tal artigo deve ser retirado do documento com base nas justificativas abaixo.
Justificativa: Há muitos anos os usuários de CPCT têm utilizado diversas facilidades que dependem da interligação entre dois ou mais troncos da CPCT entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento. Dentre tais facilidades podemos citar: § Desvio do ramal de usuário da CPCT para o telefone celular (ou outro telefone externo que o mesmo desejar) do mesmo. Com tal facilidade ativada as ligações externas entrantes na CPCT serão encaminhadas de volta para a Rede Pública para a chamada do telefone celular do usuário que está em trânsito, estabelecendo-se assim a interligação de dois ou mais troncos sem a participação de um terminal interno da CPCT; § No caso de uma rede privativa corporativa contendo equipamentos CPCT na qual seja adotada uma topologia em estrela, tendo a matriz da corporação localizada no centro da estrela, será muito freqüente a condição na qual a comunicação entre duas filiais tenha que obrigatoriamente passar pela CPCT da matriz, fazendo com que em tal CPCT haja a interligação de dois ou mais troncos sem a participação de um terminal interno da mesma; § Ainda no caso de uma rede privativa corporativa contendo equipamentos CPCT, o usuário de uma determinada CPCT pode desviar as ligações entrantes para o seu ramal para um outro ramal localizado em uma outra CPCT da rede corporativa. Com tal facilidade ativada as ligações externas entrantes na CPCT serão encaminhadas, via rede privativa, para o ramal da CPCT programado como destino do desvio, estabelecendo-se assim a interligação de dois troncos sem a participação de um terminal interno da CPCT; Assim sendo a impossibilidade da interligação entre dois ou mais troncos da CPCT entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento fará com que usuários de CPCT deixem de ter acesso a facilidades muito freqüentemente usadas pelos mesmos.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No entanto, a fim de tornar o texto mais claro, a redação do Art. 16 passará a ser: A CPCT deve ser impossibilitada de interligar dois ou mais troncos da rede pública entre si, sem que haja a participação de pelo menos um terminal interno do equipamento, durante todo o período em que os troncos estiverem interligados.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:49/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 18
Art. 18. As características de sincronismo somente são aplicáveis para as CPCT CPA-T, com entroncamento digital a 2.048 kbit/s com uma central de comutação controlada por programa armazenado.
ID da Contribuição: 17177
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: As características de sincronismo somente são aplicáveis para as CPCT CPA-T, com entroncamento digital desde 2.048 kbit/s com uma central de comutação controlada por programa armazenado.
Justificativa: Não limitar o entroncamento
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Conforme definido no Art.2º do Regulamento, para fins de certificação, as centrais com interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s são consideradas como centrais de comutação digitais públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:50/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 21 III
III – interligação dos ramais, segundo suas categorias, às redes de telecomunicações de suporte ao STFC, ao SMP/SMC e ao SCM, nas chamadas de entrada e saída.
ID da Contribuição: 17201
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: III – interligação dos ramais, segundo suas categorias, às redes de telecomunicações de suporte ao STFC, nas chamadas de entrada e saída.
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:51/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 22 Parágrafo único
Parágrafo único. Quando do uso de tons diferentes, a cadência deve estar conforme o Art. 61.
ID da Contribuição: 17218
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Modificar a frase para: Quando usado um único tom, a cadência deve estar conforme o ART. 61
Justificativa: Quando usado um único tom, a cadência deve estar conforme o ART. 61
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. O Parágrafo único do Art. 22 passará a ter a seguinte redação: “Quando do uso de um único tom, a cadência deve estar conforme o Art. 61”.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:52/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 23
Art. 23. O sinal de discar para ramais de CPCT deve preferencialmente ter tons diferentes nos seguintes casos:
ID da Contribuição: 17115
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar todo este Artigo.
Justificativa: Não vemos como é possível o PABX saber para onde o usuário irá discar antes do usuário iniciar este processo, portanto, não existe a possibilidade de enviar tons diferentes para as chamadas originadas.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Quando o usuário tira o fone do gancho, a CPCT deve enviar o sinal de discar para chamada interna. Ao se teclar o número de acesso a um tronco de saída (preferencialmente 0), a CPCT deve enviar o sinal de discar para chamada externa, com tom contínuo. E, quando o aviso de transferência estiver ativado, o sinal de discar enviado pela CPCT deve ser diferente do sinal de discar para chamada interna, a fim de lembrar ao usuário que o aviso de transferêncai está ativado.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:53/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24
Art. 24. A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico RDSI ou troncos digitais a 2.048 kbit/s.
ID da Contribuição: 17116
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 24. A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico RDSI ou troncos digitais a 2.048 kbit/s com acesso primário RDSI ou Canal Associado.
Justificativa: Completar o texto para o seu melhor entendimento.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A sinalização por canal associado é um método de sinalização, enquanto que o Art. 24 tem por objetivo definir as diversas formas (ou seja, os tipos de troncos) pelas quais é feita a interligação da CPCT com as redes públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:54/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24
Art. 24. A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico RDSI ou troncos digitais a 2.048 kbit/s.
ID da Contribuição: 16763
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: Art. 24. A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico ou primário RDSI ou troncos digitais a 2.048 kbit/s.
Justificativa: Justificativa : Tornar mais flexível a interligação de centrais. Notoriamente, cartões para acesso primário são mais baratos que os cartões para acesso básico.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No termo tronco digital a 2048 kbit/s está implícita a utilização do tronco de acesso primário RDSI, que também opera a 2048 kbit/s.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:55/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24
Art. 24. A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico RDSI ou troncos digitais a 2.048 kbit/s.
ID da Contribuição: 17179
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: A CPCT deve se interligar à rede de telecomunicações de suporte ao STFC ou SCM, por intermédio de troncos analógicos com interfaces do tipo Z ou C22, troncos digitais de acesso básico RDSI ou troncos digitais desde 2.048 kbit/s
Justificativa: Não limitar o entroncamento.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Conforme definido no Art.2º do Regulamento, para fins de certificação, as centrais com interfaces digitais de hierarquia superior a 2 Mbit/s são consideradas como centrais de comutação digitais públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:56/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24 Parágrafo único
Parágrafo único. É permitida a interligação de troncos analógicos C22 ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora de serviços da localidade onde a CPCT for instalada.
ID da Contribuição: 17180
Autor da Contribuição: battistel
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Parágrafo único: É permitida a interligação de troncos ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora desses serviços.
Justificativa: Tornar o texto mais claro.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O Art. 24 passará a ter a seguinte redação: É permitido o entroncamento da CPCT ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora de serviços da localidade onde a CPCT for instalada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:57/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24 Parágrafo único
Parágrafo único. É permitida a interligação de troncos analógicos C22 ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora de serviços da localidade onde a CPCT for instalada.
ID da Contribuição: 17202
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Excluir o Parágrafo único
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:58/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 24 Parágrafo único
Parágrafo único. É permitida a interligação de troncos analógicos C22 ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora de serviços da localidade onde a CPCT for instalada.
ID da Contribuição: 17219
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 24: Acredito que a conexão dos serviços celulares não podem ser vinculados a técnicas especificas, como sugerido na interconexão C22, por limitar a utilização de outras técnicas mais eficientes
Justificativa: ART 24: Acredito que a conexão dos serviços celulares não podem ser vinculados a técnicas especificas, como sugerido na interconexão C22, por limitar a utilização de outras técnicas mais eficientes
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O Art. 24 passará a ter a seguinte redação: É permitido o entroncamento da CPCT ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou ao Serviço Móvel Celular (SMC), desde que negociada com a prestadora de serviços da localidade onde a CPCT for instalada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:59/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 25
Art. 25. A sinalização E&M pulsada usa sinais na forma de pulsos e deve ser utilizada em circuitos unidirecionais por meio de interfaces digitais ou analógicas a quatro fios.
ID da Contribuição: 16873
Autor da Contribuição: laterza
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Favor retirar o art. 25 .
Justificativa: Já que a sinalização E&M pulsada é obsoleta e não será objeto de ensaios .
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entendemos que como a sinalização E&M pulsada ainda é usada, apesar de tecnicamente obsoleta, deve ser mantida a informação de que é permitida a sua utilização, porém não será objeto de certificação. A mesma sinalização é mencionada novamente no inciso I do Art. 31, sem nenhuma contribuição a respeito.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:60/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 25 Parágrafo único
Parágrafo único. Esta sinalização é tecnicamente obsoleta; pode existir na CPCT porém não deve ser objeto dos ensaios de certificação.
ID da Contribuição: 17248
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART25. Parágrafo único Está dizendo que a sinalização E&M pulsada é aboleta e não é objeto se ensaios de certificação. Retirar este parágrafo e também o anterior.
Justificativa: Está dizendo que a sinalização E&M pulsada é aboleta e não é objeto se ensaios de certificação. Retirar este parágrafo e também o anterior.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entendemos que como a sinalização E&M pulsada ainda é usada, apesar de tecnicamente obsoleta, deve ser mantida a informação de que é permitida a sua utilização, porém não será objeto de certificação. A mesma sinalização é mencionada novamente no inciso I do Art. 31, sem nenhuma contribuição a respeito.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:61/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 26
Art. 26. A sinalização E&M contínua é utilizada em circuitos unidirecionais por meio de interfaces digitais ou analógicas a quatro fios, e usa o método da variação da condição do canal de sinalização, empregando um canal para cada sentido de transmissão.
ID da Contribuição: 16874
Autor da Contribuição: laterza
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar o art. 26
Justificativa: já que a sinalização E&M continua é obsoleta e não será objeto de ensaios.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entendemos que como a sinalização E&M pulsada ainda é usada, apesar de tecnicamente obsoleta, deve ser mantida a informação de que é permitida a sua utilização, porém não será objeto de certificação. A mesma sinalização é mencionada novamente no inciso I do Art. 31, sem nenhuma contribuição a respeito.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:62/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 26 Parágrafo único
Parágrafo único. Esta sinalização é tecnicamente obsoleta; pode existir na CPCT porém não deve ser objeto dos ensaios de certificação.
ID da Contribuição: 17220
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Está dizendo que a sinalização E&M pulsada é aboleta e não é objeto se ensaios de certificação. Retirar este parágrafo.
Justificativa: Está dizendo que a sinalização E&M pulsada é aboleta e não é objeto se ensaios de certificação.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entendemos que como a sinalização E&M pulsada ainda é usada, apesar de tecnicamente obsoleta, deve ser mantida a informação de que é permitida a sua utilização, porém não será objeto de certificação. A mesma sinalização é mencionada novamente no inciso I do Art. 31, sem nenhuma contribuição a respeito.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:63/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 28
Art. 28. Os troncos analógicos com interface do tipo C22 utilizam como sinalização de linha a sinalização usuário-rede com as seguintes características:
ID da Contribuição: 17221
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 28: As observações da tabela 1 não têm referência, ou não faz sentido. As operadoras não oferecem normalmente versão de polaridade da corrente de linha por limitação dos que equipamentos. Não pode portanto obrigatoriamente ser cobrados de equipamentos terminais.
Justificativa: ART 28: As observações da tabela 1 não têm referência, ou não faz sentido. As operadoras não oferecem normalmente versão de polaridade da corrente de linha por limitação dos que equipamentos. Não pode portanto obrigatoriamente ser cobrados de equipamentos terminais.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 12/05/2004
Comentário: Há duas observações na tabela 1 do Art.28 que não sairam na página da consulta pública e serão inseridas. Seguem as observações: (1) Caso o envio dos dígitos seja decádico. (2) Retorno à polaridade inicial, se houve inversão no atendimento e envio do sinal de ocupado após a temporização.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:64/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 28 II
II – em chamadas de entrada na CPCT sem DDR, a ocupação do tronco pela central de comutação é feita pelo sinal de chamada e, após sua detecção, a CPCT conecta o tronco com um terminal atendedor para o atendimento.
ID da Contribuição: 16764
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: A resistência deverá ser maior que 18 Kohms.
Justificativa: Justificativa: A resistência deverá ser maior que 18 kohms e não ter um limite superior, já que os circuitos SLIC/SLAC se utilizam de técnicas de deteção por tensão que consomem muito pouca corrente. Além disso, quanto menor a corrente de loop, menos energia a central CPCT consumirá.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O autor da contribuição não define de qual resistência está tratando e que deverá ser maior que 18 kOhms, tampouco o item em questão trata do parãmetro resistência.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:65/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 29 Parágrafo único
Parágrafo único. Os troncos analógicos com interface Z são utilizados para CPCT com DDR e devem ser unidirecionais de entrada.
ID da Contribuição: 16765
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: A resistência deverá ser maior que 18 kohms.
Justificativa: Justificativa: A resistência deverá ser maior que 18 kohms e não ter um limite superior, já que os circuitos SLIC/SLAC se utilizam de técnicas de deteção por tensão que consomem muito pouca corrente. Além disso, quanto menor a corrente de loop, menos energia a central CPCT consumirá.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Os valores de resistência alta na tabela 1 e na tabela 2 do Regulamento serão padronizados para : - Resistência alta > 18 kOhms.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:66/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 29 Parágrafo único
Parágrafo único. Os troncos analógicos com interface Z são utilizados para CPCT com DDR e devem ser unidirecionais de entrada.
ID da Contribuição: 17222
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART. 29 Parágrafo único. Na tabela está dizendo que a resistência do tronco em loop aberto é de 18K a 30k este valor é muito baixo
Justificativa: ART. 29 Parágrafo único. Na tabela está dizendo que a resistência do tronco em loop aberto é de 18K a 30k este valor é muito baixo
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Há apenas a comunicação de que o valor proposto é baixo. Não foi apresentada nenhuma justificativa para esta afirmação, nem a proposição de outro valor alternativo.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:67/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 31 I
I – por canal associado com sinalização de linha E&M pulsada, E&M contínua ou R2 digital, e sinalização entre registradores 5C;
ID da Contribuição: 17117
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: I – por canal associado com sinalização de linha E&M pulsada, E&M contínua ou R2 digital, e sinalização entre registradores 5C ou DTMF;
Justificativa: Caso a sinalização de registro DTMF continue a ser utilizada, ela deverá ser incluída no texto original.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Não há uma sinalização puramente DTMF entre registradores. A sinalização 5C utilizada, é uma sinalização multifrequencial compelida e está descrita detalhadamente no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:68/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 32
Art. 32. Os troncos digitais de acesso básico RDSI e de acesso primário RDSI devem utilizar a sinalização de acesso digital DSS1 (Digital Subscriber Signalling System #1), conforme definido nas Recomendações Q.921 e Q.931 do ITU-T.
ID da Contribuição: 17223
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.32 A sigla DSS1 não está de acordo com a sua definição.
Justificativa: ART.32 A sigla DSS1 não está de acordo com a sua definição.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A sigla é correta e de uso corrente no setor de telecomunicaçãoes, sendo apresentada no título da Rec. Q.933 da ITU-T conforme abaixo: ITU-T Recommendation Q.933 - ISDN Digital Subscriber Signalling System No. 1 (DSS1) – Signalling specifications for frame mode switched and permanent virtual connection control and status monitoring.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:69/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33
Art. 33. A sinalização entre registradores 5C é uma sinalização multifreqüencial compelida (MFC) em que cada sinal transmitido em um sentido depende da resposta no sentido oposto, de forma que, em uma chamada de entrada, no mínimo sejam utilizados os seguintes sinais:
ID da Contribuição: 17118
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 33. A sinalização entre registradores 5C é uma sinalização multifreqüencial compelida (MFC) em que cada sinal transmitido em um sentido depende da resposta no sentido oposto, de forma que, em uma chamada de entrada, sejam utilizados os sinais da Prática Telebrás SDT: 210 110 702 - Especificação de Sinalização entre Registradores para a Rede Nacional de Telefonia via Terrestre.
Justificativa: O documento não esquecer nenhum sinal.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A referida Prática foi levada em consideração na elaboração deste Regulamento, não havendo necessidade de mencioná-la. Os sinais que todas as CPCT’s que utilizam a sinalização 5C necessitam transmitir e enviar, estão nas tabelas 4 e 5 do Art.33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:70/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 I
I – sinais para a frente: I-1 a I-10, II-1 a II-8 e II-10 (conforme Tabela 4);
ID da Contribuição: 17120
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item.
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A definição dos sinais enviados para frente e para trás complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:71/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 II
II – sinais para trás: A-1, A-3, A-4, A-5, B-1, B-2, B-4, B-5 e B-6 (conforme Tabela 5);
ID da Contribuição: 17121
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item.
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A definição dos sinais enviados para frente e para trás complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:72/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 III
III – a passagem do grupo I para o grupo II deve ser determinada por um dos sinais A?3 ou A?5;
ID da Contribuição: 17122
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item.
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A informação deste inciso complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:73/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 IV
IV – o retorno ao grupo I só deve ser possível quando a passagem para o grupo II for ocasionada pelo sinal A-5.
ID da Contribuição: 17123
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item.
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A informação deste inciso complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:74/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 Parágrafo único
Parágrafo único. O envio pela CPCT dos sinais para trás A-5, B-5 e B-6 dependerá, em cada caso, de acordo com a prestadora do serviço.
ID da Contribuição: 17124
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item.
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A informação deste parágrafo complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:75/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 Parágrafo único - tabela 5
ID da Contribuição: 17125
Autor da Contribuição: Bomfim
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar este Item
Justificativa: Ficar aderente aoArt.33
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A informação deste parágrafo, bem como as das tabelas e das notas às tabelas complementa o que foi dito no Art. 33.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:76/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 33 Parágrafo único - tabela 5
ID da Contribuição: 17005
Autor da Contribuição: philips1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar da Nota 1 o texto "Chamadas de entrada para um número de ramal não utilizado devem ser enviadas ao terminal atendedor, enviando para trás o sinal B-1." Alterar redação da Nota 2 para: "Com ramal ocupado, ou chamada de entrada para um número de ramal não utilizado, a chamada pode ou não ser encaminhada para o terminal atendedor. Se for encaminhada, a CPCT deve enviar para trás o sinal B-1, caso contrário envia o sinal B2 se ramal ocupado, ou o sinal B7 quando número de ramal não utilizado."
Justificativa: Oferecer flexibilidade ao cliente para escolher qual o tratamento a dar nos casos de chamadas de entrada para número de ramal não utilizado. O cliente deve ter o direito de recusar atendimento por sua necessidade ou conveniência. Um exemplo é quando acontece divulgação de número errado.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A Anatel entende que o usuário só deve ser tarifado quando a chamda for completada, seja no ramal chamado, seja no terminal atendedor, não devendo ser penalizado pela divulgação de número errado.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:77/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 35
Art. 35. A impedância nominal da interface C22 deve ser de 900 ohms resistivos.
ID da Contribuição: 16997
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: A impedância poderia ser de 600 Ohms.
Justificativa: Para estar compatível com as normas de telefone, fax-modem, modem e normas internacionais.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A impedância de 900 Ohms é definida para as interfaces analógicas Z e C22 tanto na NBR 13083 – Centrais privadas de comutação telefônica (CPCT) tipo PABX CPA, como na norma 3/94 do Minicom – Norma para Certificação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica e estão em harmonia com as impedâncias das mesmas interfaces das centrais de comutação públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:78/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 35
Art. 35. A impedância nominal da interface C22 deve ser de 900 ohms resistivos.
ID da Contribuição: 17224
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 35: Acredito ter havido uma confusão, aqui entre método de ensaio e definição de especificação. Não faz sentido referenciar-se a “impedância resistiva”. A frase correta deve ser: A impedância nominal de CPCT, vista nos acesso da interface C22, deve apresentar a máxima transferência de sinal, com um mínimo de retorno quando terminado em 900 Ohms.
Justificativa: Conceito.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto afirma que a impedância nominal da interface deve ser de 900 ohms resistivos. É apenas uma referência para a medida da Perda de Retorno, e está em conformidade com a NBR 13083.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:79/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 36 I
I – transmissão bidirecional de sinais analógicos na faixa de freqüência de 300 Hz a 3.400 Hz, com nível máximo de +3,14 dBm0 ± 0,3 dB;
ID da Contribuição: 17225
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.36 I. Nível máximo de Sinal de 3,14 dbm0 é muito alto, pode ser 0 dbm0 que não compromete a comunicação .
Justificativa: ART.36 I. Nível máximo de Sinal de 3,14 dbm0 é muito alto, pode ser 0 dbm0 que não compromete a comunicação .
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O nível máximo estabelecido no Regulamento está de acordo com a NBR 13083.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:80/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 37
Art. 37. A CPCT deve enviar sinalização decádica, por abertura/fechamento de enlace, para a central de comutação por meio de pulsos retangulares com freqüência de 10 ± 1 Hz, relação abertura/fechamento entre 1,5/1,0 e 2,5/1,0 e pausa interdigital entre 700 ms e 1.300 ms.
ID da Contribuição: 17203
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: sem contribuição
Justificativa: sem contribuição
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Item prejudicado. Não há contribuição a ser analisada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:81/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 37 Parágrafo único
Parágrafo único. Admite-se o emprego de pausa interdigital entre 300 ms e 700 ms, mediante acordo com a prestadora do STFC, SMP, SMC ou SCM.
ID da Contribuição: 17205
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Alterar redação para: Parágrafo único. Admite-se o emprego de pausa interdigital entre 300 ms e 700 ms, mediante acordo com a prestadora do STFC.
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:82/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 38 II
II – nível de emissão do grupo de freqüências baixas de –10 dBm0 ± 3 dB e do grupo de freqüências altas de –8 dBm0 ± 3 dB;
ID da Contribuição: 16766
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: II – nível de emissão do grupo de freqüências baixas de –8 dBm0 ± 3 dB e do grupo de freqüências altas de –6 dBm0 ± 3 dB;
Justificativa: Justificativa : Os níveis por nós propostos são de longa data aprovados e aceitos pela Recomendação ITU-T Q.23, CEPT T/CS 46-02 e RS-464 (EUA).
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Os valores propostos no Regulamento estão de acordo com a NBR 13083, e em harmonia com as especificações dos equipamentos terminais e das centrais de comutação públicas. Não há especificação de níveis na Recomendação Q.23 do ITU-T.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:83/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 40
Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser:
ID da Contribuição: 16836
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Gostaríamos de maiores esclarecimentos com relação aos níveis apresentados neste artigo que divergem da Tabela 12 do Art. 75. Contribuição: Definir os critérios para CPCT CPA-T e CPA-E, separadamente, bem como os limites para as mesmas.
Justificativa: Dúvidas: Gostaríamos de maiores esclarecimentos com relação aos níveis apresentados neste artigo que divergem da Tabela 12 do Art. 75. Contribuição: Para facilitar a leitura da norma e os procedimentos de teste, deixando mais claro os limites para CPCT CPA-E.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. Os níveis são definidos para a interface e valem para todas as CPCT’s que possuem a interface C22. No entanto, os níveis relativos colocados nos incisos I e II do Art. 40, estão trocados com os níveis relativos dos incisos I e II do Art. 49. Retificaremos os artigo 40 e 49, que passarão a ter as seguintes redações: Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - C22e = -6 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - C22s = -1 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB. Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - Ze = 0,0 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - Zs = -7,0 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:84/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 40 I
I – C22e = 0 dBr, com tolerância de –0,3 dB a +0,7 dB;
ID da Contribuição: 16883
Autor da Contribuição: Edna
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: I – C22e =–6,0 dBr, com tolerância de –0,3 dB a +0,7 dB;
Justificativa: Os dados apresentados nesta consulta Artigo 40I estão em discordância com norma 003/94 item 7.12. (favor verificar). Existe diferenças entre dados desta consulta e o apresentado na norma 003/94. Parece que esta consulta apresenta um erro neste artigo. Ou seja, valores trocados Art 40I com Art 49 (dados da interface Z). Então, pedimos que seja revisado este item.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Os níveis relativos colocados nos incisos I e II do Art. 40, estão trocados com os níveis relativos dos incisos I e II do Art. 49. Retificaremos os artigo 40 e 49, que passarão a ter as seguintes redações: Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - C22e = -6 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - C22s = -1 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB. Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - Ze = 0,0 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - Zs = -7,0 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:85/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 40 II
II – C22s = –7 dBr, com tolerância de –0,7 dB a +0,3 dB.
ID da Contribuição: 16884
Autor da Contribuição: Edna
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: II – C22s = –1,0 dBr, com tolerância de –0,7 dB a +0,3 dB.
Justificativa: Os dados apresentados nesta consulta Artigo 40II estão em discordância com norma 003/94 item 7.12. (favor verificar). Então, colocamos os dados apresentados na norma 003/94 na contribuição acima. Saliento que existem diferenças entre dados desta consulta e o apresentado na norma 003/94. Parece que esta consulta apresenta erro neste artigo, ou seja valores trocados com ART 49 (dados da interface Z). Então, pedimos que seja revisado este item.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Os níveis relativos colocados nos incisos I e II do Art. 40, estão trocados com os níveis relativos dos incisos I e II do Art. 49. Retificaremos os artigo 40 e 49, que passarão a ter as seguintes redações: Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - C22e = -6 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - C22s = -1 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB. Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - Ze = 0,0 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - Zs = -7,0 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:86/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 41 § 2º
§ 2º Para CPCT do tipo KS com circuito de fonia alimentado pela central de comutação, a perda de retorno deve ser superior a 14 dB em toda a faixa de 300 a 3.400 Hz, quando interligada com linha de comprimento entre 0 e 3 km.
ID da Contribuição: 17226
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Especificar a bitola do fio.
Justificativa: Falta especificar.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Entretanto, será retirada a referência ao comprimento da linha, e o Art. 41 § 2º passará a ter a seguinte redação: § 2º Para CPCT do tipo KS, a perda de retorno deve ser superior a 14 dB em toda a faixa de 300 a 3.400 Hz.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:87/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 45
Art. 45. Quando da interligação de troncos analógicos C22 com o Serviço Móvel Pessoal (SMP) ou com o Serviço Móvel Celular (SMC), os terminais móveis utilizados devem ser certificados.
ID da Contribuição: 17204
Autor da Contribuição: tlspeg
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Excluir Artigo
Justificativa: Alinhar o texto às modificações sugeridas para o Artigo Primeiro desta CP.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 21/06/2004
Comentário: Vide resposta dada ao Art.1º.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:88/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 46
Art. 46. Por intermédio da interface Z como tronco unidirecional em CPCT com DDR, deve ser possível a realização das seguintes funções:
ID da Contribuição: 16837
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos das características da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente. Contribuição: - Definir os critérios para CPCT CPA-T e CPA-E, separadamente, bem como os limites para as mesmas. - Definir as características da interface Z como ramal com mais detalhes.
Justificativa: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos das características da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente. Contribuição: - Para facilitar o entendimento da norma e torná-la mais clara nos critérios para CPCT CPA-E. - O texto apresenta mais detalhadamente a interface Z funcionando como tronco unidirecional do que como ramal.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 13/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No Art. 46, está claramente definido quando se fala de interface Z como tronco (incisos I a IV), e como linha de ramal (Parágrafo Único). O Art. 46 vale para todas as CPCT’s que possuem a interface Z.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:89/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 46 I
I – transmissão bidirecional de sinais analógicos na faixa de freqüência de 300 Hz a 3.400 Hz, com nível máximo de +3,14 dBm0 ± 0,3 dB;
ID da Contribuição: 17227
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.46I. Nível máximo deve ser de 0 dbm0.
Justificativa: Nível máximo deve ser de 0 dbm0.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O nível máximo estabelecido no Regulamento está de acordo com a NBR 13083.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:90/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 46 IV
IV – alimentação de –48 V ± 4 V para a central telefônica, com capacidade de corrente para conexão com linhas de comprimento entre 0 e 3 km e cabo de 0,4 mm (resistência de 280 ohms/km e capacitância de 50 nF/km).
ID da Contribuição: 17228
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art.46 IV. Se o comprimento de linha para interfaceamento analógico DDR passa a ser especificado para 3 KM, não é necessária a exigência de tensão de alimentação de -48V, que onera o equipamento.
Justificativa: Incoerência.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A alimentação de –48V +/- 4V é fornecida através da interface Z para as centrais de comutação públicas, não se podendo portanto alterar unilateralmente este valor sem analisar o impacto naquelas centrais, o que está fora do escopo deste Regulamento.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:91/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 47
Art. 47. A sinalização de linha por corrente contínua na chamada de entrada é caracterizada por:
ID da Contribuição: 16838
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos das características da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente. Contribuição: Incluir no texto do referido artigo o tipo de interface Z: (Interface Z Tronco unidirecional).
Justificativa: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos das características da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente Contribuição: Tornar claro qual artigo aplica-se a qual interface.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. No Art. 46, está claramente definido quando se fala de interface Z como tronco (incisos I a IV), e como linha de ramal (Parágrafo Único). O Art. 46 vale para todas as CPCT’s que possuem a interface Z. O Art. 47 aborda a sinalização de linha por corrente contínua na chamada de entrada, logo trata-se da interface Z como tronco, conforme escrito no Art.46, inciso II.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:92/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 47 II
II – alimentação de –48 Vcc na linha e inversão da polaridade dessa alimentação.
ID da Contribuição: 17229
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.47II. Os equipamentos de centrais públicas há muito tempo trabalham mais com -48V.
Justificativa: Se as Centrais Pública não usam. Nào tem sentido a CPCT usar.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A alimentação de –48V +/- 4V é fornecida através da interface Z para as centrais de comutação públicas, não se podendo portanto alterar unilateralmente este valor sem analisar o impacto naquelas centrais, o que está fora do escopo deste Regulamento.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:93/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 48
Art. 48. A impedância nominal da CPCT, vista nos acessos da interface Z, deve ser de 900 ohms resistivos.
ID da Contribuição: 17230
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.48. A frase correta deve ser : A impedância nominal de CPCT, vista nos acesso da interface C22, deve apresentar a máxima transferência de sinal, com um mínimo de retorno quando terminado em 900 Ohms.
Justificativa: Conceito.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto afirma que a impedância nominal da interface deve ser de 900 ohms resistivos. É apenas uma referência para a medida da perda de retorno, e está em conformidade com a NBR 13083.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:94/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 48
Art. 48. A impedância nominal da CPCT, vista nos acessos da interface Z, deve ser de 900 ohms resistivos.
ID da Contribuição: 16998
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: A impedância poderia ser de 600 Ohms.
Justificativa: Para estar compatível com as normas de telefone, fax-modem, modem, e normas internacionais, tornando-se conforme o Art. 35.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A impedância de 900 Ohms é definida para as interfaces analógicas Z e C22 tanto na NBR 13083 – Centrais privadas de comutação telefônica (CPCT) tipo PABX CPA, como na norma 3/94 do Minicom – Norma para Certificação de Centrais Privadas de Comutação Telefônica e estão em harmonia com as impedâncias das mesmas interfaces das centrais de comutação públicas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:95/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 49
Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I – Ze = –6,0 dBr, com tolerância de –0,3 dB a +0,7 dB; II – Zs = –1,0 dBr, com tolerância de –0,7 dB a +0,3 dB.
ID da Contribuição: 16839
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Gostaríamos de maiores esclarecimentos com relação aos níveis apresentados neste artigo que divergem da Tabela 12 do Art. 75. Contribuição: Definir separadamente os níveis para interface Z (tronco unidirecional) e interface Z (ramal) bem como os critérios para CPA-T e CPA-E.
Justificativa: Dúvidas: Gostaríamos de maiores esclarecimentos com relação aos níveis apresentados neste artigo que divergem da Tabela 12 do Art. 75. Contribuição: Tornar claro as diferenças entre CPCT CAP-T e CPA-E, bem como as diferenças entre as interfaces.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. os níveis são definidos para a interface e valem para todas as CPCT’s que possuem a interface C22. No entanto, os níveis relativos colocados nos incisos I e II do Art. 40, estão trocados com os níveis relativos dos incisos I e II do Art. 49. Retificaremos os artigo 40 e 49, que passarão a ter a seguinte redação: Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - C22e = -6 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - C22s = -1 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB. Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - Ze = 0,0 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - Zs = -7,0 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:96/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 49
Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I – Ze = –6,0 dBr, com tolerância de –0,3 dB a +0,7 dB; II – Zs = –1,0 dBr, com tolerância de –0,7 dB a +0,3 dB.
ID da Contribuição: 16885
Autor da Contribuição: Edna
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I – Ze = 0 dBr, com tolerância de –0,3 dB a +0,7 dB; II – Zs = –7 dBr, com tolerância de –0,7 dB a +0,3 dB.
Justificativa: Os dados apresentados nesta consulta Artigo 49 estão em discordância com norma 003/94 item 7.12 (favor verificar). Então, colocamos os dados apresentados na norma 003/94 na contribuição acima. Salientamos que existem diferenças entre valores apresentados neste Art.(consulta) e o apresentado na norma 003/94. Parece que esta consulta apresenta erro neste artigo, ou seja valores trocados Art.49 com ARTs 40I E 40II (valores do tronco C22). Então, pedimos que seja revisado este item.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. Os níveis são definidos para a interface e valem para todas as CPCT’s que possuem a interface C22. No entanto, os níveis relativos colocados nos incisos I e II do Art. 40, estão trocados com os níveis relativos dos incisos I e II do Art. 49. Retificaremos os artigo 40 e 49, que passarão a ter a seguinte redação: Art. 40. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (C22e) e de saída (C22s) da interface C22, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - C22e = -6 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - C22s = -1 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB. Art. 49. Os níveis relativos nominais nos acessos de entrada (Ze) e de saída (Zs) da interface Z, na freqüência de 1.020 Hz e respectivas tolerâncias, devem ser: I - Ze = 0,0 dBr, com tolerância de -0,3 dB a +0,7 dB; II - Zs = -7,0 dBr, com tolerância de -0,7 dB a +0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:97/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 53
Art. 53. Se a CPCT possuir interface digital com par metálico, as características elétricas a serem verificadas estão relacionadas na Tabela 8 e na Figura 3 apresentada no Art. 52.
ID da Contribuição: 16767
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: Art. 53. Se a CPCT possuir interface digital com par simétrico, as características elétricas a serem verificadas estão relacionadas na Tabela 8 e na Figura 3 apresentada no Art. 52. Na tabela 8, trocar par metálico por par simétrico.
Justificativa: Justificativa : Essa é a denominação que melhor exprime o tipo de conexão, balanceada.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. O Art.53 (inclusive a tabela 8) passa a ter a redação sugerida na contribuição.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:98/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 57
Art. 57. A CPCT CPA-T deve ser capaz de tolerar a atenuação do sinal digital presente na sua entrada de 2.048 kbit/s, em conseqüência das perdas nos cabos de interconexão que obedecem à lei √f, sendo que a atenuação na freqüência de 1.024 kHz deve estar compreendida entre 0 e 6 dB, sem perda de desempenho.
ID da Contribuição: 16840
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Consta no referido artigo a “ Lei ·f ”. Como a desconhecemos necessitamos escla-recimentos.
Justificativa: Dúvidas: Consta no referido artigo a “ Lei ·f ”. Como a desconhecemos necessitamos escla-recimentos.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O que consta no referido artigo é referência à lei f^(1/2) ou seja raiz quadrada de f - frequencia, que é conhecida como a lei da atenuação em função da frequencia, do sinal digital em conseqüência das perdas nos cabos de interconexão.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:99/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 58
Art. 58. A CPCT CPA-T deve ser capaz de tolerar um sinal digital aplicado na sua entrada com as características relacionadas na Tabela 7, no Art. 52, modulado por uma flutuação de fase senoidal cuja relação amplitude/freqüência é apresentada conforme Figura 4, sendo que o conteúdo binário equivalente do sinal com modulação de flutuação de fase será uma seqüência pseudo-aleatória de 215 – 1 bit, conforme definida na Rec. O.151 do ITU-T.
ID da Contribuição: 16886
Autor da Contribuição: Edna
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Onde aparece 215 – 1 bit colocar 2 no expoente 15 - 1 bit
Justificativa: Dado apresenta grafia incorreta conforme apresentado na Prática TELEBRÁS 225-100-706 item 14.6
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:100/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 59 I
I – um sinal nominal, codificado em HDB-3 e tendo um formato de pulso como definido conforme Figura 7, no Art. 52, deve ter a si adicionado um sinal interferente com o mesmo formato de pulso do sinal nominal;
ID da Contribuição: 17231
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.59I. Figura 3 e não figura 7.
Justificativa: ART.59I. Figura 3 e não figura 7.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A referência no inciso I do Art. 59 será retificada para Figura 3
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:101/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 59 IV
IV – o conteúdo binário do sinal interferente deve estar conforme a Rec. O.151 do ITU-T (período de bit 215 – 1);
ID da Contribuição: 16904
Autor da Contribuição: Edna
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Onde aparece 215 – 1 bit colocar 2 no expoente 15 - 1 bit
Justificativa: Dado apresenta grafia incorreta conforme apresentado na Prática TELEBRÁS 225-100-706 item 14.8
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:102/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 61
Art. 61. A sinalização enviada para os usuários deve estar conforme Tabela 9.
ID da Contribuição: 16872
Autor da Contribuição: laterza
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: 1)Favor esclarecer o que se entende por " rede inacessível " .Discriminar as condições . 2)Favor incluir também especificação para o tom de intercalação constante do item 6.2 da norma 3/94 . 3)Favor indicar o significado dos parenteses (1) e (2) .
Justificativa: Justificativa do item 2 acima >>> tom de intercalação ( sinalização de aviso ) para art. 15 já foi item obrigatório na norma 3/94 e é importante que ele continue a ser padronizado.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. 1) O Sinal de Rede Inacessível é aquele que indica ao Usuário chamador que não é possível o estabelecimento da chamada desejada ou indica aos Usuários envolvidos que a mesma foi interrompida e os Elementos de Rede alocados não estão mais disponíveis. Entre as condições que determinam a apresentação do Sinal de Rede Inacessível podemos destacar congestionamento na Rede de Telecomunicações, marcação de código de acesso inexistente, desligamento por qualquer dos Usuários e queda na chamada. 2) A Anatel definiu que a implementação do sinal de controle de aviso de chamada em espera (ou tom de intercalação), é facultativa, portanto sua forma, seria de livre escolha dos fabricantes. 3) Há duas notas na tabela do Art.61 que não sairam na página da consulta pública e serão inseridas. Seguem as notas: (1) Aplicável para a CPCT que gera corrente de toque para os ramais. Deve ocorrer sinalização para o terminal de acordo com o disposto no Art. 39. (2) O sinal de controle de chamada deve ter um nível em regime de emissão contínua de -5 dBm0 a - 20 dBm0. A distorção harmônica máxima tolerada na forma de onda senoidal deve ser de 5%, sendo permitidos 15% em CPCT com capacidade final de até seis troncos.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:103/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 61
Art. 61. A sinalização enviada para os usuários deve estar conforme Tabela 9.
ID da Contribuição: 16999
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Acreditamos que a corrente de toque possa ter amplitude mínima de 40Vef e freqüência qualquer na faixa de 15Hz a 60 Hz. Tanto para centrais CPCT CPA-T e CPA-E sem prejuízo para o usuário. Já que os circuitos de detecção e sinalização sonora (campainha) são eletrônicos, e a mínima tensão que a interface C22 deve ser sensibilizada pela corrente de toque é de 40Vef.
Justificativa: Com estas pequenas modificações o usuário poderá adquirir um produto mais barato sem prejuízo da qualidade.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A tensão mínima de 40 V eficazes já é o requisito adotado no inciso IV do Art. 39. Quanto à faixa de freqüência de 15 a 30 Hz, essa é especificada para as centrais de comutação públicas, assim como para todos os equipamentos terminais (telefones de assinantes e públicos, aparelhos de fax, etc).
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:104/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 65
Art. 65. A CPCT ao enviar a sinalização MFC deve enviar a combinação de duas freqüências da Tabela 10, com tolerância de ± 4 Hz e nível de –7 dBm ± 1 dB, e com diferença de nível entre as duas freqüências enviadas de no máximo 1 dB.
ID da Contribuição: 17232
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: É necessário que se diferencie a sensibilidade de deteção se sinais MFC para interfaces analógicas e digitais. Em interfaces digitais não faz sentido sensibilidades extremamente elevadas (-35db), se não há perdas de transmissão. O mesmo se aplica à emissão. Não faz sentido Emite-se sinais a -7dbm em interfaces digitais pelo mesmo motivo.
Justificativa: É necessário que se diferencie a sensibilidade de deteção se sinais MFC para interfaces analógicas e digitais. Em interfaces digitais não faz sentido sensibilidades extremamente elevadas (-35db), se não há perdas de transmissão. O mesmo se aplica à emissão. Não faz sentido Emite-se sinais a -7dbm em interfaces digitais pelo mesmo motivo.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. Nem todas as interfaces entre CPCT’s e centrais de comutação públicas estão digitalizadas. Assim sendo, deve ser mantido o Art. 65 sem alteração.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:105/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 66
Art. 66. A CPCT deve receber e identificar as freqüências da Tabela 11, com tolerância de ± 10 Hz, recebidas da central de comutação com nível entre –5 dBm e –35 dBm, e não deve identificar sinais recebidos com nível inferior a –42 dBm.
ID da Contribuição: 17233
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: É necessário que se diferencie a sensibilidade de deteção se sinais MFC para interfaces analógicas e digitais. Em interfaces digitais não faz sentido sensibilidades extremamente elevadas (-35db), se não há perdas de transmissão. O mesmo se aplica à emissão. Não faz sentido Emite-se sinais a -7dbm em interfaces digitais pelo mesmo motivo.
Justificativa: É necessário que se diferencie a sensibilidade de deteção se sinais MFC para interfaces analógicas e digitais. Em interfaces digitais não faz sentido sensibilidades extremamente elevadas (-35db), se não há perdas de transmissão. O mesmo se aplica à emissão. Não faz sentido Emite-se sinais a -7dbm em interfaces digitais pelo mesmo motivo.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não aceita. Nem todas as interfaces entre CPCT’s e centrais de comutação públicas estão digitalizadas. Assim sendo, deve ser mantido o Art. 66 sem alteração.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:106/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 67
Art. 67. A CPCT deve atender os requisitos estabelecidos no Regulamento para Certificação de Equipamentos de Telecomunicações quanto aos aspectos de compatibilidade eletromagnética nos requisitos de emissão, imunidade e resistibilidade a perturbações eletromagnéticas.
ID da Contribuição: 16841
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: O que significa maior porte nas centrais CPCT CPA-T? Pois dependendo da quantidade de portas tais centrais, devido ao local de instalação entendemos que devem ser classificadas como classe B. Contribuição: Definir no lugar de "maior porte" o número de ramais e troncos a que se aplica.
Justificativa: Dúvidas: O que significa maior porte nas centrais CPCT CPA-T? Pois dependendo da quantidade de portas tais centrais, devido ao local de instalação entendemos que devem ser classificadas como classe B. Contribuição: Atualmente existem CPCT CPA-T de várias configurações, podendo se ter centrais com alguns poucos ramais (por exemplo 12) e sendo instalados em ambientes comerciais/residenciais (Classe B).
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não aceita. As CPCT-CPA-T, devido à seu maior porte e complexidade possuem requisitos de instalação que as levam a ser classificadas como equipamento Classe A, ou seja equipamento com características próprias para instalação em estações de telecomunicações.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:107/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 68
Art. 68. A CPCT deve atender os requisitos estabelecidos no Regulamento para Certificação de Equipamentos de Telecomunicações quanto aos aspectos de segurança elétrica.
ID da Contribuição: 17234
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.68. Parágrafo único . Não faz sentido este parágrafo.
Justificativa: Não faz sentido este parágrafo.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A aplicação dos requisitos de Segurança Elétrica da Resolução 238 é compulsória para todos os produtos de Categoria I, como as CPCT’s.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:108/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 76
Art. 76. A distorção de atenuação em função da freqüência, em qualquer conexão de entrada ou saída da CPCT CPA-E, deve estar dentro dos limites conforme Figura 5, considerando 1.020 Hz como freqüência nominal de referência.
ID da Contribuição: 17000
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Incluir o nível de –5dBm como consta na norma vigente.
Justificativa: Definição do sinal para o teste.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Embora o nível de – 5 dBm já esteja especificado no procedimento de ensaio do Art. 121, para maior clareza do requisito será também adicionado no Art. 76, que passa a ter a seguinte redação: Art. 76. A distorção de atenuação em função da freqüência, ao aplicar-se um sinal em qualquer conexão de entrada ou saída da CPCT CPA-E na faixa de 300 Hz a3400 Hz e nível de – 5dBm, deve estar dentro dos limites da Figura 5, considerando 1.020 Hz como freqüência nominal de referência.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:109/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 77
Art. 77. Para CPCT CPA-T, a distorção de atenuação deve atender aos seguintes requisitos:
ID da Contribuição: 16842
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Os gráficos das figuras 6 e 7 apresentam divergências com relação à norma vigente.
Justificativa: Dúvidas: Os gráficos das figuras 6 e 7 apresentam divergências com relação à norma vigente.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A proposta é realmente alterar a legislação vigente, e as figuras 6 e 7 estão corretas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:110/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 77 I
I – com a seqüência digital correspondente a um sinal senoidal na faixa de 300 Hz a 3.400 Hz e nível de –10 dBm0, aplicada no acesso de entrada da interface digital de uma conexão V3e – Z, a distorção de atenuação em relação a 1.020 Hz, medida no acesso da interface analógica da mesma conexão, deve estar contida nos limites conforme Figura 6.
ID da Contribuição: 17001
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Corrigir o nível de (0,3 dB) da figura.
Justificativa: O nível está abaixo de zero (0 dB).
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A figura será revisada com a retificação do nível inferior da máscara para –0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:111/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 77 II
II – com sinal senoidal de freqüência na faixa de 300 Hz a 3.400 Hz e nível de –10 dBm0, aplicado no acesso da interface analógica de uma conexão Z – V3s, a distorção de atenuação em relação a 1.020 Hz, medida no acesso de saída da interface digital da mesma conexão, deve estar contida nos limites da Figura 7.
ID da Contribuição: 17002
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Corrigir o nível de (0,3 dB) da figura.
Justificativa: O nível está abaixo de zero (0 dB).
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A figura será revisada com a retificação do nível inferior da máscara para –0,3 dB.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:112/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 80
Art. 80. A linearidade ou variação do ganho com nível de entrada para CPCT CPA-T deve estar dentro dos limites conforme Figura 8.
ID da Contribuição: 17235
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.80 Parágrafo Único. -55dbm0 a 0dbm0.
Justificativa: ART.80 Parágrafo Único. -55dbm0 a 0dbm0.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O requisito do Art. 80 está compatível com as Normas de CPCT, NBR 13083 (da ABNT) e 003/94, (do Minicom), e não há nenhuma justificativa para a alteração solicitada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:113/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 83
Art. 83. A distorção do atraso de grupo em função da freqüência, nas conexões externas da CPCT CPA-T, tomando como referência o mínimo atraso de grupo na faixa de 500 Hz a 2.800 Hz, deve estar dentro dos limites conforme Figura 9.
ID da Contribuição: 16843
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Na figura 9 o ponto de (0,3 ms) está divergente da norma atual. Contribuição: O ponto de 0,3 ms deve ser corrigido para 0,15 ms.
Justificativa: Dúvidas: Na figura 9 o ponto de (0,3 ms) está divergente da norma atual. Contribuição: Tornando-o compatível com o artigo 129 X.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Alguns valores do eixo vertical da figura estão errados. Os valores corretos são 0,3 - 0,9 - 1,5 e 1,8 ms, e serão corrigidos na figura.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:114/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 84 § 2º
§ 2º No sentido inverso, aplicando-se um sinal simulado digitalmente na faixa de freqüências de 300 Hz a 3.400 Hz com nível de 0 dBm0, o nível dos sinais imagem espúrios na faixa de 4,6 kHz a 72 kHz, medidos seletivamente no acesso da interface Z ou C22 da mesma conexão, deve ser menor que –25 dBm0.
ID da Contribuição: 17236
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.84$2. Retirar C22.
Justificativa: ART.84$2. Retirar C22.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. O § 2º do Art. 84 passa a ter a seguinte redação: § 2º No sentido inverso, aplicando-se um sinal simulado digitalmente na faixa de freqüências de 300 Hz a 3.400 Hz com nível de 0 dBm0, o nível dos sinais imagem espúrios na faixa de 4,6 kHz a 72 kHz, medidos seletivamente no acesso da interface Z da mesma conexão, deve ser menor que –25 dBm0.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:115/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 92 I
I – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de livre, desligar a fonte de 48 V e o gerador senoidal;
ID da Contribuição: 17237
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.92I. Ligar a Fonte.
Justificativa: Ligar a Fonte.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Os incisos I e III devem ser corrigidos e passam a ter a seguinte redação: I – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de livre, ligar a fonte de 48 V e manter desligado o gerador senoidal; III – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de ocupado, ligar o gerador senoidal, ajustando o gerador para gerar um sinal contínuo de 425 Hz;
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:116/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 92 I
I – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de livre, desligar a fonte de 48 V e o gerador senoidal;
ID da Contribuição: 16844
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: A fonte de 48V deve estar ligada e o gerador desligado, correto?
Justificativa: Dúvidas: A fonte de 48V deve estar ligada e o gerador desligado, correto?
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Os incisos I e III devem ser corrigidos e passam a ter a seguinte redação: I – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de livre, ligar a fonte de 48 V e manter desligado o gerador senoidal; III – configurar o tronco da interface C22 em teste na condição de ocupado, ligar o gerador senoidal, ajustando o gerador para gerar um sinal contínuo de 425 Hz;
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:117/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 93
Art. 93. A verificação do limite da transmissão bidirecional definida no Art. 36 deve ser feita conforme o seguinte procedimento:
ID da Contribuição: 17238
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.93. Em vez de nível máximo de 3.14 dbm0 deveria ser 0dbm0.
Justificativa: ART.93. Em vez de nível máximo de 3.14 dbm0 deveria ser 0dbm0.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O nível máximo estabelecido no Regulamento está de acordo com a NBR 13083.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:118/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 93 IV
IV – colocar o medidor de nível na interface C22 da CPCT sob teste e medir com osciloscópio o nível de tensão do sinal recebido, que deve ser de 1,86 V de pico;
ID da Contribuição: 16845
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Existe alguma tolerância no valor medido de 1,86V de pico?
Justificativa: Dúvidas: Existe alguma tolerância no valor medido de 1,86V de pico?
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O valor esperado é de 1,86 V de pico, no entanto o objetivo do ensaio não é medir este valor e sim verificar se o codec está saturando entre +2,84 dBmO e +3,44 dBmO. No entanto, a fim de tornar mais claro o entendimento a respeito da execução do ensaio, alterou-se a redação dos incisos IV e IX, que passam a ser: IV - colocar o medidor de nível na interface C22 da CPCT sob teste e medir com osciloscópio o nível de tensão do sinal recebido, que deve estar em torno de 1,86 V de pico; IX -repetir os passos dos incisos III a V e verificar se o sinal medido foi saturado, ou seja não ultrapassou o valor de 1,993 V de pico. Se isso ocorrer, indica que o ponto de saturação do Codec está dentro dos limites de +3,14 dBm0 ± 0,3 dB;
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:119/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 94
Art. 94. Se a CPCT tiver, incorporada ao seu gabinete, um aparelho de telefonista, este deve ser ensaiado conforme o Capítulo III do Título V do Regulamento da Interface Usuário-Rede e de Terminais do STFC, nos seguintes aspectos: I – Ensaios Eletroacústicos; II – Ensaios de Identificação do Assinante Chamador, quando a CPCT possui esta facilidade e o mostrador (display) estiver integrado ao gabinete da CPCT; III – Ensaios para verificação das características requeridas no Art. 37, Art. 38 e Art. 39 deste Regulamento.
ID da Contribuição: 16846
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Este artigo aplica-se apenas a CPCT do tipo KS? Ou existem outros exemplos?
Justificativa: Dúvidas: Este artigo aplica-se apenas a CPCT do tipo KS? Ou existem outros exemplos?
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto é claro. "Se a CPCT tiver, incorporada ao seu gabinete, um aparelho de telefonista, este deve ser ensaiado...". Ou seja, aplica-se a qualquer CPCT (não somente KS) que tenha incorporada ao seu gabinete um aparelho de telefonista. Se o aparelho for de terceiros, deve o fabricante da CPCT utilizar somente produtos certificados.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:120/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 94
Art. 94. Se a CPCT tiver, incorporada ao seu gabinete, um aparelho de telefonista, este deve ser ensaiado conforme o Capítulo III do Título V do Regulamento da Interface Usuário-Rede e de Terminais do STFC, nos seguintes aspectos: I – Ensaios Eletroacústicos; II – Ensaios de Identificação do Assinante Chamador, quando a CPCT possui esta facilidade e o mostrador (display) estiver integrado ao gabinete da CPCT; III – Ensaios para verificação das características requeridas no Art. 37, Art. 38 e Art. 39 deste Regulamento.
ID da Contribuição: 16768
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Retirar o ítem I- Ensaios Eletroacústicos;
Justificativa: Justificativa : Na maioria das centrais CPCT, aparelhos analógicos comuns são usados para a função de aparelho de telefonista. Portanto, os fabricantes desses aparelhos é que devem garantir a sua conformidade com as normas eletroacústicas nacionais.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O texto do Art. 94 diz “Se a CPCT tiver, incorporada ao seu gabinete, um aparelho de telefonista, este deve ser ensaiado...". Se o aparelho for de terceiros, deve o fabricante da CPCT utilizar somente produtos certificados.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:121/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 95 VII
VII – repetir este procedimento para toda a faixa de 300 Hz a 3.400 Hz, com a corrente de enlace If ajustada (por meio de Rf) para 20 mA e a máxima corrente de enlace possível;
ID da Contribuição: 17239
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.95 VII. Parágrafo sem sentido. Esta medida deve ser feita somente a 0 km.
Justificativa: Deveria em cada ensaio mencionar o resultado esperado ou então em qual item da norma está especificado este valor.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O Art. 41 especifica para cada tipo de CPCT os valores limites, devendo o ensaio ser feito nas condições especificadas no Art. 95. No entanto, a fim de tornar mais claro o texto, o Art. 41 e o Art. 50 terão suas redações modificadas.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:122/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 99
Art. 99. Para a interface Z são aplicáveis os procedimentos de ensaios especificados no Art. 93, Art. 95 e Art. 96 deste Regulamento para a interface C22.
ID da Contribuição: 16847
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos dos procedimentos de teste da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente. Contribuição: Definir os procedimentos de teste da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente.
Justificativa: Dúvidas: Necessitamos esclarecimentos dos procedimentos de teste da interface Z como tronco – unidirecional e como ramal, separadamente. Contribuição: Facilitar a realização do ensaio.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O artigo 99 e seu parágrafo único definem claramente os ensaios na interface Z: são aplicáveis para todos os tipos de inteface Z os ensaios especificados nos Art. 93, 95 e 96, e adicionalmente para a interface Z utilizada como tronco, o ensaio do Art. 97.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:123/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 99 Parágrafo único
Parágrafo único. Adicionalmente, para a interface Z utilizada como tronco, aplica-se também o ensaio do Art. 97, sem utilizar o circuito de alimentação.
ID da Contribuição: 17240
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.99 PARÁGRAFO ÚNICO. Alterar para: Adicionalmente, para interface Z utilizada como Alimentador de Tronco.
Justificativa: Adicionalmente, para interface Z utilizada como Alimentador de Tronco.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. A interface Z ou é usada como interface de ramal, ou é usada como tronco. Em ambos os casos, ela fornece alimentação ou para o ramal, ou para a central a qual está interligadada.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:124/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 101 II
II – se a interface em ensaio for para uso com cabo coaxial, utilizar um resistor de casamento R = 75 ohms; caso seja para uso com par metálico, utilizar um resistor de 120 ohms;
ID da Contribuição: 16769
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: II – se a interface em ensaio for para uso com cabo coaxial, utilizar um resistor de casamento R = 75 ohms; caso seja para uso com par simétrico, utilizar um resistor de 120 ohms;
Justificativa: Justificativa : Essa é a denominação que melhor exprime o tipo de conexão, balanceada.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. O inciso II do Art. 101 passa a ter a redação sugerida na contribuição.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:125/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 105 II
II – monitorar a taxa de erro na saída da CPCT em cada uma das condições de jitter requeridas no inciso I e verificar que a taxa de erro não exceda a 1 x 10^–7.
ID da Contribuição: 16848
Autor da Contribuição: emattos
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Dúvidas: O valor da taxa de erro está divergente da norma atual.
Justificativa: Dúvidas: O valor da taxa de erro está divergente da norma atual.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. O valor da taxa de erro proposto é adequado à verificação da tolerância à jitter, em um tempo razoável de ensaio.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:126/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 107 II
II – justar o circuito atenuador para que na saída do circuito o sinal medido pelo Gerador/Medidor Seletivo tenha uma atenuação de 6 dB em 1.024 kHz;
ID da Contribuição: 17241
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.107.II. Ajustar.
Justificativa: Ajustar.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Houve erro de digitação.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:127/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 110
Art. 110. Para a verificação do envio da sinalização 5C pela CPCT, configurar a CPCT para realizar uma chamada por meio de um tronco digital, utilizando a montagem conforme Figura 28 e realizar o seguinte procedimento:
ID da Contribuição: 17242
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 110 Há uma confusão entre dtmf e MFC. Está sempre usando o termo STMF ao invés de MFC. Procedimento descrito faz sentido. Figura 28 não faz sentido. Equipamento de teste já faz, a função.
Justificativa: ART 110 Há uma confusão entre dtmf e MFC. Está sempre usando o termo STMF ao invés de MFC. Procedimento descrito faz sentido. Figura 28 não faz sentido. Equipamento de teste já faz, a função.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O termo usado ao longo do artigo é DTMF e não STMF como mencionado na contribuição. O termo correto é MFC, e deve ser usado tanto na figura (Gerador de MFC) como no texto dos incisos II, III e IV do artigo 110, que passam a ter a seguinte redação: II - utilizando um gerador de MFC, enviar um sinal MFC em resposta ao dígito enviado pela CPCT; III - enviar um novo dígito e medir o nível e a freqüência do sinal enviado; IV - enviar um sinal MFC em resposta ao dígito enviado pela CPCT;
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:128/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112
Art. 112. Para a verificação da recepção da sinalização MFC, utilizar a mesma montagem do Art. 110, programando o gerador de DTMF da seguinte maneira:
ID da Contribuição: 17243
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 112 Há uma confusão entre dtmf e MFC. Está sempre usando o termo STMF ao invés de MFC. Procedimento descrito faz sentido. Figura 28 não faz sentido. Equipamento de teste já faz, a função.
Justificativa: ART 112 Há uma confusão entre dtmf e MFC. Está sempre usando o termo STMF ao invés de MFC. Procedimento descrito faz sentido. Figura 28 não faz sentido. Equipamento de teste já faz, a função.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O termo usado ao longo do artigo é DTMF e não STMF como mencionado na contribuição. O termo correto é MFC, e deve ser usado tanto na figura (Gerador de MFC) como no texto do artigo 110, que passam a ter a seguinte redação: Art. 112 Para a verificação da recepção da sinalização MFC, utilizar a mesma montagem do Art. 110, programando o gerador de MFC da seguinte maneira: I – retirar o fone do gancho e teclar um dígito; II – ao se enviar um sinal MFC em resposta ao dígito enviado, programar o gerador de MFC para enviar o sinal de resposta com nível de –5 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT; III – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –35 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT; IV – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com diferença de nível de –20 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento desse sinal pela CPCT; teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –42 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento deste sinal pela CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:129/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112
Art. 112. Para a verificação da recepção da sinalização MFC, utilizar a mesma montagem do Art. 110, programando o gerador de DTMF da seguinte maneira:
ID da Contribuição: 16770
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: Art. 112. Para a verificação da recepção da sinalização MFC, utilizar a mesma montagem do Art. 110, programando o gerador de MFC da seguinte maneira:
Justificativa: Justificativa: Substituir DTMF por MFC.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O termo usado ao longo do artigo é DTMF e não STMF como mencionado na contribuição. O termo correto é MFC, e deve ser usado tanto na figura (Gerador de MFC) como no texto do artigo 110, que passam a ter a seguinte redação: Art. 112 Para a verificação da recepção da sinalização MFC, utilizar a mesma montagem do Art. 110, programando o gerador de MFC da seguinte maneira: I – retirar o fone do gancho e teclar um dígito; II – ao se enviar um sinal MFC em resposta ao dígito enviado, programar o gerador de MFC para enviar o sinal de resposta com nível de –5 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT; III – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –35 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT; IV – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com diferença de nível de –20 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento desse sinal pela CPCT; teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –42 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento deste sinal pela CPCT.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:130/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112 II
II – ao se enviar um sinal DTMF em resposta ao dígito enviado, programar o gerador de DTMF para enviar o sinal de resposta com nível de –5 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT;
ID da Contribuição: 16771
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: II – ao se enviar um sinal MFC em resposta ao dígito enviado, programar o gerador de MFC para enviar o sinal de resposta com nível de –5 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT;
Justificativa: Justificativa: Substituir DTMF por MFC.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Vide nova redação do Art. 112.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:131/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112 III
III – teclar um novo dígito e enviar o sinal DTMF de resposta com nível de –35 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT;
ID da Contribuição: 16772
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: III – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –35 dBm para as duas freqüências, e verificar o reconhecimento desse sinal pela CPCT;
Justificativa: Justificativa: Substituir DTMF por MFC.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Vide a nova redação do Art. 112.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:132/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112 IV
IV – teclar um novo dígito e enviar o sinal DTMF de resposta com diferença de nível de –20 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento desse sinal pela CPCT;
ID da Contribuição: 16773
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: IV – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com diferença de nível de –20 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento desse sinal pela CPCT;
Justificativa: Justificativa: Substituir DTMF por MFC.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Vide a nova redação do Art. 112.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:133/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 112 V
V – teclar um novo dígito e enviar o sinal DTMF de resposta com nível de –42 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento deste sinal pela CPCT.
ID da Contribuição: 16774
Autor da Contribuição: Valdemar
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Sugiro o seguinte texto: – teclar um novo dígito e enviar o sinal MFC de resposta com nível de –42 dBm entre as duas freqüências, e verificar o não-reconhecimento deste sinal pela CPCT.
Justificativa: Justificativa: Substituir DTMF por MFC.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. Vide a nova redação do Art. 112.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:134/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 113
Art. 113. Para a verificação do envio da sinalização MFC pela CPCT, configurar a CPCT para realizar uma chamada por meio de um tronco digital, utilizando a montagem conforme Figura 29 e realizar o seguinte procedimento:
ID da Contribuição: 17249
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART 113 Ramal não utilizado deveria ser respondido como B7 (número vago)
Justificativa: ART 113 Ramal não utilizado deveria ser respondido como B7 (número vago)
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão acatada. A alínea “e” (ramal não utilizado) do inciso XVI do Art. 113, passa a ter a seguinte redação: e) Ramal Não Utilizado: Uma chamada originada no Analisador de Sinalização e Quadro E1 para um ramal não utilizado, na condição de Serviço Normal deve ser encaminhada para o terminal de telefonista. Em Serviço Noturno a chamada deve ser encaminhada ao ramal programado para o Serviço Noturno. Em ambos os casos, a CPCT deve enviar para trás o sinal B-7.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:135/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Título IV Capítulo IX
Dos Ensaios das Características de Transmissão
ID da Contribuição: 17244
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: Característica de Transmissão. Figura 30. R=900 Ohms. Figura 31. R=900 Ohms. Indicar qual item da norma especifica o valor esperado. Figura 32. R=900 Ohms. Figura 34 R=900 Ohms. Figura 35. R=900 Ohms. Os diagramas em blocos o capacitor está no lugar errado. OBS:Todos os diagramas de ensaios devem ser revisados. ART.126.e 127 FIG. 38 E 39. R=900 Ohms.
Justificativa: Característica de Transmissão. Figura 30. R=900 Ohms. Figura 31. R=900 Ohms. Indicar qual item da norma especifica o valor esperado. Figura 32. R=900 Ohms. Figura 34 R=900 Ohms. Figura 35. R=900 Ohms. Os diagramas em blocos o capacitor está no lugar errado. OBS:Todos os diagramas de ensaios devem ser revisados.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. As figuras terão o valor de R mantido em 600 Ohms, uma vez que se está simulando a impedância nominal de um aparelho telefônico, que é de 600 ohms. Os diagramas serão revisados para se colocar o capacitor no lugar correto (entre o equipamento de medida e o tronco em ensaio).
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:136/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 126
Art. 126. Para a medição da Linearidade em CPCT CPA-T, efetuar a montagem conforme Figura 38 e realizar o seguinte procedimento:
ID da Contribuição: 17245
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART.126 FIG. 38 E 39. R=900 Ohms.
Justificativa: ART.126 FIG. 38 E 39. R=900 Ohms.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. As figuras terão o valor de R mantido em 600 Ohms, uma vez que se está simulando a impedância nominal de um aparelho telefônico, que é de 600 ohms.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:137/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 127
Art. 127. Para a avaliação dos produtos de intermodulação, efetuar a montagem conforme Figura 39 e realizar o seguinte procedimento:
ID da Contribuição: 17246
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: FIG. 38 E 39. R=900 Ohms.
Justificativa: FIG. 38 E 39. R=900 Ohms.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão não acatada. As figuras terão o valor de R mantido em 600 Ohms, uma vez que se está simulando a impedância nominal de um aparelho telefônico, que é de 600 ohms.
Anatel

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública - SACP

Relatório de Contribuições Recebidas com Comentários da Anatel

 Data:15/08/2022 11:00:58
 Total de Contribuições:145
 Página:138/145
CONSULTA PÚBLICA 509
 Item:  Art. 128 II
II – ajustar o Gerador de Sinais para gerar um nível de –23 dBm0 com relação a 900 ohms e o Gerador/Medidor Seletivo para gerar um sinal de –9 dBm0 e freqüência de 300 Hz;
ID da Contribuição: 17247
Autor da Contribuição: leucotron1
Entidade: --
Área de Atuação: --
Contribuição: ART128 II. ..........Um nível de -23dbm 60hz..... .........-9dbm0 e freqüência na faixa 300hZ a 3600hZ.
Justificativa: ART128 II. ..........Um nível de -23dbm 60hz..... .........-9dbm0 e freqüência na faixa 300hZ a 3600hZ.
Comentário da Anatel
Classificação:
Data do Comentário: 17/05/2004
Comentário: Sugestão parcialmente acatada. O texto do inciso II do Art. 128, passa a ter a seguinte redação: II – ajustar o Gerador de Sinais para gerar um sinal senoidal de 60 Hz e nível de – 23 dBm0 em relação à 900 ohms e